Possível encontro com Cirilo

Papa confirma intenção de ir a Kiev “se for conveniente”

| 3 Abr 2022

Conferência de imprensa do Papa Francisco no voo de regresso a Roma, vindos de Malta. Foto © Vatican Media

Conferência de imprensa do Papa Francisco no voo de regresso a Roma, vindos de Malta. Foto © Vatican Media

 

Depois de ter levantado a hipótese, no voo que o levava a Malta, de se poder deslocar a Kiev, o Papa Francisco foi mais claro nesta sua intenção durante o voo de regresso a Roma. Questionado pelos jornalistas, confirmou que uma eventual visita à Ucrânia está “em cima da mesa”, projetando ainda um encontro com o patriarca Cirilo, do Patriarcado Ortodoxo de Moscovo e o trabalho de bastidores da diplomacia do Vaticano.

“Estou disposto a fazer o que for preciso, e a Santa Sé, especialmente o lado diplomático, o cardeal (Pietro) Parolin [secretário de Estado] e D. (Paul Richard) Gallagher [secretário para as relações com os Estados], estão a fazer de tudo, mas tudo – não podemos publicar tudo o que fazem, por prudência, por sigilo, mas estamos no limite”, disse aos jornalistas, no voo de regresso a Roma, desde Malta, citado pela Ecclesia.

Numa breve conferência de imprensa, após a visita de dois dias à ilha do Mediterrâneo, Francisco reforçou o que tinha dito aos profissionais da comunicação, este sábado, à partida para a viagem. “Alguém mo perguntou, mais do que um, e eu disse com sinceridade que tinha em mente ir lá [Ucrânia], que há sempre disponibilidade, não há ‘não’, estou disponível”, precisou, adiantando que “não sei se poderá ser feita, se é conveniente fazê-la; se fazê-la seria o melhor ou se é conveniente fazê-la, se a devo fazer, tudo isso está no ar”.

Francisco adiantou também, sem ser questionado, que está a ser preparado um encontro com o patriarca Cirilo, com quem se reuniu pela primeira vez na história em Cuba, há seis anos. “Estamos a pensar no Médio Oriente para o fazer, é assim que as coisas estão agora”, indicou.

No voo de regresso, Francisco recordou também os jornalistas que morreram durante a guerra na Ucrânia, elogiando o papel da imprensa ao serviço do “bem comum”. “Gostaria de apresentar as condolências pelos vossos colegas que morreram”, disse Francisco aos jornalistas, cerca de 70 profissionais, que o acompanharam no voo de regresso a Roma, após uma viagem de dois a Malta.

A conversa, que durou cerca de 20 minutos, evocou os jornalistas no cenário de guerra, “estejam de que parte estiverem, não interessa”. “O vosso trabalho é pelo bem comum e essas pessoas morreram em serviço pelo bem comum. Pela informação. Não nos esqueçamos delas”, declarou o Papa.

“Foram corajosos e eu rezo por eles, para que o Senhor recompense o seu trabalho”, acrescentou.

Francisco disse ainda manter contactos regulares, “a cada dois ou três dias”, com a jornalista argentina Elisabetta Piqué, que estava em Lviv e agora em Odessa, na Ucrânia, para se informar sobre a situação no terreno.

Até ao momento há relato de sete mortes de jornalistas, desde o início da invasão russa da Ucrânia: Maks Levin, Pierre Zakrzewski, Oleksandra Kuvshynova, Oksana Baulina, Brent Renaud, Viktor Dêdov e Evgeny Sakun.

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Clero de Angra pede “incremento da pastoral vocacional” assente no “testemunho do padre”

Face a "descredibilização" dos presbíteros

Clero de Angra pede “incremento da pastoral vocacional” assente no “testemunho do padre” novidade

Reconhecendo que o contexto da Igreja universal “é caracterizado pela descredibilização do clero provocada por diversas crises, pela redução do número de vocações ao sacerdócio ministerial e pela situação sociológica de individualismo e de crescente indiferença perante a questão vocacional”, os representantes do Clero diocesano de Angra (Açores) defendem o incremento da “pastoral vocacional assente na comunidade, sobretudo na família e no testemunho do padre”.

Por uma transumância outra

Por uma transumância outra novidade

Este texto do Padre Joaquim Félix corresponde à homilia do Domingo IV da Páscoa na liturgia católica – último dia da semana de oração pelas vocações – proferida nas celebrações eucarísticas das paróquias de Tabuaças (igreja das Cerdeirinhas), Vilar Chão e Eira Vedra (arciprestado de Vieira do Minho).  

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This