Papa doa dinheiro a Moçambique e Síria e reforça poderes da Autoridade Financeira

| 8 Dez 2020

D. Luiz Fernando Lisboa. Pemba. Papa Francisco

O bispo de Pemba com o Papa Francisco: Luiz Fernando Lisboa diz que as referências de Francisco à situação de Cabo Delgado ajudaram a uma maior atenção sobre o que ali se passa. Foto: Direitos reservados.

 

O Papa Francisco decidiu doar 100 mil euros para apoiar deslocados da violência em Cabo Delgado, norte de Moçambique, disse este domingo o bispo de Pemba, Luiz Fernando Lisboa. O dinheiro servirá para erguer dois postos de saúde.

“Num gesto de caridade pastoral, o Papa Francisco ofereceu 100 mil euros para podermos aplicar no atendimento aos deslocados”, referiu o bispo neste domingo, 6, à agência Lusa, citada pela TSF.

Depois de algumas conversas a nível local, foi decidido que o donativo devia servir para construir “dois postos de saúde, um em Chiúre, o distrito mais populoso de Cabo Delgado, e outro em Montepuez”, sudoeste da província, longe dos ataques de rebeldes e um dos locais seguros que os deslocados em fuga tentam alcançar.

Os cuidados de saúde estão entre as principais necessidades das famílias que fogem dos ataques terroristas de que a província de Cabo Delgado (Norte de Moçambique) tem sido vítima. Metade dos deslocados são crianças.

“Como homenagem, vamos dar o nome de Papa Francisco” aos novos postos de saúde, referiu o bispo Luiz Lisboa. Dentro de dois a três meses as duas unidades deverão começar a atender deslocados.

O bispo de Pemba considera importante o apoio de figuras mobilizadoras como o Papa Francisco para que mais doações possam chegar a Cabo Delgado, onde persiste um défice de ajuda humanitária face à dimensão da crise.

“Se a guerra terminasse hoje, íamos precisar ainda de vários anos para reconstruir” o tecido social da província, referiu.

Francisco tem mostrado proximidade com o drama que se vive no Norte de Moçambique “desde há muitos meses” e mais explicitamente “no dia de Páscoa, em que falou da crise humanitária”.

Depois de o Papa referir Cabo Delgado “houve uma maior abertura por parte de muitos grupos, organizações e inclusive de vários países”, diz o bispo.

O Programa Alimentar Mundial (PAM) anunciou em Novembro que teria de reduzir o apoio alimentar devido ao subfinanciamento da sua actividade.

Luiz Fernando Lisboa destaca esse alerta como um sinal da necessidade de “intensificar a campanha” de apoio a Cabo Delgado, “no sentido de se conseguirem mais apoios”.

A violência já terá provocado duas mil mortes e 500 mil deslocados, que ficaram sem habitação, nem comida, concentrando-se muitos deles sobretudo na capital provincial, Pemba.

O maior investimento privado de África, para exploração de gás natural, situa-se neste momento em Cabo Delgado. A província está desde há três anos a sofrer ataques terroristas. Desde 2019, alguns dos ataques foram reivindicados pelo Daesh.

 

Autoridade Financeira com mais poderes

Já no sábado, o núncio apostólico (embaixador) do Vaticano na Síria anunciou que o Papa iria doar “cerca de 60 mil euros a cada uma das dioceses sírias para ajudar os mais necessitados”.

Citado pelo Religión Digital, Mario Zenari afirmou que metade do valor será entregue ainda este mês, e o restante em Março de 2021. O núncio recorda que, em 2017, tinham já chegado 107 milhões de dólares (o equivalente a cerca de 88 milhões de euros) com origem nos donativos de católicos de todo o mundo à Cáritas do país, bem como a outras instituições de ajuda humanitária, o que demonstra “a preocupação do Papa por aquela que ele chama de ‘sua amada Síria‘”.

Também no sábado, o Papa Francisco publicou um decreto que reformula a unidade do Vaticano para a luta contra branqueamento de capitais, que se passa a denominar Autoridade de Supervisão e Informação Financeira (ASIF).

A antiga Autoridade de Informação Financeira, criada por Bento XVI, antecessor de Francisco, tem agora novo estatuto e poderes reforçados, como explica o seu presidente, Carmelo Barbagallo, em entrevista ao portal Vatican News, citada na Ecclesia.

Segundo o responsável italiano, a mudança insere-se na tentativa de reforçar “os controlos do campo económico-financeiro”, na actividade do Estado do Vaticano e dos organismos da Santa Sé.

O organismo vê agora consagrada a dimensão de “supervisão”, que se acrescenta à função de combate à lavagem de dinheiro e ao financiamento do terrorismo, assumidas desde a sua criação, em 2013.

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Cruz Vermelha quer levar ajuda urgente às vítimas das cheias no Brasil

Apelo internacional

Cruz Vermelha quer levar ajuda urgente às vítimas das cheias no Brasil novidade

Com o objetivo de “aumentar a assistência humanitária às comunidades afetadas pelas devastadoras inundações no Rio Grande do Sul, no Brasil”, a Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho (FICV) lançou um “apelo de emergência de cerca de oito milhões de euros”, anunciou a Cruz Vermelha Portuguesa (CVP), na última quarta-feira, 22 de maio.

A Dignidade da pessoa humana como prioridade

A Dignidade da pessoa humana como prioridade novidade

Na semana depois de Pentecostes é oportuno recordar a publicação da declaração Dignitas Infinita sobre a Dignidade Humana, elaborada durante cinco anos e divulgada pelo Dicastério para a Doutrina da Fé, pondo a tónica na dimensão universal, filosófica e antropológica, do respeito pela pessoa humana enquanto fator de salvaguarda dos direitos humanos, do primado da justiça e do reconhecimento de que todos os seres humanos como livres e iguais em dignidade e direitos.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This