Papa Francisco ajuda grupo de prostitutas e transexuais

| 6 Mai 20

Blessed Virgin of the Immaculate church on Piazza Ungheria in Torvaianica, Italy. (Photo by Andy90 at Italian Wikipedia_Creative Commons)

Igreja da Imaculada Conceição de Torvaianica. Foto © Andy90/Wikipedia Creative Commons

 

O Papa Francisco enviou dinheiro a um grupo de prostitutas e transexuais que lhe escreveram, pedindo ajuda. O grupo, composto por cerca de 20 mulheres maioritariamente oriundas da América Latina e a viver no litoral de Roma, viu-se sem rendimentos devido à pandemia de covid-19 e começou por recorrer ao pároco local, Andrea Connochia. O padre, não tendo meios suficientes para ajudar, sugeriu que se dirigissem ao Papa. A resposta não se fez esperar.

Algumas das cartas, escritas há duas semanas, tinham, entre as letras, pequenos borrões de tinta devido às lágrimas que as pessoas choraram ao escrevê-las, conta o padre Andrea, citado pelo jornal digital Aleteia. “Choraram pela dor, pela vergonha, pela marginalização, pela saudade e pelas vidas que levavam… Uma delas contou ao Papa” que é seropositiva, contou.

O próprio padre foi entregar pessoalmente as cartas ao esmoleiro apostólico, o cardeal Konrad Krajewski. Alguns dias depois, o grupo recebeu uma mensagem de Francisco, e com ela uma ajuda financeira da Esmolaria Apostólica.

Esta não é a primeira vez que o Papa expressa a sua proximidade em relação aos transexuais. Na Quinta-feira Santa de 2015, durante a missa da Última Ceia celebrada na prisão romana de Rebibbia, Francisco lavou os pés a uma mulher transexual. Nesse mesmo ano, recebeu em audiência privada um homem transexual e a sua esposa.

“O Papa pede-nos para chamarmos as pessoas pelos seus nomes, sem adjetivos”, recorda o padre Andrea, sublinhando que este grupo teve “muita coragem em pedir ajuda”, pois “não podiam imaginar a reação ou acolhimento que teriam”.

Artigos relacionados

Pin It on Pinterest

Share This