Em preparação do Natal

Papa pede aos governantes “gesto de clemência” para com presos

| 13 Dez 2022

papa francisco durante visita a prisão de de Civitavecchia na Quinta-feira Santa de 2021 (Vatican Media)

Papa Francisco durante uma visita à prisão de Civitavecchia, na Quinta-feira Santa de 2021. Foto © Vatican Media.

 

O Papa “está a enviar uma carta a todos os chefes de Estado, convidando-os a fazer um gesto de clemência para com os nossos irmãos e irmãs privados de liberdade que considerem aptos a beneficiar desta medida”, avançou Matteo Bruni, diretor da sala de imprensa da Santa Sé, em nota enviada aos jornalistas esta segunda-feira, 12 de dezembro.

Francisco considera que a amnistia seria um sinal positivo “para que este tempo marcado por tensões, injustiças e conflitos, possa abrir-se à graça que vem do Senhor”, particularmente no Natal.

O mesmo pedido já tinha sido feito em 2000, o ano do Grande Jubileu, por João Paulo II, que na altura foi visitar a prisão Regina Coeli de Roma, e em nome de Jesus “preso, escarnecido, julgado e condenado” pediu às “autoridades competentes” a redução da pena para permitir que os detidos encontrassem uma nova vida na sociedade quando saíssem da prisão.

Este pedido foi reiterado por João Paulo II novamente a 14 de novembro de 2002 aos senadores e deputados reunidos durante uma visita ao Parlamento italiano.

Francisco, que tem visitado com frequência estabelecimentos prisionais, inclusive durante as suas viagens apostólicas, segue os passos do seu antecessor. Já em 2016, Ano Santo da Misericórdia, por ocasião do Jubileu dos Presos, a 6 de novembro, após celebrar a missa na basílica de São Pedro com os prisioneiros, o Papa exortou os governos a terem “um ato de clemência” para com eles, lançando um apelo a favor da melhoria das condições de vida nas prisões do mundo inteiro, “para que a dignidade humana dos presos seja plenamente respeitada” e reiterando “a importância de refletir sobre a necessidade de uma justiça penal que não seja exclusivamente punitiva, mas aberta à esperança e à perspetiva de reintegração do infrator na sociedade”.

 

Patriarca de Lisboa convida “todos” para “momento raro” na Igreja

A um mês da ordenação de dois bispos

Patriarca de Lisboa convida “todos” para “momento raro” na Igreja novidade

O patriarca de Lisboa, Rui Valério, escreveu uma carta a convocar “todos – sacerdotes, diáconos, religiosos, religiosas e fiéis leigos” da diocese para estarem presentes naquele que será o “momento raro da ordenação episcopal de dois presbíteros”. A ordenação dos novos bispos auxiliares de Lisboa, Nuno Isidro e Alexandre Palma, está marcada para o próximo dia 21 de julho, às 16 horas, na Igreja de Santa Maria de Belém (Mosteiro dos Jerónimos).

O exemplo de Maria João Sande Lemos

O exemplo de Maria João Sande Lemos novidade

Se há exemplo de ativismo religioso e cívico enquanto impulso permanente em prol da solidariedade, da dignidade humana e das boas causas é o de Maria João Sande Lemos (1938-2024), que há pouco nos deixou. Conheci-a, por razões familiares, antes de nos encontrarmos no então PPD, sempre com o mesmo espírito de entrega total. [Texto de Guilherme d’Oliveira Martins]

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

“Sempre pensei envelhecer como queria viver”

Modos de envelhecer (19)

“Sempre pensei envelhecer como queria viver” novidade

O 7MARGENS iniciou a publicação de depoimentos de idosos recolhidos por José Pires, psicólogo e sócio fundador da Cooperativa de Solidariedade Social “Os Amigos de Sempre”. Publicamos hoje o décimo nono depoimento do total de vinte e cinco. Informamos que tanto o nome das pessoas como as fotografias que os ilustram são da inteira responsabilidade do 7MARGENS.

“O 7 de outubro, a guerra em Gaza e as sombras da Shoah e da Nakba”

“O 7 de outubro, a guerra em Gaza e as sombras da Shoah e da Nakba” novidade

O último dia de “Reflexos e Reflexões” prometia uma tarde bem preenchida: o debate sobre “o 7 de outubro, a guerra em Gaza e as sombras da Shoah e da Nakba”, e a peça de teatro “House”, de Amos Gitai, pelo teatro La Colline. Aqui deixo uma síntese do debate, que tentei fazer com a maior fidedignidade possível, a partir dos apontamentos que fui tomando (era proibido tirar fotografias ou fazer gravações, para garantir que todos se sentiam mais livres para falar). [Texto de Helena Araújo]

Sínodo, agora, é em Roma… que aqui já acabou

Sínodo, agora, é em Roma… que aqui já acabou novidade

Em que vai, afinal, desembocar o esforço reformador do atual Papa, sobretudo com o processo sinodal que lançou em 2021? Que se pode esperar daquela que já foi considerada a maior auscultação de pessoas alguma vez feita à escala do planeta? – A reflexão de Manuel Pinto, para ler no À Margem desta semana

Nada se perde: um antigo colégio dos Salesianos é o novo centro de acolhimento do Serviço Jesuíta aos Refugiados

Inaugurado em Vendas Novas

Nada se perde: um antigo colégio dos Salesianos é o novo centro de acolhimento do Serviço Jesuíta aos Refugiados novidade

O apelo foi feito pelo Papa Francisco: utilizar os espaços da Igreja Católica devolutos ou sem uso para respostas humanitárias. Os Salesianos e os Jesuítas em Portugal aceitaram o desafio e, do antigo colégio de uns, nasceu o novo centro de acolhimento de emergência para refugiados de outros. Fica em Vendas Novas, tem capacidade para 120 pessoas, e promete ser amigo das famílias, do ambiente, e da comunidade em que se insere.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This