Papa doa 750 mil dólares para ajudar áreas de missão afetadas pela pandemia

| 8 Abr 20

O Papa Francisco criou um fundo solidário com uma contribuição inicial de 750.000 dólares (perto de 700 mil euros) para ajudar as áreas onde a Igreja desenvolve trabalhos de missão, particularmente em África e na América Latina, onde a escassez de meios, unida à disseminação do coronavírus, poderá originar situações dramáticas.

O fundo foi anunciado esta segunda-feira, dia 6, através das Obras Missionárias Pontifícias (OMP), o canal oficial da Igreja Católica para apoiar mais de 1100 dioceses, especialmente na Ásia, África, Oceânia e parte da região Amazónica, divulgou o portal Vatican News. Qualquer entidade ou pessoa individual poderá, a partir de agora, acrescentar o seu próprio contributo àquele que foi instituído por Francisco (através do NIB da administração das OMP: IT84F020080505075000102456047 – SWIFT UNCRITMMM, com a indicação de “Fundo Coronavírus”.

O Papa “está a convocar toda a vasta rede da Igreja para enfrentar os desafios que nos esperam”, comentou o cardeal Luis Tagle, prefeito da Congregação para a Evangelização dos Povos. “Na sua tarefa de evangelização, a Igreja está muitas vezes na vanguarda das principais ameaças ao bem-estar humano. Só em África, existem mais de 74 mil religiosas e mais de 46 mil sacerdotes que administram 7.274 hospitais e clínicas, 2.346 casas para idosos e pessoas vulneráveis. Eles educam mais de 19 milhões de crianças em 45.088 escolas primárias. Em muitas áreas rurais, são os únicos que dão assistência de saúde e educação”, sublinhou.

O presidente das Obras Pontifícias Missionárias, o bispo Giampietro Dal Toso, salientou por seu lado que esta rede irá “demonstrar que ninguém está sozinho nesta crise”. As “instituições e os ministros da Igreja desempenham um papel vital. Esta é a intenção do Santo Padre na criação deste fundo”.

 

Padres de Bérgamo renunciam a 3 meses de salário

Também o bispo de Bérgamo, uma das regiões italianas mais afetadas pela pandemia de covid-19, tomou a iniciativa de criar um fundo solidário, desta feita a nível local. Para isso, desafiou todos os padres da diocese a oferecerem três meses dos seus ordenados. O fundo destina-se a ajudar as famílias e instituições em dificuldade na região.

Numa carta enviada ao clero de Bérgamo no Domingo de Ramos, 5 de Abril, Francesco Beschi agradeceu a valentia e sacrifício que os padres têm tido no exercício da sua missão pastoral e explicou que “a diocese está a trabalhar no projeto de um fundo de solidariedade que testemunhe a proximidade da Igreja, particularmente em relação à família, ao mundo do trabalho, às instituições educativas e assistenciais, e aos pobres”.

O bispo propôs ainda um gesto para recordar as pessoas que morreram durante a pandemia – entre as quais, mais de 50 padres. “A seu tempo, consoante as disposições do governo, gostaria de celebrar (…) uma eucaristia por todos os defuntos; parece-me oportuno que isto aconteça também em todas as paróquias”, sugeriu.

Artigos relacionados