Oxfam pede “um Plano Marshall de Saúde” para o mundo

| 1 Abr 20

A Oxfam, ONG de luta contra a pobreza presente em mais de 90 países, pediu esta segunda-feira, 30, “um plano de emergência para a saúde pública” com a mobilização de 160 mil milhões de dólares para o combate à pandemia de covid-19 nas regiões menos favorecidas do globo. Este valor permitiria duplicar os gastos com a saúde nos 85 países mais pobres, onde vive quase metade da população mundial.

“No Mali, existem apenas três ventiladores para um milhão de pessoas. No Sahel [região africana entre o deserto do Sara e a savana do Sudão], há menos de um médico para cada 10.000 pessoas”, alertou Robin Guittard, porta-voz da Oxfam France. “Sem uma ação urgente, ambiciosa e histórica, poderemos vir a testemunhar facilmente a maior crise humanitária desde a Segunda Guerra Mundial”, disse o responsável em declarações ao jornal francês La Croix.

De acordo com a Oxfam, todos os governos deverão “combater o vírus adotando e financiando um ambicioso plano global de saúde pública e resposta a emergências”. Este plano deverá incluir a mobilização de profissionais de saúde adicionais, assistência médica gratuita, requisição de todos os estabelecimentos de saúde (incluindo os privados) para o combate à pandemia e ainda a garantia de que os tratamentos e vacinas que venham a existir serão “como um bem público global”, e estarão acessíveis de forma rápida e gratuita aos mais vulneráveis.

O Imperial College London, citado pela Oxfam, estima que até 40 milhões de pessoas em todo o mundo poderão morrer na sequência da pandemia do novo coronavírus, se não for posto em prática um plano de emergência à escala global.

Artigos relacionados

Pin It on Pinterest

Share This