Consistório no Vaticano

Papa pede “poder despretensioso” a novos cardeais

| 27 Ago 2022

O Papa elevou mais 20 cardeais de todo o mundo, na Basílica de São Pedro. Foto © Vatican Media.

Papa elevou mais 20 cardeais de todo o mundo, na Basílica de São Pedro. Foto © Vatican Media.

 

O Papa desafiou este sábado, 27, os cardeais a exercerem um “poder despretensioso” e pregarem o Evangelho com abertura a todas as pessoas “sem exceção”, na celebração em que elevou 20 bispos católicos de todo o mundo — incluindo o arcebispo de Díli (Timor-Leste), D. Virgílio do Carmo da Silva, dois arcebispos brasileiros e o arcebispo de Goa e Damão, na Índia — ao lugar de cardeal.

“O Senhor quer dar-nos a sua própria coragem apostólica, o seu zelo pela salvação de cada ser humano, sem exceção”, disse Francisco. “Ele quer partilhar connosco a sua magnanimidade, o seu amor sem limites e incondicional, pois o seu coração está inflamado pela misericórdia do Pai”, sublinhou, citado pelo National Catholic Reporter. 

Na cerimónia na Basílica de São Pedro, formalmente conhecida como consistório, o Papa concedeu a cada novo cardeal um anel de sinete e um chapéu vermelho, conhecido como barrete cardinalício, e disse que os seus ministérios, como o do apóstolo Paulo e de outros missionários do Evangelho, devem ser marcados pela “exaustiva mas doce alegria de evangelizar”.

Entre as suas responsabilidades, disse Francisco, está o trabalho de “cozinhar a comida das famílias pobres, dos migrantes e dos sem-abrigo” e possuir uma “visão universal sempre atenta às particularidades”. “Este, irmãos e irmãs, é o fogo que Jesus veio ‘trazer à terra’, um fogo que o Espírito Santo acende nos corações, nas mãos e nos pés de todos os que o seguem”, apontou o Papa.

Francisco, 85 anos, tem lidado com dores persistentes no joelho, e entrou na celebração em cadeira de rodas e permaneceu sentado praticamente todo o tempo.

No final da homilia, descreveu a Agência Ecclesia, o Papa pediu para rezarem pelo bispo de Wa (Gana), Richard Kuuia Baawobr, que integra a lista de novos cardeais, hospitalizado quando chegou a Roma, esta sexta-feira.

Dezasseis cardeais serão eleitores num futuro Conclave
Este foi o oitavo consistório do atual pontificado. Foto © Vatican Media.

Este foi o oitavo consistório do atual pontificado. Foto © Vatican Media.

 

Dos 20 cardeais, 16 têm menos de 80 anos, e são eleitores num futuro Conclave; o grupo inclui o arcebispo de Díli (Timor-Leste), Virgílio do Carmo da Silva, de 53 anos, dois arcebispos brasileiros e o arcebispo de Goa e Damão, na Índia.

Francisco leu a fórmula de criação e proclamou em latim os nomes dos cardeais, para os unir com “um vínculo mais estreito” à sua missão; seguiu-se a profissão de fé e o juramento dos novos cardeais, de fidelidade e obediência ao Papa e seus sucessores.

Cada um dos novos cardeais ajoelhou-se para receber o barrete cardinalício, de acordo com a ordem de criação.

O Papa entregou um anel aos cardeais para que se “reforce o amor pela Igreja”, seguindo-se a atribuição a cada cardeal uma igreja de Roma — que simboliza a participação na solicitude pastoral do Papa na cidade —, bem como a bula de criação cardinalícia.

Este foi o oitavo consistório do atual pontificado, após os realizados a 22 de fevereiro de 2014, 14 de fevereiro de 2015, 19 de novembro de 2016, 28 de junho de 2017, 28 de junho de 2018, 5 de outubro de 2019 e 28 de novembro de 2020.

Na segunda e terça-feira, os cardeais participam numa reunião convocada por Francisco, para refletir sobre a nova constituição apostólica para a Cúria Romana, os serviços centrais de governo da Igreja Católica, a Praedicate evangelium (“Pregai o Evangelho”), que termina, com a Missa, às 17h30 (menos uma hora em Lisboa), na Basílica de São Pedro.

 

Silêncio: a luz adentra no corpo

Pré-publicação 7M

Silêncio: a luz adentra no corpo novidade

A linguagem não é só palavra, é também gesto, silêncio, ritmo, movimento. Uma maior atenção a estas realidades manifesta uma maior consciência na resposta e, na liturgia, uma qualidade na participação: positiva, plena, ativa e piedosa. Esta é uma das ideias do livro Mistagogia Poética do Silêncio na Liturgia, de Rafael Gonçalves. Pré-publicação do prefácio.

pode o desejo

pode o desejo novidade

Breve comentário do p. António Pedro Monteiro aos textos bíblicos lidos em comunidade, no Domingo I do Advento A. Hospital de Santa Marta, Lisboa, 26 de Novembro de 2022.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

Bahrein

Descoberto mosteiro cristão sob as ruínas de uma mesquita

Há quem diga que este é o “primeiro fruto milagroso” da viagem apostólica que o Papa Francisco fez ao Bahrein, no início de novembro. Na verdade, resulta de três anos de trabalho de uma equipa de arqueólogos locais e britânicos, que acaba de descobrir, sob as ruínas de uma antiga mesquita, partes de um ainda mais antigo mosteiro cristão.

Manhã desta quinta-feira, 24

“As piores formas de trabalho infantil” em conferência

Uma conferência sobre “As piores formas de trabalho infantil” decorre na manhã desta quinta-feira, 24 de Novembro (entre as 9h30-13h), no auditório da Polícia Judiciária (Rua Gomes Freire 174, na zona das Picoas, em Lisboa), podendo assistir-se também por videoconferência. Iniciativa da Confederação Nacional de Ação Sobre o Trabalho Infantil (CNASTI), em parceria com o Instituto de Apoio à Criança (IAC), a conferência pretende “ter uma noção do que acontece não só em Portugal, mas também no mundo acerca deste tipo de exploração de crianças”.

Porque não somos insignificantes neste universo infinito

Porque não somos insignificantes neste universo infinito novidade

Muitas pessoas, entre as quais renomados cientistas, assumem frequentemente que o ser humano é um ser bastante insignificante, senão mesmo desprezível, no contexto da infinitude do universo. Baseiam-se sobretudo na nossa extrema pequenez relativa, considerando que o nosso pequeno planeta não passa de um “ponto azul” situado num vasto sistema solar.

Mais do que A Voz da Fátima

Pré-publicação

Mais do que A Voz da Fátima

Que fosse pedido a um incréu um texto de prefácio para um livro sobre A Voz da Fátima, criou-me alguma perplexidade e, ao mesmo tempo, uma vontade imediata de aceitar. Ainda bem, porque o livro tem imenso mérito do ponto de vista histórico, com o conjunto de estudos que contém sobre o jornal centenário, mas também sobre o impacto na sociedade portuguesa e na Igreja, das aparições e da constituição de Fátima e do seu Santuário como o centro religioso mais importante de Portugal. Dizer isto basta para se perceber que não é possível entender, no sentido weberiano, Portugal sem Fátima e, consequentemente, sem o seu jornal.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This