Mudanças na Doutrina da Fé

Papa “castiga” bispo que “proibiu” bênçãos homossexuais

| 10 Jan 2022

Adivinham-se mudanças profundas na Congregação para a Doutrina da Fé. Foto: DR/7Margens.

 

A revista America, dos jesuítas dos Estados Unidos, fala de um primeiro passo dado pelo Papa Francisco, nesta segunda-feira, 10 de Janeiro, para reorganizar a Congregação para a Doutrina da Fé (CDF), um dos dois organismos mais importantes do Vaticano, a par da Secretaria de Estado: o número dois da CDF, que terá sido o responsável pelo polémico documento do ano passado sobre a interdição de bênçãos de casais do mesmo sexo, foi nomeado para uma diocese italiana, deixando o lugar no Vaticano.

O arcebispo Giacomo Morandi, actual secretário da Congregação, foi escolhido para bispo da diocese italiana de Reggio Emilia-Guastalla. A mudança equivale a uma despromoção, diz a America: tendo o título de arcebispo, Morandi vai para uma “pequena” diocese, não para uma arquidiocese, como seria normal. O título de arcebispo será mantido pelo próprio, anunciou o Vaticano.

Morandi foi considerado por vários meios de comunicação como estando por detrás do documento de Março do ano passado que indignou a comunidade gay, para a qual Francisco tem pedido mais acolhimento no interior da Igreja. O documento dizia que a Igreja Católica não abençoa as uniões homossexuais porque Deus “não pode abençoar o pecado”. O documento, como é normal nestes casos, dizia que o Papa tinha sido informado do seu conteúdo, mas muitos comentários apontaram o “facto consumado” com que o Papa teria sido confrontado.

A CDF tem por missão interpretar a doutrina para a Igreja Católica universal, sancionando dissidências e tratando de casos de abuso sexual de menores por parte do clero. Morandi entrou para a CDF como subsecretário em 2015 e foi promovido a secretário, o número dois, em 2017.

A America recorda que o Papa Francisco tem protagonizado vários gestos de aproximação aos católicos homossexuais. Recentemente, o Papa escreveu uma carta à irmã Jeannine Gramick, que em tempos tinha sido sancionada pela CDF, pelos seus 50 anos de ministério junto da comunidade LGBTQ.

Actualmente, o responsável da Congregação é o cardeal jesuíta Luis Ladaria, que completa 78 anos em Abril, três anos para além da idade normal de reforma dos bispos – o que o deve levar deixar o cargo em breve.

A mudança de Morandi e a possível saída de Ladaria sugerem, acrescenta a America, que podem estar para breve mudanças profundas na Congregação. Mas estas podem ser anunciadas apenas quando for divulgada a nova constituição apostólica que regulará o funcionamento da Cúria Romana, o que poderá acontecer até à Páscoa, se estiverem concluídas as traduções do documento para as diferentes línguas.

 

Papa Francisco no Congo: A ousadia de mostrar ao mundo o que o mundo não quer ver

40ª viagem apostólica

Papa Francisco no Congo: A ousadia de mostrar ao mundo o que o mundo não quer ver novidade

O Papa acaba de embarcar naquela que tem sido descrita como uma das viagens mais ousadas do seu pontificado, mas cujos riscos associados não foram motivo suficiente para que abdicasse de a fazer. Apesar dos problemas de saúde que o obrigaram a adiá-la, Francisco insistiu sempre que queria ir à República Democrática do Congo e ao Sudão do Sul. Mais do que uma viagem, esta é uma missão de paz. E no Congo, em particular, onde os conflitos já custaram a vida de mais de seis milhões de pessoas e cuja região leste tem sido atingida por uma violência sem precedentes, a presença do Papa será determinante para mostrar a toda a comunidade internacional aquilo que ela parece não querer ver.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

Normas inconstitucionais

Eutanásia: CEP e Federação Portuguesa pela Vida saúdam decisão do TC novidade

O secretário da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) saudou a decisão do Tribunal Constitucional (TC), que declarou inconstitucionais algumas das normas do decreto sobre a legalização da eutanásia. “A decisão do TC vai ao encontro do posicionamento da CEP, que sempre tem afirmado a inconstitucionalidade de qualquer iniciativa legislativa que ponha em causa a vida, nomeadamente a despenalização da eutanásia e do suicídio assistido”, disse à agência Ecclesia o padre Manuel Barbosa.

Eutanásia: CEP e Federação Portuguesa pela Vida saúdam decisão do TC

Normas inconstitucionais

Eutanásia: CEP e Federação Portuguesa pela Vida saúdam decisão do TC novidade

O secretário da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) saudou a decisão do Tribunal Constitucional (TC), que declarou inconstitucionais algumas das normas do decreto sobre a legalização da eutanásia. “A decisão do TC vai ao encontro do posicionamento da CEP, que sempre tem afirmado a inconstitucionalidade de qualquer iniciativa legislativa que ponha em causa a vida, nomeadamente a despenalização da eutanásia e do suicídio assistido”, disse à agência Ecclesia o padre Manuel Barbosa.

Debate: Deficiência, dignidade e realização humana

Debate: Deficiência, dignidade e realização humana novidade

Quando ambos falamos de realização humana, talvez estejamos a referir-nos a coisas diferentes. Decerto que uma pessoa com deficiência pode ser feliz, se for amada e tiver ao seu alcance um ambiente propício à atribuição de sentido para a sua existência. No entanto, isso não exclui o facto da deficiência ser uma inegável limitação a algumas capacidades que se espera que todos os seres humanos tenham (e aqui não falo de deficiência no sentido da nossa imperfeição geral).

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This