No Ângelus

Papa pede negociações pela paz na Ucrânia

| 31 Jul 2022

Praça de S. Pedro, multidão Ângelus. Foto © Vatican Media

Praça de S. Pedro, a multidão que assiste ao Ângelus: o Papa pediu que Rússia e Ucrânia se sentem na mesa de negociações. Foto © Vatican Media

 

O Papa apelou hoje a negociações de paz, na Ucrânia, na sua primeira intervenção pública após regressar do Canadá, este sábado. “Mesmo durante a viagem, nunca deixei de rezar pelo povo ucraniano, agredido e martirizado, pedindo a Deus que o liberte do flagelo da guerra”, disse aos peregrinos reunidos na Praça de São Pedro, para a recitação do ângelus, citado pela Ecclesia.

Falando desde a janela do apartamento pontifício, Francisco pediu que todas as partes olhem para a realidade “objetivamente”. “Considerando os danos que a guerra traz todos os dias àquela população, mas também a todo o mundo, a única coisa razoável a fazer seria parar e negociar. Que a sabedoria inspire passos concretos de paz”, declarou.

Na sua tradicional reflexão dominical, o Papa tinha sublinhado que, por trás das guerras e conflitos “está quase sempre envolvido o anseio por recursos e riqueza”.

Quantos interesses estão por trás de uma guerra! Certamente, um deles é o comércio de armas. Este comércio é um escândalo, ao qual não podemos nem devemos resignar-nos”.

Cerca de 40 prisioneiros de guerra ucranianos morreram num bombardeamento contra uma prisão na região separatista de Donetsk, avançou esta sexta-feira o Ministério da Defesa da Rússia. Moscovo e Kiev trocaram acusações sobre a autoria do ataque.

O Papa recordou a viagem de seis dias, agradecendo “a todos os que tornaram possível esta peregrinação penitencial”, em particular autoridades civis, líderes indígenas e bispos canadianos. “Agradeço de coração aos que me acompanharam com a sua oração. Obrigado a todos”, concluiu.

31

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

Índia

Carnataca é o décimo Estado a aprovar lei anticonversão

O Estado de Carnataca, no sudoeste da Índia, tornou-se, no passado dia 15 de setembro, o décimo estado daquele país a adotar leis anticonversão no âmbito das quais cristãos e muçulmanos e outras minorias têm sido alvo de duras perseguições, noticiou nesta sexta-feira, 23, o Vatican News, portal de notícias do Vaticano.

Neste sábado, em Lisboa

“Famílias naturais” em convívio contra a ideologia de género

Prometem uma “tarde de convívio e proximidade”, um concerto, diversão e “múltiplas actividades para crianças e adultos: o “Encontro da Família no Parque” decorre esta tarde de sábado, 24 de Setembro, no Parque Eduardo VII (Lisboa), a partir das 15h45, e “pretende demonstrar um apoio incondicional à família natural e pela defesa das crianças”.

Gratuito e universal

Documentário sobre a Laudato Si’ é lançado a 4 de outubro

O filme A Carta (The Letter) será lançado no YouTube Originals no dia 4 de outubro, anunciou, hoje, 21 de setembro, o Movimento Laudato Si’. O documentário relata a história da encíclica Laudato Si’, recolhe depoimentos de vários ativistas do clima e defensores da sustentabilidade do planeta e tem como estrela principal o próprio Papa Francisco.

Promessa cumprida, pacto assinado, e agora… “esperamos por ti em Lisboa”, Papa Francisco

Terminou o encontro em Assis

Promessa cumprida, pacto assinado, e agora… “esperamos por ti em Lisboa”, Papa Francisco novidade

“Espero por vocês em Assis.” Assim terminava a carta que o Papa escreveu aos jovens em maio de 2019, convidando-os a participar na Economia de Francisco. Apesar de uma pandemia o ter obrigado a adiar dois anos este encontro, e ainda que as dores no joelho o tenham impedido de vir pelo seu próprio pé, Francisco cumpriu a sua promessa, como só os verdadeiros amigos sabem fazer. Este sábado, 24, logo pela manhã, chegou à cidade de Assis para se juntar aos mil participantes do encontro A Economia de Francisco. Escutou atentamente os seus testemunhos e preocupações, deu-lhes os conselhos que só um verdadeiro amigo sabe dar, selou com eles um pacto e até reclamou por não terem trazido cachaça (bem sabemos que é próprio dos amigos rabujar e fazer-nos rir). Mas sobretudo provou-lhes que acredita neles e que é com eles que conta para fazer do mundo um lugar melhor.

Agenda

Fale connosco

Autores