Pedido feito na Praça de S. Pedro

Papa pede “liberdade” para os católicos na China

| 22 Mai 2022

Chineses em exercício. Foto © Asian Development Bank

Vaticano preocupado com liberdade religiosa na China. Foto © Asian Development Bank

 

Não tem sido um tema recorrente nas preocupações mais públicas do Papa Francisco, mas este pediu ontem, durante a oração do Regina Coeli, orações pelos católicos da China, que esta terça-feira vão celebrar a festa de Maria Auxiliadora, pedindo “liberdade e tranquilidade” para as comunidades do país asiático. “Que a Igreja na China, em liberdade e tranquilidade, possa viver em comunhão efetiva com a Igreja universal e exercitar a sua missão de anúncio do Evangelho a todos, oferecendo assim também um contributo positivo para o progresso espiritual e material da sociedade”, disse, perante milhares de pessoas reunidas na Praça de São Pedro.

A intervenção evocou a festa da padroeira da China, particularmente celebrada no Santuário de Nossa Senhora de Sheshan, perto de Xangai, dirigindo-se aos católicos do país. “Renovo-lhes a certeza da minha proximidade espiritual. Sigo com atenção e participação a vida e vicissitudes de fiéis e pastores, muitas vezes complexas, e rezo por eles todos os dias”, indicou Francisco.

Neste mês de maio, a polícia deteve o cardeal Zen, bispo emérito de Hong Kong, sob a acusação de “conluio com forças estrangeiras”, como administrador de um fundo para apoiar manifestantes pró-democracia em custos legais e de saúde.

A detenção do responsável católico, posteriormente libertado sob fiança, foi alvo de reparos do Vaticano. “A Santa Sé tomou conhecimento, com preocupação, da notícia da prisão do cardeal Zen e está acompanhando a evolução da situação com extrema atenção”, referiu o porta-voz do Vaticano, Matteo Bruni, em resposta às perguntas dos jornalistas.

Em setembro de 2018, Pequim e a Santa Sé assinaram um acordo sobre a nomeação dos bispos católicos, renovado em 2020. Este documento inédito visa regularizar o estatuto da Igreja Católica neste país; Pequim exige que sacerdotes e bispos se registem oficialmente junto das autoridades civis.

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

"Nada cristãs"

Ministro russo repudia declarações do Papa

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia, Serguei Lavrov, descreveu como “nada cristãs” as afirmações do Papa Francisco nas quais denunciou a “crueldade russa”, especialmente a dos chechenos, em relação aos ucranianos. Lavrov falava durante uma conferência de imprensa, esta quinta-feira, 1 de dezembro, e referia-se à entrevista que Francisco deu recentemente à revista America – The Jesuit Review.

À espera

[Os dias da semana]

À espera novidade

Quase todos se apresentam voltados para o sítio onde estão Maria e José, que têm, mais por perto, a companhia de um burro e de uma vaca. Todos esperam. Ao centro, a manjedoura em que, em breve, será colocado o recém-nascido. É tempo agora de preparar a sua chegada, esse imenso acontecimento, afinal de todas as horas.

Bispo Carlos Azevedo passa da Cultura para as Ciências Históricas

Novo cargo no Vaticano

Bispo Carlos Azevedo passa da Cultura para as Ciências Históricas novidade

O bispo português Carlos Azevedo foi nomeado neste sábado para o lugar de delegado (“número dois”) do Comité Pontifício para as Ciências Históricas, deixando o cargo equivalente que desempenhava no Dicastério para a Cultura e a Educação, da Santa Sé, que há poucas semanas passou a ser dirigido pelo também português cardeal José Tolentino Mendonça.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This