Munique

Papa apoia cardeal Marx, mas recusa pedido de resignação

| 11 Jun 2021

Reinhard Marx Foto © Klaus D. Wolf/Erzbischöfliches Ordinariat München

Reinhard Marx Foto © Klaus D. Wolf/Erzbischöfliches Ordinariat München

O Papa Francisco não aceitou o pedido de resignação do cardeal Reinhardt Marx do cargo de arcebispo de Munique e Freising que este havia apresentado em maio último e anunciado publicamente na passada sexta-feira, dia 4.

Numa carta que lhe enviou, com data deste 10 de junho, menos de uma semana depois da divulgação da carta do cardeal, Francisco começa por agradecer a coragem de Marx. “É uma coragem cristã – sublinha – que não teme a cruz, não teme aniquilar-se perante a tremenda realidade do pecado. Isso é o que o Senhor fez (Carta aos Filipenses 2, 5-8). É uma graça que o Senhor te deu e vejo que queres assumi-la e guardá-la para que dê frutos. Obrigado”.

Referindo um passo do pedido de resignação em que o cardeal dizia que gostaria de dedicar os próximos anos “de forma mais intensa à pastoral e a lutar pela renovação espiritual da Igreja”, Francisco observa: “Esta é a minha resposta, querido irmão. Continua como propões, mas como arcebispo de Munique e Freising. E se te sentes tentado a pensar que, ao confirmar a tua missão e não aceitar a tua renúncia, este bispo de Roma (teu irmão que te ama) não te entende, pensa no que Pedro sentiu diante do Senhor quando, à sua maneira, apresentou-lhe a resignação: ‘afasta-te de mim, que sou um pecador’, e ouve a resposta: ‘apascenta as minhas ovelhas’”.

Sobre a crise sentida pelo próprio cardeal Marx, que é também crise da Igreja alemã e da Igreja Católica no seu todo, por causa do problema dos abusos sexuais do clero, Francisco adverte que “a Igreja hoje não pode dar um passo em frente sem assumir esta crise”. “A política de avestruz não leva a nada, e a crise deve ser assumida desde a nossa fé pascal” acrescenta.

O Papa adianta que esta crise é pessoal e também comunitária e concorda com Marx quanto ao modo como ele colocou o problema institucional. Concorda ainda com ele quando diz que “nem toda a gente quer aceitar essa realidade, mas é o único caminho, porque tomar “resoluções” de mudança de vida sem “colocar a carne na grelha” não leva a lugar nenhum. E, mais adiante, deixa este recado: “Portanto, na minha opinião, cada bispo da Igreja deve assumi-lo e perguntar-se: o que devo fazer diante desta catástrofe?”

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

Assembleia europeia do Sínodo

Um bispo, um padre e duas leigas na delegação portuguesa

A delegação portuguesa à assembleia continental europeia do Sínodo que vai decorrer em Praga de 5 a 12 de fevereiro é composta pelo bispo José Ornelas, presidente da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP), pelo padre Manuel Barbosa, secretário da CEP, e por Carmo Rodeia e Anabela Sousa, que fazem parte da equipa sinodal nacional. A informação foi divulgada esta quinta-feira, 2 de fevereiro, em nota enviada às redações.

Estudo decorre até 2028

A morte sob o olhar do cinema e da filosofia

O projeto “Film-philosophy as a meditation on death” (A filosofia do cinema como meditação sobre a morte), da investigadora portuguesa Susana Viegas, acaba de ser contemplado com uma bolsa de excelência do European Research Council, no valor de um milhão e setecentos mil euros, para um trabalho de equipa de cinco anos.

Normas inconstitucionais

Eutanásia: CEP e Federação Portuguesa pela Vida saúdam decisão do TC

O secretário da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) saudou a decisão do Tribunal Constitucional (TC), que declarou inconstitucionais algumas das normas do decreto sobre a legalização da eutanásia. “A decisão do TC vai ao encontro do posicionamento da CEP, que sempre tem afirmado a inconstitucionalidade de qualquer iniciativa legislativa que ponha em causa a vida, nomeadamente a despenalização da eutanásia e do suicídio assistido”, disse à agência Ecclesia o padre Manuel Barbosa.

Um grande equívoco

Um grande equívoco novidade

O recente debate sobre o palco da Jornada Mundial da Juventude mostrou o que de pior existe na nossa sociedade: inveja, mediocridade e incapacidade de fazer. Quase todos ficaram mal na fotografia.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This