Curso de Educação Judaica do Porto

Os sobreviventes do Holocausto contam e ensinam o que não se pode esquecer

| 18 Set 2021

Museu Holocausto do Porto

“Remember” (Lembrar): mural com nomes de refugiados que passaram por Portugal, no Museu do Holocausto do Porto. Foto © Museu do Holocausto do Porto – CIP

 

Histórias de sobreviventes do Holocausto, de fugas à perseguição nazi que passaram por Portugal e dos “Justos entre as nações” portugueses serão alguns dos momentos formativos do II Curso do Centro de Educação Judaica do Porto, que o Museu do Holocausto (MH) do Porto organiza, nesta segunda-feira, 20 de Setembro.

Esta iniciativa tem como objectivo sensibilizar os docentes do ensino básico e secundário (de instituições públicas e privadas) para as questões em torno do Holocausto e do antissemitismo, explica ao 7MARGENS Hugo Vaz, responsável do Museu. “Pretende-se dotar os docentes dos conhecimentos e ferramentas necessários para transmitir aos seus discentes estas problemáticas”, acrescenta.

“Sem um combate pensado, é perfeitamente possível” que genocídios como o dos judeus perpetrados pelos nazis na II Guerra Mundial possam voltar a acontecer, afirma ainda. O curso pretende ser um elemento para ajudar nesse combate.

“Com o passar das décadas, e à medida que esse tipo de episódios históricos se vai afastando temporalmente, com os seus contemporâneos também a desaparecer, começam a surgir ideias negacionistas que podem vir a banalizar ou desacreditar estes temas”, recorda.

Para obstar a essa banalização, a memória, “a recordação, a sensibilização e a educação sobre temas como o antissemitismo – de que o Holocausto faz parte – são fundamentais para que episódios como estes não se repitam”, diz Hugo Vaz. Por isso, o curso incluirá depoimentos como o de Chaya Lassmann, sobrevivente da Shoah, que abrirá as intervenções da iniciativa, contando a sua história. Ou ainda, ao almoço, o de Josef Lassmann, filho de outro sobrevivente.

Hugo Vaz cita o historiador israelita e investigador do Holocausto Yehuda Bauer: “Pela primeira vez na sangrenta história da humanidade, num Estado Moderno e no centro de uma Europa civilizada, foi tomada a decisão de localizar, registar, isolar, despojar, humilhar, concentrar, transportar e assassinar cada um dos membros de um grupo, por razões puramente ideológicas.”

A investigadora em temas judaicos Esther Mucznik (que acaba de publicar Judeus Portugueses – Uma História de Luz e Sombra, ed. Manuscrito) situará historicamente a Shoah, numa intervenção de fundo com o título “Antes, durante e depois do Holocausto”.

O genocídio enfrentou, mesmo assim, a resistência de muitos perseguidos e muitas das pessoas que ajudaram os perseguidos. Por isso, o curso abordará também o percurso dos Justos portugueses, de um modo especial o do padre Joaquim Carreira. Reitor do Colégio Pontifício Português, de Roma, o padre Carreira terá salvo perto de duas centenas de pessoas, entre as quais meia centena directamente no Colégio, que ele recenseou no relatório sobre a vida da instituição do ano 1933-34. A sua história foi investigada por António Marujo, jornalista do 7MARGENS, e contada no livro A Lista do Padre Carreira (ed. Vogais), que intervém também no curso.

A iniciativa, que decorre a partir das 9h, incluirá ainda, a concluir, a apresentação do projecto Nunca Esquecer, lançado pelo Governo no âmbito da Aliança Internacional para a Memória do Holocausto.

Museu do Holocausto. Porto

Reconstituição da entrada do campo de extermínio de Auschwitz, com a legenda “Arbeit macht frei” (O trabalho liberta). Foto © Museu do Holocausto

 

Quando os padres não abusadores são as vítimas colaterais dos abusos do clero

Encontro “Cuidar” em Lisboa

Quando os padres não abusadores são as vítimas colaterais dos abusos do clero novidade

“O que encontramos assusta-me: desilusão, depressão, crise existencial, perda de identidade, fim da relação entre presbíteros, perda de confiança na instituição e na hierarquia.” O diagnóstico cáustico é feito ao 7MARGENS pelo padre inglês Barry O’Sullivan, 61 anos, da diocese de Manchester, que estudou o impacto dos abusos sexuais entre os padres não abusadores.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

De 1 a 31 de Julho

Helpo promove oficina de voluntariado internacional

  Encerram nesta sexta-feira, 24 de Junho, as inscrições para a Oficina de Voluntariado Internacional da Helpo, que decorre entre 1 e 3 de Julho. A iniciativa é aberta a quem se pretenda candidatar ao Programa de Voluntariado da Organização Não Governamental para...

Luz e negrume

Luz e negrume novidade

As obras de Pedro Costa, cineasta, Rui Chafes, escultor, e Paulo Nozolino, fotógrafo, e de Simon Hantaï, artista plástico, estão expostas em Paris, respectivamente no Centre Georges Pompidou e na Fundação Louis Vitton. Um autor, identificado como Anonymous, estabelece com elas um diálogo em dois poemas traduzidos por João Paulo Costa, investigador na área de filosofia e autor de À sombra do invisível (Documenta, 2020).

Paróquia de Nossa Senhora da Hora: Ouvir os leigos na nomeação de padres e bispos

Contributos para o Sínodo (23)

Paróquia de Nossa Senhora da Hora: Ouvir os leigos na nomeação de padres e bispos novidade

Os leigos devem ser ouvidos nos processos de nomeação de párocos e de escolha dos bispos e a Igreja deve ter uma lógica de reparação da situação criada pelos abusos de menores. Evitar o clericalismo e converter os padres a uma Igreja minoritária, pobre, simples, dialogante, sinodal é outra das propostas do Conselho Paroquial de Pastoral da Paróquia de Nossa Senhora da Hora (Matosinhos).

Saúde mental dos jovens: a urgência de um novo paradigma

Saúde mental dos jovens: a urgência de um novo paradigma novidade

A saúde mental dos jovens tem-se vindo a tornar, aos poucos, num tema com particular relevância nas reflexões da sociedade hodierna, ainda que se verifique que estas possam, muitas das vezes, não resultar em concretizações visíveis e materializar em soluções para os problemas que afetam os membros desta mesma sociedade. A verdade é que, apesar de todos os esforços por parte dos profissionais de saúde e também das pessoas, toda a temática é, ainda, envolvida por uma “bolha de estigmas”, o que a transforma numa temática-tabu.

Agenda

There are no upcoming events.

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This