Papa altera regra e confirma possibilidade de mulheres serem leitoras e acólitas, já praticada na maior parte das dioceses

| 12 Jan 21

Manifestação da Revolta das Mulheres na Igreja, em Madrid, no início de Março 2020: muitas reclamam mais possibilidades de participação, o Papa formaliza agora o que já se pratica em muitos sítios. Foto reproduzida da página da Revolta das Mulheres na Igreja, na rede social Twitter

 

Um motu proprio (decreto) do Papa Francisco publicado nesta segunda-feira confirma aquilo que já é prática na esmagadora maioria das paróquias e dioceses católicas: as mulheres passam a poder ser também, formalmente, leitoras e acólitas – ou seja, podem proclamar os textos bíblicos ou colaborar no serviço do altar, durante as eucaristias.

“É uma boa notícia”, comenta o bispo de Bragança, D. José Cordeiro, especialista em liturgia e membro da Comissão Episcopal de Liturgia e Espiritualidade (CELE). Em declarações ao 7MARGENS, este responsável diz que esta é uma prática já em todas as dioceses do país, com a excepção de alguns párocos que não aceitam a ideia de mulheres (ou raparigas) a ler ou a servir como acólitas.

“O gesto do Papa é o reconhecimento de um percurso que já se faz na Igreja e que passa a ser assinalado por um acto litúrgico”, diz o bispo português. Ou seja, de acordo com o decreto agora publicado, as mulheres podem também ser instituídas como leitoras e acólitas, “mediante o discernimento dos pastores e depois de una adequada preparação”. Além da possibilidade de acesso das mulheres aos dois ministérios, prevê-se que a decisão implique “estabilidade, reconhecimento público e um mandato do bispo”, tornando “mais efectiva na Igreja a participação de todos na obra de evangelização”.

Esta mudança, acrescenta o Papa, permite “também que as mulheres tenham uma incidência real e efectiva na organização, nas decisões mais importantes e na orientação das comunidades, mas sem deixar de o fazer com o estilo próprio da sua marca feminina.”

A decisão corresponde não só a uma prática instalada, mas também aos pedidos de vários sínodos de bispos, o último dos quais, o da Amazónia, que alertava para a necessidade de pensar em “novos caminhos para a ministerialidade eclesial”. É urgente, dizia o documento final da assembleia de Outubro de 2019, “que se promovam e se confiem ministérios a homens e mulheres”.

 

Reconhecimento de outros ministérios a caminho?

No documento, escrito em forma de carta dirigida ao prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé, cardeal Luis Ladaria, o Papa recorda a história para justificar a mudança: os ministérios de leitor e acólito – denominados como “ordens menores” – eram, até ao Concílio Vaticano II (1962-65), apenas degraus para poder ser ordenado padre. Como só os homens podem ser presbíteros, os “degraus” anteriores estavam também vedados às mulheres.

Só depois passaram a ser considerados autónomos e podendo ser exercidos também por leigos, o que permite agora a sua abertura às mulheres em plano de igualdade. “Uma distinção mais clara entre as atribuições dos que hoje se denominam ‘ministérios não ordenados (ou laicais)’ e ‘ministérios ordenados’ permite dissolver a reserva dos primeiros apenas aos homens”, explica o Papa. E, se mantém a interdição do acesso das mulheres ao sacerdócio, “para os ministérios não ordenados é possível, e hoje parece oportuno, superar esta reserva”.

Este reconhecimento, que passará a ser formalizado através de um rito litúrgico na celebração de uma missa e exigirá o estabelecimento de critérios, permitirá a “preciosa contribuição que desde há tempo muitíssimos leigos, e também as mulheres, dão à vida e à missão da Igreja”.

Assim, conclui o Papa, o “sacerdócio próprio de cada fiel e o sacerdócio dos ministros ordenados mostrar-se-ão ainda mais claramente relacionados entre si para a edificação da Igreja e o testemunho do Evangelho”.

