Papa Francisco: Visita aos EAU escreve “nova página na história do diálogo entre o cristianismo e o islão”

| 6 Fev 19 | Diálogo ecuménico e inter-religioso, Papa Francisco, Últimas

Foto © Vicariato Apostólico do Sul da Arábia.

O Papa Francisco afirmou que a sua visita, esta semana, aos Emirados Árabes Unidos (EAU) escreveu “uma nova página na história do diálogo entre o cristianismo e o islão” e na promoção da paz mundial baseada na fraternidade.

Citado pela Associated Press, Francisco descreveu, na audiência geral das quartas-feiras, no Vaticano, o seu encontro com líderes muçulmanos como contrário à “forte tentação” de afirmar que há um choque cultural entre as civilizações cristã e islâmica.

Na sua intervenção, o Papa argentino revelou ter conhecido o sacerdote mais idoso do país que, aos 92 anos, na cadeira de rodas e cego, continua o seu trabalho, sempre com um sorriso no rosto. Relembrou ainda que esta visita foi realizada “oitocentos anos após a visita de São Francisco de Assis ao Sultão al-Malik al-Kamil.”

Aquando da visita papal, num encontro inter-religioso com vários representantes de diferentes credos, o Papa Francisco sublinhou o dever de os líderes espirituais rejeitarem a guerra: “A guerra nada mais pode criar senão miséria; as armas nada mais, senão morte! A fraternidade humana impõe-nos, a nós representantes das religiões, o dever de banir toda a nuance de aprovação da palavra guerra. Restituamo-la à sua miserável crueza. Estão sob os nossos olhos as suas consequências nefastas. Penso em particular no Iémen, na Síria, no Iraque e na Líbia.”

Com isto, condenou a violência em nome de Deus: “Todas as formas de violência devem ser condenadas sem hesitação…Nenhuma violência pode ser justificada em nome da religião.”

Na primeira missa celebrada por um Papa na Península Arábica, foram milhares os peregrinos que compareceram e rejubilaram com o acontecimento, como disse o Papa nesta manhã: “Neste oásis multiétnico e multirreligioso que são os Emirados Árabes Unidos, existe um bom número de cristãos, trabalhadores originários de vários países, para quem celebrei a santa missa no estádio da cidade, anunciando-lhes o Evangelho das Bem-aventuranças”. A maioria da população nacional dos EAU são muçulmanos mas 90% dos que lá habitam são emigrantes, incluindo aproximadamente 1,2 milhões de cristãos.

Rosalie Ayuso, emigrante das Filípinas, e o seu marido Paul viajaram do Dubai (onde vive a maior comunidade católica no Golfo) e não dormiram durante 24 horas para chegar a tempo. Mas, segundo ela, “há que fazer sacrifícios se eles compensam no final.”

À CNN, Fareed Morcos, 33, um espectador da missa, expressou o quão maravilhado se encontrava: “Não estamos numa igreja e mesmo assim estamos todos juntos. Estamos num país muçulmano! É uma experiência fantástica. Muito emocional e espiritual. Espero que possa continuar a acontecer.”

Breves

Portugal é o terceiro país mais pacífico do Mundo

O Índice Global de Paz de 2019, apresentado em Londres, considera Portugal o terceiro país mais pacifico em todo o Mundo, subindo do quarto lugar em que estava classificado no ano transacto e ficando apenas atrás da Islândia e da Nova Zelândia.

Boas notícias

É notícia 

Cultura e artes

Frei Agostinho da Cruz, um poeta da liberdade em tempos de Inquisição

“Poeta da liberdade”, que “obriga a pensar o que somos”, viveu em tempos de Inquisição, quando as pessoas com uma visão demasiado autónoma “não eram muito bem vistas”. Uma Antologia Poética de frei Agostinho da Cruz, que morreu há 400 anos, será apresentada esta sexta, 14 de Junho, numa sessão em que Teresa Salgueiro interpretará músicas com poemas do frade arrábido.

Pessoas

Sete Partidas

A Páscoa em Moçambique, um ano antes do ciclone – e como renasce a esperança

Um padre que passou de refugiado a conselheiro geral pode ser a imagem da paixão e morte que atravessou a Beira e que mostra caminhos de Páscoa a abrir-se. Na região de Moçambique destruída há um mês pelo ciclone Idai, a onda de solidariedade está a ultrapassar todas as expectativas e a esperança está a ganhar, outra vez, os corações das populações arrasadas por esta catástrofe.

Visto e Ouvido

Agenda

Jun
18
Ter
Debate sobre “Mulheres, Igreja e Jornalismo”, com Fausta Speranza @ Instituto Italiano de Cultura
Jun 18@18:30_20:00

Fausta Esperanza é jornalista, da redação internacional do L’Osservatore Roman, jornal oficial da Santa Sé; a moderação do debate é de Lurdes Ferreira; a sessão terá tradução simultânea em italiano e português.

Ver todas as datas

Entre margens

Nas margens da filosofia – Um Deus que nos desafia

No passado dia 11 de Maio, o 7MARGENS publicou uma entrevista de António Marujo ao cardeal Gianfranco Ravasi. A esta conversa foi dado o título “O problema não é saber se Deus existe: é saber qual Deus”. É um tema que vem de longe e que particularmente nos interpela, não tanto num contexto teológico/metafísico quanto no plano da própria acção humana.

Migração e misericórdia

O 7MARGENS publicou, já lá vão algumas semanas, uma notícia com declarações do cardeal Robert Sarah, que considerava demasiado abstracto e já cansativo o discurso de Francisco sobre estes temas. Várias pessoas, entre muitos apoiantes do Papa, têm levantado a mesma questão. E porque Francisco é exemplo de quem procura sem medo a verdade e tem o dom do diálogo estruturante, devem ser os amigos e apoiantes a escutá-lo criticamente.

A Teologia mata?

A pergunta parecerá eventualmente exagerada mas não deixa de ser pertinente. O que mais não falta por esse desvairado mundo é quem ande a matar o próximo em nome da sua crença religiosa.

Fale connosco