Para quarta-feira, 26 de janeiro

Papa convoca oração pela paz na Ucrânia

| 23 Jan 2022

O conflito na Ucrânia teve início em 2014. Foto © Józef Wenskowicz 

O Papa Francisco mostrou neste domingo, 23, a sua preocupação com o aumento da tensão na Ucrânia ao convocar para a próxima quarta-feira, 26, uma jornada de oração pela paz. “Sigo com preocupação o aumento das tensões que ameaçam infligir um novo golpe à paz, na Ucrânia e colocam em causa a segurança no continente europeu, com repercussões ainda mais vastas”, disse, no Vaticano, após a recitação da oração do Ângelus, citado pela Ecclesia.

A Praça de S. Pedro lotada de peregrinos ouviu o Papa deixar votos de que “cada ação e iniciativa política estejam ao serviço da fraternidade humana, mais do que de interesses particulares”. “Quem persegue os seus próprios interesses, prejudicando os outros, despreza a sua vocação de homem, porque todos fomos criados como irmãos”, advertiu.

O conflito na Ucrânia está centrado na difícil relação entre o governo de Kiev e os separatistas pró-russos e já fez, desde 2014, mais de 13 mil mortos. Por isso, o Papa pediu que todas as pessoas de boa vontade se unam ao seu apelo e “elevem orações a Deus omnipotente”. “Por isso, e com preocupação, vistas as atuais tensões, proponho que a próxima quarta-feira, 26 de janeiro, seja uma jornada de oração pela paz”, anunciou.

 

Os confins da fenomenologia

Emmanuel Falque na Universidade de Coimbra novidade

Reflectir sobre os confins da fenomenologia a partir do projecto filosófico de Emmanuel Falque é o propósito da Jornada Internacional de Estudos Filosóficos, “O im-pensável: Nos confins da fenomenalidade”, que decorrerá quinta-feira, dia 26 de Maio, na Universidade de Coimbra (FLUC – Sala Vítor Matos), das 14.00 às 19.00. O filósofo francês intervirá no encerramento da iniciativa.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

“A grande substituição”

[Os dias da semana]

“A grande substituição” novidade

Outras teorias da conspiração não têm um balanço igualmente inócuo para apresentar. Uma delas defende que estamos perante uma “grande substituição”; não ornitológica, mas humana. No Ocidente, sustentam, a raça branca, cristã, está a ser substituída por asiáticos, hispânicos, negros ou muçulmanos e judeus. A ideia é velha.

Humanizar não é isolar

Humanizar não é isolar novidade

É incontestável que as circunstâncias de vida das pessoas são as mais diversas e, em algumas situações, assumem contornos improváveis e, muitas vezes, indesejáveis. À medida que se instalam limitações resultantes ou não de envelhecimento, alguns têm de habitar residências sénior, lares de idosos, casas de repouso,…

Agenda

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This