Fruto do Sinodo

Papa aprova estatutos da Conferência Eclesial da Amazónia

| 21 Out 2022

cardeal pedro barreto e bispo eugenio coter, da presidencia da CEAMA, com o papa Francisco em setembro de 2022, foto Vatican media

O cardeal Pedro Barreto e o bispo Eugenio Coter, da presidência da CEAMA, com o papa Francisco em setembro de 2022, aquando da entrega da proposta de estatutos do organismo. Foto © Vatican Media.

 

Há quem diga que se trata do “fruto mais visível e também profético do Sínodo da Amazónia”, não apenas na América Latina, mas para toda a Igreja: a Conferência Eclesial da Amazónia (CEAMA) foi esta quinta-feira, 20, reconhecida formal e canonicamente pelo Papa Francisco, que aprovou os seus estatutos.

A CEAMA nasceu em junho de 2020, oito meses após a celebração do Sínodo, durante o qual havia sido reconhecida “a necessidade de criar um organismo episcopal que contribuísse para realizar um plano pastoral de conjunto para a região amazónica”. Os seus documentos estatutários haviam sido entregues há pouco mais de um mês, a 2 de setembro, e foram aprovados sem quaisquer alterações.

O vice-presidente da CEAMA, Mauricio López, sublinha que estes estatutos constituem um “instrumento necessário para continuar a avançar na missão no território Amazónico, com os seus povos e a Igreja que ali peregrina”. E recorda a forma carinhosa como o Papa Francisco, ao recebê-los no início do mês passado, descreveu a CEAMA: “uma pequena planta, recém-nascida, que precisa de tempo, cuidado, atenção, mas ao mesmo tempo não se pode colocar um bastão para tentar forçá-la numa direção específica de crescimento, e sim precisa de avançar, e este avanço terá sucessos, terá erros, mas é necessário avançar”.

Em declarações ao Vatican News, Mauricio López destaca que o importante é que “o Papa Francisco acredita no processo do Sínodo Amazónico, acredita nos frutos do discernimento da Igreja em peregrinação neste território, e a partir daí está a dar-nos as ferramentas necessárias para avançarmos”. Ele não hesita em afirmar que “a CEAMA é um meio, não é um fim, é um meio para levar adiante alguns dos desafios discernidos e frutos do Sínodo que exigem uma visão mais estrutural ou a longo prazo, e que nos chamam a uma perspectiva futura em complementaridade e subsidiariedade com a REPAM [Rede Eclesial Pan-Amazónica] e os muitos organismos que trabalham para tecer a vida neste território”.

Acima de tudo, conclui o vice-presidente da CEAMA, “sentimos O seu profundo amor por este território e pela sinodalidade que é um trabalho em andamento”.

 

De uma tragédia no mediterrâneo nasceu um presente para o Papa… e um apelo à esperança

Um ano depois do naufrágio

De uma tragédia no mediterrâneo nasceu um presente para o Papa… e um apelo à esperança novidade

Passou precisamente um ano desde aquela trágica noite em Cutro, no sul de Itália, em que um barco que saíra da Turquia com cerca de 200 migrantes a bordo colidiu com um banco de areia a cem metros da praia. O acidente custou a vida a 94 pessoas, 35 delas crianças. “Que o Senhor nos dê a força para entender e chorar”, disse então o Papa. E das lágrimas derramadas no luto surgiu uma ideia: transformar um pedaço daquele barco, símbolo de morte, num apelo à esperança. Assim nasceu o genuflexório que esta semana foi oferecido a Francisco.

As Fotografias de Maria Lamas

Fundação Gulbenkian: Exposição comemorações 50 anos do 25 de Abril

As Fotografias de Maria Lamas novidade

Mais uma exposição comemorando os 50 anos do 25 de Abril: na Fundação Gulbenkian As Mulheres de Maria Lamas mostra Maria Lamas (1893-1983) no seu esplendor: como fotógrafa-antropóloga, como tradutora, jornalista e articulista, investigadora, bem como outras dimensões do trabalho e ação desta mulher exemplar. Poderá ver a exposição até 28 maio 2024, diariamente das 10:00 às 18:00. [Texto de Teresa Vasconcelos]

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

Iniciativa ecuménica

Bispos latino-americanos criam Pastoral das Pessoas em Situação de Sem-abrigo novidade

O Conselho Episcopal Latino-Americano (Celam) lançou oficialmente esta semana a Pastoral das Pessoas em Situação de Sem-abrigo, anunciou o Vatican News. Um dos principais responsáveis pela iniciativa é o cardeal Luís José Rueda Aparício, arcebispo de Bogotá e presidente da conferência episcopal da Colômbia, que pretende que a nova “pastoral de rua” leve a Igreja Católica a coordenar-se com outras religiões e instituições já envolvidas neste trabalho.

Bispos latino-americanos criam Pastoral das Pessoas em Situação de Sem-abrigo

Iniciativa ecuménica

Bispos latino-americanos criam Pastoral das Pessoas em Situação de Sem-abrigo novidade

O Conselho Episcopal Latino-Americano (Celam) lançou oficialmente esta semana a Pastoral das Pessoas em Situação de Sem-abrigo, anunciou o Vatican News. Um dos principais responsáveis pela iniciativa é o cardeal Luís José Rueda Aparício, arcebispo de Bogotá e presidente da conferência episcopal da Colômbia, que pretende que a nova “pastoral de rua” leve a Igreja Católica a coordenar-se com outras religiões e instituições já envolvidas neste trabalho.

Número de voluntários na Misericórdia de Lisboa ultrapassa os 500… e mais serão bem-vindos

Inscrições abertas

Número de voluntários na Misericórdia de Lisboa ultrapassa os 500… e mais serão bem-vindos novidade

No último ano, o “número de voluntários na Misericórdia de Lisboa chegou aos 507”, refere a organização num comunicado divulgado recentemente, adiantando que o “objetivo é continuar a crescer”. “Os voluntários, ao realizarem uma atividade voluntária regular e sistemática, estão a contribuir para um mundo mais fraterno e solidário, estão a deixar a sua marca, aumentando capacidades e conhecimentos, diminuindo a solidão, promovendo diversão e alegria, e contribuindo para uma sociedade mais inclusiva”, realça Luísa Godinho, diretora da Unidade de Promoção do Voluntariado da Santa Casa.

Mais de 1.000 tibetanos detidos pelas autoridades chinesas após protestos pacíficos

Grupo de Apoio ao Tibete denuncia

Mais de 1.000 tibetanos detidos pelas autoridades chinesas após protestos pacíficos novidade

A polícia chinesa deteve mais de 1.000 pessoas tibetanas, incluindo monges de pelo menos dois mosteiros, na localidade de Dege (Tibete), na sequência da realização de protestos pacíficos contra a construção de uma barragem hidroelétrica, que implicará a destruição de seis mosteiros e obrigará ao realojamento dos moradores de duas aldeias. As detenções aconteceram na semana passada e têm sido denunciadas nos últimos dias por várias organizações de defesa dos direitos humanos, incluindo o Grupo de Apoio ao Tibete-Portugal.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This