Amnistia Internacional

Os trabalhadores dos estádios do Qatar também têm direitos

| 18 Set 2022

Estádio no Qatar

 

Uma nova sondagem global requisitada pela Amnistia Internacional revela que quase três quartos (73%) dos adultos inquiridos defende que a FIFA deve indemnizar os trabalhadores migrantes que sofreram violações de direitos humanos durante os preparativos para o Campeonato do Mundo de 2022.

A sondagem envolveu adultos de 15 países, mais de 17 mil, segundo a Amnistia Internacional, cuja maioria indicou que gostava que a associação do país a que pertence pudesse ser mais ativa na defesa dos direitos humanos nesta situação, em que a organização do Mundial é acusada de vários atentados contra os direitos humanos dos seus trabalhadores, nomeadamente percebendo o que se passa.

“Estas descobertas enviam uma mensagem clara à liderança do futebol. Em todo o mundo, as pessoas são unidas no seu desejo de ver a FIFA a intensificar e reparar o sofrimento suportado por trabalhadores migrantes no Qatar. Também querem ver as suas associações nacionais a posição mais firme”, disse Steve Cockburn, Chefe do Departamento Económico e Social da Amnistia Internacional.

Em maio deste ano, um conjunto de organizações criou o #PayupFIFAOs resultados da sondagem fundamentam o propósito da campanha #PayUpFIFA lançada por uma coligação de organizações de direitos humanos – incluindo a Amnistia Internacional – junto de grupos de adeptos e sindicatos, em maio de 2022, que apelava à FIFA para reservar um fundo para indemnizar trabalhadores e prevenir abusos futuros.

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

"Nada cristãs"

Ministro russo repudia declarações do Papa novidade

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia, Serguei Lavrov, descreveu como “nada cristãs” as afirmações do Papa Francisco nas quais denunciou a “crueldade russa”, especialmente a dos chechenos, em relação aos ucranianos. Lavrov falava durante uma conferência de imprensa, esta quinta-feira, 1 de dezembro, e referia-se à entrevista que Francisco deu recentemente à revista America – The Jesuit Review.

O que têm dito os papas sobre a paz

Debate e oração no Rato, em Lisboa

O que têm dito os papas sobre a paz novidade

As mensagens dos Papas para o Dia Mundial da Paz é o tema da intervenção do padre Peter Stilwell neste sábado, 3 de Dezembro (Capela do Rato, em Lisboa, 19h), numa iniciativa integrada nas celebrações dos 50 anos da vigília de oração pela paz que teve lugar naquela capela, quando um grupo de católicos quis permanecer em oração durante 48 horas, em reflexão sobre a paz e contra a guerra colonial.

Ministro russo repudia declarações do Papa

"Nada cristãs"

Ministro russo repudia declarações do Papa novidade

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia, Serguei Lavrov, descreveu como “nada cristãs” as afirmações do Papa Francisco nas quais denunciou a “crueldade russa”, especialmente a dos chechenos, em relação aos ucranianos. Lavrov falava durante uma conferência de imprensa, esta quinta-feira, 1 de dezembro, e referia-se à entrevista que Francisco deu recentemente à revista America – The Jesuit Review.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This