Para a aplicação do motu proprio, as conferências episcopais terão de estabelecer agora critérios para a formação e o acesso de candidatos, sublinha o bispo José Cordeiro. Este responsável da CELE acrescenta que, além destes dois ministérios, outros podem ser consagrados formalmente, como os de catequista, ministros(as) extraordinários(as) da comunhão ou do acolhimento, um serviço que já existia em alguns casos mas se desenvolveu nos últimos meses, por causa das regras de segurança para controlar a pandemia.

Para já, também fica de fora a possibilidade de mulheres diáconos, já que o tema continua em discussão. Em Agosto, o Papa instituiu uma nova comissão para estudo do problema, de forma a que a averiguar se historicamente há razões para que as mulheres possam aceder aquele que, agora, é o primeiro “grau” do ministério ordenado.

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Crónica

Breves

Cardeal Tolentino Mendonça preside ao 13 de maio em Fátima

O cardeal José Tolentino Mendonça irá presidir à peregrinação aniversária de maio no Santuário de Fátima. A informação foi avançada à revista Família Cristã esta sexta-feira, 9 de abril, pelo também cardeal António Marto, bispo de Leiria-Fátima.

Ler Saramago em conjunto num zoom de Lisboa a Roma

O Ano da Morte de Ricardo Reis, de José Saramago, foi a obra escolhida para dar o mote ao encontro organizado por dois clubes de leitura, um de Roma, outro de Lisboa, que decorrerá via Zoom, dia 16 de abril, às 18h00. Uma segunda sessão, na qual participará Pilar del Rio, presidente da Fundação José Saramago, terá lugar a 25 de junho, também às 18h00. A inscrição é gratuita e está aberta a todos.

Monge condenado a dois anos de cadeia na Turquia por dar comida

O padre Sefer Bileçen, padre Aho no nome monástico, da Igreja Siríaca Ortodoxa, ofereceu comida a um grupo que bateu à porta do seu mosteiro. O Ministério Público turco disse que o grupo era do PKK e acusa-o de prestar auxílio a uma organização terrorista, como o Governo turco considera o PKK, que reivindica há décadas a independência do Curdistão.

Bênção de uniões homossexuais em debate na TSF

“Há portas que não devem ser fechadas, porque Deus é que está do outro lado dessas portas”, dizia, a terminar o debate, Jorge Teixeira da Cunha, padre e professor de Teologia Moral na Universidade Católica Portuguesa (UCP), no Porto. No programa Olhe Que Não, que passou nesta quarta-feira, 7 de abril, ao início da tarde, na TSF, com moderação do jornalista Pedro Pinheiro, discutiu-se o documento da Congregação para a Doutrina da Fé, do Vaticano, que respondia “negativo” a uma pergunta sobre se a Igreja não pode abençoar uniões homossexuais.

Inscreva-se aqui
e receba as nossas notícias

Boas notícias

É notícia

Quebra de receitas da principal Igreja financiadora do Vaticano

A Igreja Católica alemã, que é líder no contributo que dá habitualmente para as despesas da Santa Sé (juntamente com a dos EUA), teve “um verdadeiro colapso” nas receitas, em 2020, segundo dados divulgados pelo jornal Rheinische Post, citados por Il Messaggero.

Francisco corta 10% nos salários dos cardeais

O Papa Francisco emitiu um decreto determinando um corte de 10% nos salários dos cardeais, bem como a redução de pagamento a outros religiosos que trabalham na Santa Sé, com efeitos a partir de 1 de abril, divulgou o Vaticano esta quarta-feira, 24 de março. A medida, que não afeta os funcionários com salários mais reduzidos, visa salvar os empregos no Vaticano, apesar da forte redução das receitas da Santa Sé, devido à pandemia de covid-19.

Espanha: Consignações do IRS entregam 300 milhões à Igreja Católica

Os contribuintes espanhóis entregaram 301,07 milhões de euros à Igreja Católica ao preencherem a seu favor a opção de doarem 0,7% do seu IRPF (equivalente espanhol ao IRS português). Este valor, relativo aos rendimentos de 2019, supera em 16,6 milhões o montante do ano anterior e constitui um novo máximo histórico.

