Bispo sancionado secretamente

Papa fala sobre o caso dos abusos de Ximenes Belo

| 26 Jan 2023

Ximenes Belo, Timor-Leste

Ximenes Belo, antigo bispo de Díli, foi acusado de abusos sexuais que terão sido praticados na década de 90. Foto: Direitos reservados

 

Ximenes Belo, bispo emérito de Timor-Leste, foi sancionado secretamente devido a denúncias de abusos de dois menores, de que o Vaticano teve conhecimento, que terão sido praticados na década de 90 do século passado. Quem o afirma é o Papa Francisco, numa entrevista à Associated Press, cujo teor tem vindo a ser divulgado nos últimos dias.

Segundo o Papa, as denúncias chegaram a Roma em 2019 e o Vaticano decidiu aplicar sanções ao Nobel da Paz no ano seguinte. Mas quando interrogado sobre como explicar uma exoneração do cargo autorizada pelo Papa João Paulo II em 2002, bastante antes do tempo regulamentar, passando Ximenes Belo, tal como outros antes dele, a reformar-se tranquilamente evitando ter de responder pelos atos cometidos, Francisco respondeu:

“Noutros tempos era assim que se lidava com estas situações, não havia a sensibilidade que hoje existe”.  “Quando, em setembro passado, surgiram [na revista holandesa De Groene Amsterdammer] revelações sobre o bispo de Timor-Leste, eu disse: ‘sim, deixem-no ficar às claras.’ Não o vou encobrir”.

Num momento particularmente interessante da entrevista, o Papa Francisco como que convoca a jornalista da AP para testemunha de que ele próprio mudou a sua atitude e comportamento, nomeadamente em 2018, com o caso do encobrimento dos bispos chilenos.

Esse “momento de conversão” passou-se depois de o Papa ter desacreditado publicamente as vítimas do padre predador mais notório do Chile. Na viagem de regresso, foram vários os jornalistas que o interpelaram, incluindo Nicole Winfield.

“Eu não conseguia acreditar. Foi você que me disse no avião: ‘Não, não é assim, padre’”, disse Francisco.

Fazendo um gesto que indicava que sua cabeça tinha explodido, o Papa continuou: “Foi quando a bomba explodiu, quando vi a corrupção de muitos bispos nisso”.

“Você foi testemunha de que eu mesmo tive que acordar para casos que estavam todos encobertos, não foi?”, disse ele.

E a jornalista conclui:

“Francisco reconheceu que a Igreja Católica ainda tem um longo caminho a percorrer para lidar com o problema, dizendo que é necessária mais transparência e que os líderes da Igreja devem falar mais sobre o abuso de ‘adultos vulneráveis’”.

Da conversa com Francisco, a jornalista refere que o Papa lhe transmitiu que tem, ultimamente, estado a lidar com casos de “adultos vulneráveis” que foram vítimas de abuso sexual e que o código de direito canónico do Vaticano considera menores, em processos internos.

Na linha de medidas tomadas pelo Vaticano em 2019, no sentido de ampliar o sentido de “vulnerabilidade”, Francisco explicou que há várias situações em que um adulto pode ser considerado vulnerável.

“Pode-se ser vulnerável por doença, pode-se ser vulnerável por incapacidades psicológicas e pode-se ser vulnerável devido à dependência”, disse ele. “Às vezes há sedução. Uma personalidade que seduz, que manipula a consciência de outrem cria uma relação de vulnerabilidade, e aí essa pessoa fica presa”, disse ainda Francisco, encostando os punhos, como se estivesse algemado.

 

Ateu ou cristão, qualquer um frequenta esta missão

Iniciativa da pastoral universitária

Ateu ou cristão, qualquer um frequenta esta missão novidade

Para entrar na Missão País, não é preciso ser-se católico praticante. Basta levar consigo a fé e o espírito de serviço. A iniciativa é desenvolvida em várias universidades e quer “inspirar gerações a viver a fé católica em missão”. Entre 11 e 18 de fevereiro, 59 jovens universitários viveram em Mogadouro, no distrito de Bragança, onde desenvolveram trabalho voluntário no lar de idosos e no centro infantil. O 7MONTES recolheu testemunhos de quem viveu esta experiência por “dentro” e de “fora”.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

Conselho Português de Igrejas Cristãs apela a voto que “salvaguarde conquistas” do 25 de Abril

Rejeitando "discursos políticos autoritários"

Conselho Português de Igrejas Cristãs apela a voto que “salvaguarde conquistas” do 25 de Abril novidade

O Conselho Português de Igrejas Cristãs (COPIC) apela ao voto “de todas e todos” os portugueses nas legislativas de março, e também nas eleições para o parlamento Europeu que irão acontecer em junho, “como forma de participação cívica e de salvaguarda das conquistas e desenvolvimentos alcançados ao longo de 50 anos de democracia”, aludindo assim ao aniversário do 25 de Abril que este ano se assinala.

Seis religiosos, um padre e um professor católicos raptados no Haiti

Igreja particularmente ameaçada

Seis religiosos, um padre e um professor católicos raptados no Haiti novidade

Um padre que acabava de celebrar missa na capela de N. Sra de Fátima, seis Irmãos do Sagrado Coração e um professor leigo que se dirigiam para a escola católica João XXIII, ambas no centro de Porto Príncipe (capital do Haiti), foram raptados na passada sexta-feira por um gangue que está neste momento a exigir à Igreja Católica do Haiti elevados resgates para libertá-los,

A Loucura do Bem Comum

A Loucura do Bem Comum novidade

O auditório está quase cheio e no pequeno palco alguém inicia a conferência de abertura. Para me sentar, passo frente a quem chegou a horas e tento ser o mais discreta possível. Era o primeiro tempo do PARTIS (Práticas Artísticas para a Inclusão Social) de 2024 na Fundação Gulbenkian. O tema “Modelos de escuta e participação na cultura” desafiou-me a estar e ganhei esse tempo! [Texto Ana Cordovil]

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This