Padre jesuíta preso na Índia deve ser libertado, apela a AIS

| 11 Dez 20

 

O padre Stan Swamy, jesuíta preso na Índia: AIS apelas também à sua libertação. 

 

O padre jesuíta Stan Swamy, detido desde 8 de Outubro por alegadas actividades ilegais, deve ser libertado imediatamente pelas autoridades da Índia, apela o presidente executivo internacional da fundação Ajuda à Igreja que Sofre (AIS). “Defendemos a libertação deste padre que passou os últimos 40 anos a trabalhar com tribos indígenas (Adivasi) no estado indiano de Jharkhand, tribos que foram expulsas à força das suas terras nativas para dar espaço a projectos agrícolas mineiros ou industriais”, afirma Thomas Heine-Geldern, num comunicado divulgado a partir de Königstein, na Alemanha.

“O seu único crime foi exigir justiça e denunciar os abusos” que estas populações tribais “sofreram na sua região”, diz o responsável da fundação pontifícia, citado pelo serviço de informação da AIS. Também os jesuítas pediram a libertação de Swamy logo depois da sua detenção, como o 7MARGENS noticiou na ocasião.

As autoridades negaram de forma incompreensível a libertação sob fiança ao sacerdote jesuíta, apesar da idade avançada e do seu estado de saúde precário, recorda ainda o comunicado: o padre Stan tem 83 anos de idade e sofre de Parkinson.

Para Thomas Heine-Geldern, o caso do padre Swamy “é apenas a ponta do icebergue”, pois há “outros casos de padres e catequistas injustamente acusados com o objectivo de espalhar o medo e intimidar” os que trabalham procurando dar “melhores condições de vida para os adivasis e os dalits”, ou intocáveis.

A mesma AIS, aliás, cita números do Fórum Cristão Unido segundo os quais, desde o início deste ano, já terão ocorrido mais de 250 ataques contra a comunidade cristã na Índia – 76 dos quais apenas desde o dia 1 de Setembro.

Heine-Geldern afirma que “detenções injustificadas como a do padre Stan Swamy parecem muitas vezes ter apenas um objectivo: silenciar e intimidar os mais fracos”. Por isso, a AIS preocupa-se “com o crescimento do nacionalismo religioso, o qual é promovido por instituições próximas do governo indiano”. Uma realidade que afecta directamente a comunidade cristã. “Em muitas aldeias, os cristãos são limitados na sua liberdade de movimento por medo de sofrerem represálias fundamentalistas”, acrescenta o presidente da AIS.

Há leis anti-conversão promulgadas em oito estados da União Indiana, que são muitas vezes usadas para acusar injustamente os cristãos e crentes de outras religiões, diz ainda. O objectivo, por vezes, acrescenta Thomas Heine-Geldern, é intimidar os opositores em disputas de terras que surgem frequentemente nas regiões habitadas por tribos indígenas”. E há pessoas que passam anos na prisão em resultado de falsas acusações, levando à perda dos seus direitos legais, acrescenta o responsável da AIS, que apela “às instituições políticas internacionais” para que garantam a protecção da liberdade religiosa na Índia e para que a Igreja Católica “continue a trabalhar para os mais pobres dos pobres”.

Cristãos na Índia: os dados actualizados regista o aumento das perseguições em três estados do centro-Norte do país. Foto ACN-Portugal.

 

Nos dados actualizados do Fórum Cristão Unido (FCU), o mapa regista que a maioria dos casos de perseguição aos cristãos estão a ocorrer nos estados de Uttar Pradesh, Madyha Pradesh e Chhattisgarh. Este último é um dos que mais preocupa os responsáveis cristãos: Sajan K George, presidente do Conselho Global de Cristãos Indianos, revela, citado pela Asia News, a sua inquietação perante “o número crescente” de ataques e incidentes que envolvem os cristãos tribais naquela região da Índia central.

Um dos últimos episódios registou-se dia 25 de Novembro: cerca de 30 pessoas ficaram feridas, quatro das quais com gravidade. A 22 e 23 de Setembro, 16 famílias cristãs viram as suas casas destruídas na região de Bastar, por se terem recusado a converter ao hinduísmo.

O Conselho Global de Cristãos Indianos manifesta-se “profundamente preocupado com o que está a ocorrer em muitas regiões tribais”, onde se têm registado “episódios graves e em larga escala de violência anticristã”, diz Sajan George. Estes ataques, diz a AIS, têm origem em “grupos extremistas” que levantam “suspeitas e inimizades” procurando dividir as comunidades locais.

Muitos dos casos ficam por esclarecer, como o que aconteceu em Kandhamal (Odisha), em Agosto de 2008, quando mais de uma centena de pessoas foram assassinadas por extremistas hindus e mais de 64 mil forçadas a fugir para se salvarem. Cerca de 6500 casas e 395 igrejas ou capelas foram também destruídas e ainda hoje, apesar de terem passado 12 anos, cerca de 10 mil pessoas não terão regressado a suas casas por medo de represálias, nota a AIS.

 

(Sobre a situação dos cristãos na Índia, pode ver-se este vídeo:)

 

UE: Cipriota Christos Stylianidis velará pela liberdade religiosa

UE: Cipriota Christos Stylianidis velará pela liberdade religiosa novidade

“Agradeço profundamente ao Colégio de Comissários da Comissão Europeia pela minha nomeação como Enviado Especial para a promoção da liberdade de religião ou crença fora da União Europeia”. Foi assim que o político cipriota Christos Stylianidis reagiu à escolha do seu nome para dar continuidade a uma função que tinha sido interrompida em 2019 e que alguns entendiam não ser imprescindível.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Crónica

O Mercado e o Templo (15): Quando o conhecimento era um bem comum e gratuito

O Mercado e o Templo (15): Quando o conhecimento era um bem comum e gratuito

As proibições teológicas souberam gerar meios de liberdade para mercadores e intelectuais, como seguros e universidades. A antiga cultura sabia que bem precioso, mesmo divino, era o conhecimento e protegia-o do lucro. Agora, na lógica do capitalismo, vêem-se apenas custos e benefícios. Este é o décimo quinto dos textos da série de crónicas que o 7MARGENS publica todas as quartas-feiras e sábados, da autoria de Luigino Bruni.

