Pontificado de Pio XII e o nazismo

Papa abre acesso a 40 mil documentos sobre os judeus

| 23 Jun 2022

vaticano da acesso a documentos sobre judeus foto direitos reservados

Trata-se da documentação completa da atividade pontifícia, compreendendo cerca de 40 mil arquivos digitais, que podem agora ser acedidos online. Foto: Direitos reservados.

 

O Vaticano decidiu abrir o acesso ao público em geral de cerca de 170 volumes de documentos relativos aos judeus e referentes ao pontificado do Papa Pio XII.

A notícia, difundida esta quinta-feira, 23, pela Sala de Imprensa da Santa Sé, esclarece que a medida foi solicitada pelo Papa Francisco e que é operacionalizada pelo Arquivo Histórico da Secretaria de Estado – Seção de Relações com Estados e Organismos Internacionais (ASRS).

Trata-se da documentação completa da atividade pontifícia, compreendendo cerca de 40 mil arquivos digitais, que podem agora ser acedidos online.

Nesta primeira fase, serão disponibilizados apenas 70 por cento dos documentos, antes de serem integrados nos volumes finais que se encontram em fase de elaboração.

Este conjunto vastíssimo de materiais, cuja consulta já tinha sido aberta a investigadores no início de março de 2020, tem por título “Ebrei” (Judeus), “porque o seu objetivo é preservar os pedidos de ajuda dos judeus de toda a Europa, recebidos pelo Papa durante as perseguições nazi-fascistas”, esclarece o Vaticano.

Num artigo publicado no L’Osservatore Romano, o arcebispo Paul Gallagher, responsável do Vaticano para as Relações com os Estados, escreve que “a disponibilização da digitalização desta série irá permitir aos descendentes daqueles que procuraram ajuda encontrar vestígios dos seus entes queridos a partir de qualquer parte do mundo”.

 

Centro Wiesenthal oferece documento histórico

Na quarta-feira, 22, o Centro Simon Wiesenthal entregou ao Papa Francisco um fac-símile do documento em que Adolf Hitler teorizou o extermínio de judeus. No encontro, Francisco denunciou o antissemitismo e “a ameaça contínua do populismo”.

Na audiência no Vaticano, estiveram presentes 30 personalidades de diferentes países ligadas ao Centro Wiesensthal, incluindo o rabi Marvin Hier, fundador e diretor executivo da instituição.

Dirigindo-se ao Papa, o rabino, citado pela Askanews, enfatizou o facto de este encontro ocorrer 80 anos depois da Conferência de Wannsee, na qual 15 oficiais nazis, oito deles estudantes de doutoramento de algumas das melhores universidades, tomaram a decisão, concordando com as ordens de Hitler, de realizar um assassinato em massa de todos os judeus na Europa.

“Por isso, Santidade – observou Marvin Hier –  viemos aqui hoje apresentar aos Arquivos do Vaticano um dos documentos mais significativos da história da humanidade: uma cópia de uma carta original, datilografada e assinada por Hitler, em 16 de setembro de 1919, na qual ele delineia abertamente a necessidade do extermínio definitivo do povo judeu na Europa.”

O original da carta de Hitler que agora foi entregue ao Papa está em exposição no Museu da Tolerância, no Centro Simon Wiesenthal, em Los Angeles. “O que começou como a opinião de um homem tornar-se-ia a política de estado da Alemanha nazi 22 anos depois, levando ao assassinato sistemático de um terço dos judeus do mundo”, salientou o responsável do Centro.

 

De uma tragédia no mediterrâneo nasceu um presente para o Papa… e um apelo à esperança

Um ano depois do naufrágio

De uma tragédia no mediterrâneo nasceu um presente para o Papa… e um apelo à esperança novidade

Passou precisamente um ano desde aquela trágica noite em Cutro, no sul de Itália, em que um barco que saíra da Turquia com cerca de 200 migrantes a bordo colidiu com um banco de areia a cem metros da praia. O acidente custou a vida a 94 pessoas, 35 delas crianças. “Que o Senhor nos dê a força para entender e chorar”, disse então o Papa. E das lágrimas derramadas no luto surgiu uma ideia: transformar um pedaço daquele barco, símbolo de morte, num apelo à esperança. Assim nasceu o genuflexório que esta semana foi oferecido a Francisco.

