Papa anima Greta Thunberg a continuar luta contra alterações climáticas

| 18 Abr 19

Imagem do vídeo do El País no canal You Tube, num momento do diálogo do Papa com Greta Thunberg, nesta quarta-feira, 17.

 

A jovem activista Greta Thunberg, que dinamizou a “greve” dos estudantes contra as alterações climáticas e se tem empenhado na crítica à inacção dos políticos, teve nesta quarta-feira, 17 de Abril, um breve encontro com o Papa, no final da audiência-geral das quartas-feiras, na Praça de São Pedro. Greta agradeceu ao Papa o seu empenho na causa e Francisco também agradeceu à jovem sueca, de 16 anos, o seu empenho na causa e incentivou-a a continuar em frente, como conta o El País.

A jovem empunhava um cartaz que dizia Join the climate strike (une-te à greve pelo clima). Depois de um breve diálogo, o Papa animou-a prosseguir, abençoou a jovem e pediu-lhe que rezasse por ele.

Greta chegou a Roma depois de ter passado em Estrasburgo, onde falou diante do Parlamento Europeu, para participar em várias iniciativas. Esta quinta-feira, 18, intervém numa sessão no senado e na sexta participa numa marcha de jovens. Já estava prevista uma audiência de Greta com o Papa em Junho mas, como surgiram estes compromissos e a jovem não viaja de avião para evitar contaminar mais a atmosfera, os pais pediram a antecipação do encontro. Isso permitiu fazer a viagem Estocolmo-Roma em comboio, conta o El País, que recorda também o papel de Francisco nesta matéria.

Greta esteve em Katowice (Polónia), a participar na última Cimeira do Clima das Nações Unidas. “A nossa biosfera está a ser sacrificada oara que os ricos de países como o meu possam viver luxuosamente; mas o sofrimento de muitos está a pagar o luxo de alguns poucos.” Na mesma ocasião, o secretário de Estado do Vaticano, cardeal Pietro Parolin, referiu ideias semelhantes: “Não podemos esperar que as próximas gerações absorvam os problemas causados pelas anteriores, carregando-lhes com todo o peso desta responsabilidade. Isso seria inclusive menos aceitável se considerarmos o sentido de urgência tão claramente invocado pela comunidade científica.”

Artigos relacionados