Sondagem nos EUA revela

Pandemia não provocou a anunciada “recessão religiosa”

| 29 Mar 2023

“O recurso aos serviços religiosos à distância, via on-line, ou a ausência total de relação provocada pelo confinamento obrigatório determinou uma maior queda da prática religiosa entre os protestantes negros.” Foto © Gabriella Clare Marino/ Unsplash

 

A percentagem de adultos americanos que dizem frequentar serviços religiosos pelo menos uma vez por mês caiu três pontos percentuais (passou de 33% para 30%) entre 2019 e 2022, não sustentando os receios de que a pandemia produzisse uma “recessão religiosa”.

A sondagem do Pew Research, noticiada pela agência Religion News no dia 28 de março, mostra, de acordo com os seus autores, que a quebra registada parece “ser mais consistente com uma tendência de longo prazo de declínio religioso gradual, do que com uma mudança radical nos hábitos das pessoas irem à igreja”. Contudo, nem todos os grupos religiosos foram atingidos com igual intensidade pela suspensão da prática de se deslocarem aos seus templos durante a pandemia. O recurso aos serviços religiosos à distância, via on-line, ou a ausência total de relação provocada pelo confinamento obrigatório determinou uma maior queda da prática religiosa entre os protestantes negros. Neste grupo, a sondagem detetou uma quebra de 15 pontos percentuais entre 2019 e 2022 (caiu de 61% para 46%).

Os autores da sondagem sublinham ainda que a esmagadora maioria (87%) dos mesmos indivíduos que responderam aos inquéritos anuais de 2019 a 2022 asseguram não ter alterado a sua taxa de frequência do culto durante aqueles quatro anos. Entre os que reconhecem ter mudado essa frequência, oito por cento afirmam tê-la reduzido, enquanto quatro por cento dizem tê-la aumentado.

 

Há menos países a aplicar a pena de morte, mas número de execuções foi o mais elevado em quase uma década

Relatório 2023

Há menos países a aplicar a pena de morte, mas número de execuções foi o mais elevado em quase uma década novidade

A Amnistia Internacional (AI) divulgou na madrugada desta quarta-feira, 29 de maio, o seu relatório anual sobre a aplicação da pena de morte a nível mundial, que mostra que em 2023 “ocorreram 1.153 execuções, o que representa um aumento de mais de 30 por cento em relação a 2022”, sendo que “este valor não tem em conta os milhares de execuções que se crê terem sido realizados na China”. Este “foi o valor mais alto registado” pela organização “desde 2015, ano em que houve 1.634 pessoas executadas”.

Há uma “nova vaga de terror contra os cristãos” no Paquistão

Ataques sucedem-se

Há uma “nova vaga de terror contra os cristãos” no Paquistão novidade

O recente ataque a um cristão falsamente acusado de ter queimado páginas do Corão, por uma multidão muçulmana enfurecida, no Paquistão, desencadeou “uma nova vaga de terror” contra a minoria religiosa no país. Depois deste incidente, que aconteceu no passado sábado, 25 de maio, já foram registados outros dois ataques devido a alegados atos de “blasfémia” por parte de cristãos.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

A memória presente em pequenas tábuas

Museu Abade de Baçal

A memória presente em pequenas tábuas novidade

“Segundo uma Promessa” é o título da exposição inaugurada a 18 de maio no Museu Abade de Baçal, em Bragança, e composta por uma centena de pequenos ex-votos, registados em tábuas, que descrevem o autor e o recetor de vários milagres, ao longo dos séculos XVIII e XIX. “O museu tem a obrigação de divulgar e de mostrar ao público algum do património que está disperso pela diocese de Bragança-Miranda”, disse ao 7MONTES Jorge Costa, diretor do museu.

A cor do racismo

A cor do racismo novidade

O que espero de todos é que nos tornemos cada vez mais gente de bem. O que espero dos que tolamente se afirmam como “portugueses de bem” é que se deem conta do ridículo e da pobreza de espírito que ostentam. E que não se armem em cristãos, porque o Cristianismo está nas antípodas das ideias perigosas que propõem.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This