Entre margens

Liberdade ou o valor das pequenas coisas novidade

Vivemos dezenas de anos cheios de momentos especiais e de benefícios que insistimos em banalizar porque estavam ao nosso alcance, diria mesmo garantidos. Era pelo menos o que pensávamos. Atualmente parece que começamos a conhecer o valor das pequenas coisas e, se assim é, estamos a aprender uma grande lição.Muitas pessoas perdem tempo (gostava de poder dizer – perdiam) com detalhes que as coisificam.

Persistência da desigualdade: O que Kuznets não viu novidade

A área das desigualdades tem um problema que muitas outras áreas da economia não têm: falta de dados. Esta situação deve-se não só ao facto de no passado não se ter registado da melhor forma, ou de todo, dados a nível de desigualdades, como também ao facto de não ser fácil aferir a realidade, por exemplo, dos rendimentos mais altos da sociedade, para chegar aos indicadores.

A necessidade de fricção na comunicação

A comunicação é a capacidade que o ser humano desenvolveu para sobreviver ao longo dos milénios da nossa existência sobre a Terra. Por isso, qualquer coisa que afecta a nossa capacidade de comunicar, afecta a nossa sobrevivência. Assim, é legítimo questionar o que os meios de comunicação estão a fazer ao nosso modo de comunicar. Não me refiro, propriamente, aos que protagonizam esses meios, como os jornalistas, mas aos meios em si, sobretudo, os mais recentes como os que encontramos nos nossos telemóveis.

Cultura e artes

A torrente musical de “Spem in Alium”, de Thomas Tallis

Uma “torrente musical verdadeiramente arrasadora”, de esperança pascal, diz o padre Arlindo Magalhães, comentador musical, padre da diocese do Porto e responsável da comunidade da Serra do Pilar (Gaia), a propósito da obra de Thomas Tallis Spem in Alium (algo que se pode traduzir como “esperança para lá de todas as ameaças”).

A Páscoa é sempre “pagã”

A Páscoa é sempre pagã / Porque nasce com a força da primavera / Entre as flores que nos cativam com promessas de frutos. / Porque cheira ao sol que brilha na chuva / E transforma a terra em páginas cultivadas / Donde nascem os grandes livros, os pensamentos / E as cidades que se firmam em pactos de paz.

50 Vozes para Daniel Faria

Daniel Faria o último grande poeta português do século XX, morreu há pouco mais de vinte anos. No sábado, dia 10, assinala-se o 50.º aniversário do seu nascimento. A Associação Casa Daniel assinala a efeméride com a iniciativa “50 Vozes para Daniel Faria” para evocar os poemas e a memória do poeta.

“Sequência da Páscoa: uma das mais belas histórias do mundo”

Sem poder ir ao cinema para poder falar de um novo filme que, entretanto, tivesse estreado, porque estamos em tempo de Páscoa e porque temos ainda viva diante dos olhos a profética peregrinação do Papa Francisco ao Iraque – que não pode ser esquecida, mas sempre lembrada e posta em prática – resolvi escrever (para mim, a primeira vez neste lugar) sobre um filme profundamente pascal e actual: Dos Homens e dos Deuses (é quase pecado não ter experimentado a comoção de vê-lo). E não fui o único a fazê-lo por estes dias.

Sete Partidas

É o vírus, estúpido!

No princípio da semana (22 março),  Angela Merkel reuniu com os ministros-presidentes dos estados alemães para tomar decisões sobre o que fazer perante o actual descontrolo da situação na Alemanha. As hesitações dos políticos e os truques que alguns responsáveis regionais arranjaram para iludir as regras combinadas por todos foram fatais para a luta contra a mutação inglesa. Esta terceira vaga está a ser ainda mais rápida e avassaladora do que já se temia.

Aquele que habita os céus sorri

Agenda

Parceiros

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This