Papa Francisco: as “histórias boas” dão-nos “força para prosseguirmos juntos”

| 22 Mai 20

Cópia de papa francisco Foto Vatican Media

“Cada história humana tem uma dignidade incancelável, por isso, a humanidade merece narrações que estejam à sua altura”, disse o Papa na sua mensagem. Foto © Vatican Media

“Para não nos perdermos, penso que precisamos de respirar a verdade das histórias boas: histórias que edifiquem, e não as que destruam; histórias que ajudem a reencontrar as raízes e a força para prosseguirmos juntos”. Começa assim a mensagem do Papa para o  Dia Mundial das Comunicações Sociais, que a Igreja Católica assinala a 24 de maio, mas que Francisco publicou a 24 de janeiro, dia da memória de São Francisco de Sales, padroeiro dos jornalistas, e em que parecia já adivinhar a importância que as “histórias boas” viriam a ter nos meses seguintes.

O título da mensagem, “Para que possas contar e fixar na memória. A vida faz-se história” é retirado do livro do Êxodo e através desta passagem Francisco pretende assinalar que o conhecimento de Deus se transmite sobretudo contanto histórias, “de geração em geração”. Jesus falava de Deus “com as parábolas” e “também os Evangelhos – não por acaso – são narrações”, recorda o Papa.

Assim, “depois de Deus se ter feito história, toda a história humana é, de certo modo, história divina”, explica Francisco. E defende: “Cada história humana tem uma dignidade incancelável, por isso, a humanidade merece narrações que estejam à sua altura”.

No final, o Papa pede a intercessão de Maria para “reconhecer o fio bom que guia a história”, e termina a mensagem com a seguinte prece: “Ajudai-nos a construir histórias de paz, histórias de futuro. E indicai-nos o caminho para as percorrermos juntos”.

O Dia Mundial das Comunicações Sociais foi instituído pelo Concílio Vaticano II, no decreto Inter Mirifica, em 1963. Assinala-se no domingo antes do Pentecostes e esta será a sua 54ª edição.

 

Artigos relacionados