Luís Marinho, do CNE

Padre português é assistente mundial do escutismo católico

| 8 Fev 2022

Padre Luís Marinho. Foto © CNE

 

O padre Luís Marinho, actual assistente nacional do Corpo Nacional de Escutas (CNE) foi nomeado para assistente mundial da Conferência Internacional Católica do Escutismo (CICE). A escolha do Comité Mundial da CICE foi confirmada pelo Dicastério para os Leigos, Família e Vida da Santa Sé e é válida por quatro anos, anunciou o CNE nesta terça-feira, 8 de Fevereiro. 

Luís Marinho, 48 anos, sente-se chamado com esta nomeação “a servir o escutismo a nível internacional, dando o contributo específico de presbítero da Igreja Católica”. Trata-se do “serviço específico da unidade da Igreja e da ligação institucional dos membros da associação à Igreja Católica”, disse o agora assistente mundial ao 7MARGENS. “Tem a ver com o papel geral de um assistente [eclesiástico], numa organização em que o ministro ordenado integra uma equipa”. Ou seja, não é ele o primeiro responsável, mas “caminha com os outros e está junto dos outros” membros da equipa. 

“O facto de ser assistente nacional do CNE levou-me a participar em inúmeras reuniões internacionais e, aí, conhecer pessoas, conhecer realidades e conhecer problemas”, afirmou, dizendo que esta possibilidade já vinha a ser falada desde há meses, mesmo antes de se ter realizado em Fátima a última reunião mundial da CICE, em Novembro passado. 

“O comité mundial considerou que eu tinha o perfil de conhecimento da realidade internacional e por isso decidiu propor-me”, acrescenta, para substituir o padre francês Jacques Gagey, que desempenhou essa missão nos últimos oito anos. Mas também ajudou o facto de o CNE, sendo das poucas associações confessionais no escutismo europeu e mundial, estar “plenamente inserido no escutismo internacional, sendo plenamente católico e plenamente escutista, mostrando que a fé católica não cria nenhuma dificuldade na relação com todas as crenças e condições”. 

Ao mesmo tempo, o padre Luís Marinho diz, na declaração inicial de aceitação, que esta missão é também uma forma de sublinhar “a confiança da Igreja Católica no movimento e pedagogia escutista”. E acrescenta: “Católico significa literalmente universal: é para mim um desafio pessoal poder experimentar esta catolicidade no contacto com os escuteiros de todo o mundo, nas suas diferentes tradições culturais e estruturas organizativas dentro do escutismo e dentro da Igreja. Com a convicção profunda que a fé em Jesus Cristo é capaz de iluminar e se enriquecer de todas as experiências humanas.” 

A CICE, que o Corpo Nacional de Escutas integra, define-se como “um espaço de encontro, reflexão, partilha e comunhão dos escuteiros católicos de todo o mundo, tendo um estatuto consultivo junto da Organização Mundial do Movimento Escutista”. 

O assistente mundial tem como tarefa principal assegurar a dimensão espiritual na CICE e, enquanto membro do seu comité mundial, deve ajudar na prossecução dos seus objectivos e, ao mesmo tempo, representar as instituições da Igreja. A Conferência Internacional Católica do Escutismo está organizada em quatro regiões (Europa-Mediterrâneo, Inter-Americana, Ásia e África) e integra cerca de 60 associações membro.

 

A “nuvem escura que nunca larga” as vítimas de abusos sexuais

338 casos já validados

A “nuvem escura que nunca larga” as vítimas de abusos sexuais novidade

17 casos já entregues ao Ministério Público, todos de padres que podem estar ainda no activo; 338 testemunhos validados, com um peso importante de situações ocorridas no confessionário. Uma maioria de vítimas que, ainda assim, continua a considerar-se como católica. Após quase seis meses de trabalho, a Comissão Independente para o Estudo dos Abusos Sexuais contra as Crianças na Igreja Católica Portuguesa fez um novo balanço. E apresentou três depoimentos de vítimas que querem ajudar a que outras como elas também falem e que pedem à Igreja um gesto de reparação.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

De 1 a 31 de Julho

Helpo promove oficina de voluntariado internacional

  Encerram nesta sexta-feira, 24 de Junho, as inscrições para a Oficina de Voluntariado Internacional da Helpo, que decorre entre 1 e 3 de Julho. A iniciativa é aberta a quem se pretenda candidatar ao Programa de Voluntariado da Organização Não Governamental para...

Lápide gaélica foi proibida num cemitério inglês — e ganhámos uma bela canção

Novo disco dos Fontaines D.C.

Lápide gaélica foi proibida num cemitério inglês — e ganhámos uma bela canção novidade

A Igreja de Inglaterra proibiu uma inscrição em irlandês numa lápide fúnebre, em Coventry, argumentando que a frase teria de ser traduzida para inglês para que as pessoas não a confundissem com uma declaração política. A família de Margaret Keane foi para tribunal e ganhou – e os irlandeses Fontaines D.C. fizeram desta história uma belíssima canção.

As armas e a vida

As armas e a vida novidade

Quando se discute esta questão da maior ou menor facilidade de acesso à posse de armas, e do mais ou menos restritivo regime legal desse acesso, não posso deixar de recordar vários casos com que lidei ao longo da minha carreira de juiz. Casos em que só o acesso a uma arma poderá explicar o seu desfecho trágico de perda de vida humanas.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This