As Fotografias de Maria Lamas

Fundação Gulbenkian: Exposição comemorações 50 anos do 25 de Abril

As Fotografias de Maria Lamas novidade

Mais uma exposição comemorando os 50 anos do 25 de Abril: na Fundação Gulbenkian As Mulheres de Maria Lamas mostra Maria Lamas (1893-1983) no seu esplendor: como fotógrafa-antropóloga, como tradutora, jornalista e articulista, investigadora, bem como outras dimensões do trabalho e ação desta mulher exemplar. Poderá ver a exposição até 28 maio 2024, diariamente das 10:00 às 18:00. [Texto de Teresa Vasconcelos]

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

Iniciativa ecuménica

Bispos latino-americanos criam Pastoral das Pessoas em Situação de Sem-abrigo novidade

O Conselho Episcopal Latino-Americano (Celam) lançou oficialmente esta semana a Pastoral das Pessoas em Situação de Sem-abrigo, anunciou o Vatican News. Um dos principais responsáveis pela iniciativa é o cardeal Luís José Rueda Aparício, arcebispo de Bogotá e presidente da conferência episcopal da Colômbia, que pretende que a nova “pastoral de rua” leve a Igreja Católica a coordenar-se com outras religiões e instituições já envolvidas neste trabalho.

Bispos latino-americanos criam Pastoral das Pessoas em Situação de Sem-abrigo

Iniciativa ecuménica

Bispos latino-americanos criam Pastoral das Pessoas em Situação de Sem-abrigo novidade

O Conselho Episcopal Latino-Americano (Celam) lançou oficialmente esta semana a Pastoral das Pessoas em Situação de Sem-abrigo, anunciou o Vatican News. Um dos principais responsáveis pela iniciativa é o cardeal Luís José Rueda Aparício, arcebispo de Bogotá e presidente da conferência episcopal da Colômbia, que pretende que a nova “pastoral de rua” leve a Igreja Católica a coordenar-se com outras religiões e instituições já envolvidas neste trabalho.

Número de voluntários na Misericórdia de Lisboa ultrapassa os 500… e mais serão bem-vindos

Inscrições abertas

Número de voluntários na Misericórdia de Lisboa ultrapassa os 500… e mais serão bem-vindos novidade

No último ano, o “número de voluntários na Misericórdia de Lisboa chegou aos 507”, refere a organização num comunicado divulgado recentemente, adiantando que o “objetivo é continuar a crescer”. “Os voluntários, ao realizarem uma atividade voluntária regular e sistemática, estão a contribuir para um mundo mais fraterno e solidário, estão a deixar a sua marca, aumentando capacidades e conhecimentos, diminuindo a solidão, promovendo diversão e alegria, e contribuindo para uma sociedade mais inclusiva”, realça Luísa Godinho, diretora da Unidade de Promoção do Voluntariado da Santa Casa.

Mais de 1.000 tibetanos detidos pelas autoridades chinesas após protestos pacíficos

Grupo de Apoio ao Tibete denuncia

Mais de 1.000 tibetanos detidos pelas autoridades chinesas após protestos pacíficos novidade

A polícia chinesa deteve mais de 1.000 pessoas tibetanas, incluindo monges de pelo menos dois mosteiros, na localidade de Dege (Tibete), na sequência da realização de protestos pacíficos contra a construção de uma barragem hidroelétrica, que implicará a destruição de seis mosteiros e obrigará ao realojamento dos moradores de duas aldeias. As detenções aconteceram na semana passada e têm sido denunciadas nos últimos dias por várias organizações de defesa dos direitos humanos, incluindo o Grupo de Apoio ao Tibete-Portugal.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This