Breves

“Tragédia brasileira: risco para a casa comum?”

  Entre os dias 4 e 6 de Maio (terça a quinta-feira), um seminário internacional que se realiza em formato digital irá debater se a tragédia brasileira é um risco para a casa comum, numa iniciativa de várias organizações religiosas, de defesa dos direitos humanos...

Inscreva-se aqui
e receba as nossas notícias

Boas notícias

É notícia

APAV lança vídeo sobre violência sexual contra crianças

A APAV – Associação Portuguesa de Apoio à Vítima acaba de lançar o primeiro de um conjunto de vídeos que visam a prevenção da violência sexual contra crianças e jovens, procurando capacitar as pessoas sobre estes crimes e a informá-las sobre como pedir ajuda.

Xexão (um poema e uma evocação em Lisboa)

No 30º dia após o falecimento de Maria da Conceição Moita, a comunidade da Capela do Rato, em Lisboa, vai celebrar, a 30 de Abril, às 19h, eucaristia evocando a sua vida. Tendo em conta as regras de segurança em vigor, e o número restrito de lugares na capela, é necessária uma inscrição prévia, que deve ser feita na página digital da Capela do Rato.

Quebra de receitas da principal Igreja financiadora do Vaticano

A Igreja Católica alemã, que é líder no contributo que dá habitualmente para as despesas da Santa Sé (juntamente com a dos EUA), teve “um verdadeiro colapso” nas receitas, em 2020, segundo dados divulgados pelo jornal Rheinische Post, citados por Il Messaggero.

Entre margens

Quadrado da serenidade ou testemunho de ser novidade

Desde há mais de um ano que uma percentagem muito significativa do que aparece escrito tem, direta ou indiretamente, a ver com o mundo em que o nosso mundo se transformou diante da invasão por esta pandemia de covid-19. Não se trata de uma secagem da imaginação humana, mas da pregnância que este fenómeno de tão larga escala assumiu.

Hans Küng, de “A Igreja” ao “Projeto Para Uma Ética Mundial” novidade

Küng é um profeta do nosso tempo, e isso viu-se quando a Congregação para a Defesa da Fé (antiga Santa inquisição) o sancionou, retirando-lhe a cátedra e o múnus. Hans Küng deixou na sua obra a beleza de ser cristão, da reflexão sem cadeias e a proposição de que as questões infalíveis não o são; por isso a Igreja deve estar-lhe grata e aprofundar o seu pensamento. Um dia a história saberá quem foi este grande teólogo.

O desaparecimento dos gigantes da fé

De vez em quando temos a sensação de que se está a passar na porta giratória para um mundo diferente. Em especial quando se toma consciência de que alguns dos maiores gigantes do mundo cristão nos deixaram. O mais recente foi o grande teólogo e pensador protestante latino-americano René Padilla (1932-2021), o “pai” do conceito de “missão integral” que revolucionou as teologias do continente, em particular a missiologia.

Cultura e artes

Ter uma casa não é ter um lar novidade

Apesar de uma carreira já muito premiada (vencendo inclusive os Óscares para Melhor Filme, Melhor Realizador e Melhor Actriz, dos seis para que estava nomeado) Nomadland – Sobreviver na América nunca será um filme consensual. E cada um vê-lo-á de um ponto de vista diferente, como sempre. Eu digo, desde já, que é um filme que vale muito a pena ver.

Alusões a um corpo ausente

Cada pessoa que fizer uma evocação de José Augusto Mourão fá-lo-á de um modo diferente. O percurso biográfico de Mourão presta-se a essa pluralidade quase heterodoxa, diferente das narrativas oficiais com as quais se canoniza uma vida e uma determinada biografia da mesma.

Flannery O’Connor e “Um Diário de Preces”

Flannery O’Connor foi uma escritora norte-americana (1925-1964), falecida aos 31 anos de lúpus, doença degenerativa precocemente diagnosticada (aos 12 anos) e que, depois de lhe terem sido dados cinco anos de vida, Flannery conseguiu, com uma vontade indomável, prolongar por mais 10 anos. Católica convicta, viveu em Savannah, na Geórgia, no sul protestante e conservador. Escreveu sobretudo sobre a decadência do sul da América. Fez uma licenciatura em Inglês e Sociologia e uma pós-graduação através de um writer’s workshop (oficina de escrita) na Universidade de Iowa. Escreveu 32 contos e dois romances.

O teatro da vida na leitura cristã de Luís Miguel Cintra

A revista E, do Expresso, deste fim-de-semana traz em várias páginas a súmula de mais de duas horas de conversa de Luís Miguel Cintra com a jornalista Luciana Leiderfarb, com as imagens da objetiva do repórter António Pedro Ferreira. Destaca-se dela não só uma grande personalidade do teatro, mas também uma pessoa de enorme sensibilidade e riqueza humanas.

Sete Partidas

O regresso à escola má

Custa-me imenso falar de educação. A sério. Dói-me. Magoa fundo. O mal que temos tratado a educação escolar nas últimas décadas. Colectivamente. Geração após geração. Incomoda-me a forma como é delegada para planos secundários perante a suposta urgência de temas tão mais mediáticos e populares. Quando nada me parece mais urgente.

Aquele que habita os céus sorri

Parceiros

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This