Em emotiva carta

Papa lamenta “terrível aumento” dos ataques contra judeus

| 5 Fev 2024

Papa Francisco durante audiência geral de 18 de outubro, Foto Vatican Media

Francisco confidencia que o seu “coração está dilacerado” pelo “poder de tanta divisão e de tanto ódio”, em particular depois de ter recebido recebido “numerosas mensagens e cartas” de “amigos e organizações judaicas de todo o mundo”. Foto © Vatican Media

 

Numa carta pública dirigida aos seus “irmãos e irmãs judeus em Israel”, o Papa expressou consternação com “o terrível aumento de ataques contra judeus em todo o mundo”, registado na sequência do conflito Israel-Palestina. Divulgada no passado sábado, 3 de fevereiro, depois de ter recebido em audiência privada o embaixador de Israel junto da Santa Sé, a missiva de Francisco responde a um apelo feito em novembro por cerca de 400 rabinos e académicos, para que a Igreja Católica atuasse “como um farol de clareza moral e conceptual no meio de um oceano de desinformação, distorção, e engano”.

“O caminho que a Igreja percorreu convosco, antigo povo da Aliança, rejeita todas as formas de antijudaísmo e antissemitismo, condenando inequivocamente as manifestações de ódio contra os judeus e o judaísmo como um pecado contra Deus”, começa por esclarecer Francisco na sua mensagem, para logo depois assegurar: “Juntamente convosco, nós, católicos, estamos muito preocupados com o terrível aumento dos ataques contra os judeus em todo o mundo. Esperávamos que ‘nunca mais’ fosse um refrão ouvido pelas novas gerações, mas agora vemos que o caminho a seguir requer uma colaboração cada vez mais estreita para erradicar estes fenómenos”, lamenta o Papa.

Referindo-se à “espiral de violência sem precedentes” em que a “Terra Santa foi precipitada desde 7 de outubro”, Francisco confidencia que o seu “coração está dilacerado” pelo “poder de tanta divisão e de tanto ódio”, em particular depois de ter recebido recebido “numerosas mensagens e cartas” de “amigos e organizações judaicas de todo o mundo”, a quem diz querer – com esta sua carta pública – abraçar, sobretudo “aqueles que estão consumidos pela angústia, pela dor, pelo medo e pelo ódio”.

Como o 7MARGENS noticiou na semana passada, durante o ano de 2023 foram registados quase o quádruplo de atos antissemitas que se verificaram no ano anterior em França, muitos deles em contexto escolar. Um relatório do Conselho Representativo das Instituições Judaicas de França (CRIF), divulgado na quarta-feira, 24 de janeiro, notou um total de 1 676 atos, com a organização a lamentar uma “explosão” de incidentes após o 7 de outubro de 2023 – dia dos ataques do Hamas contra Israel e que terá sido um “catalisador do ódio”.

 

Corpo de Alexei Navalny já foi entregue à mãe

Nove dias após a sua morte numa prisão russa

Corpo de Alexei Navalny já foi entregue à mãe novidade

O corpo do líder da oposição russa, Alexei Navalny, foi entregue à sua mãe, informou ontem, sábado, Ivan Zhdanov, diretor da Fundação Anti-Corrupção de Navalny e um dos seus principais assessores na sua conta de Telegram. O responsável agradeceu a “todos” os que apelaram às autoridades russas para que devolvessem o corpo de Navalny à sua mãe, citado pela Associated Press.

Bispos católicos belgas vão debater sacerdotes casados e mulheres diáconos

Como preparação para a segunda sessão do Sínodo

Bispos católicos belgas vão debater sacerdotes casados e mulheres diáconos novidade

Os bispos católicos da Bélgica enviaram às dioceses e comunidades locais do seu país uma carta no dia 16 de fevereiro sugerindo a reflexão sobre dois temas ministeriais, a ordenação sacerdotal de homens casados e a instituição de mulheres diaconisas, como forma de preparação dos trabalhos da segunda sessão do Sínodo dos Bispos, que decorrerá em Roma em outubro próximo.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

Cristo Cachorro, versão 2024

Cristo Cachorro, versão 2024 novidade

Invejo de morte a paixão que os cartazes da Semana Santa de Sevilha conseguem despertar. Os sevilhanos importam-se com a sua cidade, as festas e com a imagem que o cartaz projecta, se bem que com o seu quê de possessivo, mas bem melhor que a apatia. Não fossem frases como “É absolutamente uma vergonha e uma aberração” e as missas de desagravo e o quadro cartaz deste ano teria passado ao lado.

“As estatísticas oficiais subestimam a magnitude da pobreza e exclusão em Portugal”, denuncia Cáritas

7MARGENS antecipa estudo

“As estatísticas oficiais subestimam a magnitude da pobreza e exclusão em Portugal”, denuncia Cáritas

Ao basear-se em inquéritos junto das famílias, as estatísticas oficiais em Portugal não captam as situações daqueles que não vivem em residências habituais, como as pessoas em situação de sem-abrigo, por exemplo. E é por isso que “subestimam a magnitude da pobreza e exclusão em Portugal”, denuncia a Cáritas Portuguesa na introdução ao seu mais recente estudo, que será apresentado na próxima terça-feira, 27 de fevereiro, na Universidade Católica Portuguesa do Porto.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This