Depois de ataques do Irão contra Israel

Papa pede que se evite “espiral de violência” no Médio Oriente

| 14 Abr 2024

Papa falou desde a janela do apartamento pontifício, após a recitação da oração do Regina Coeli. Foto © Vatican Media, via Agência Ecclesia.

Papa falou desde a janela do apartamento pontifício, após a recitação da oração do Regina Coeli. Foto de arquivo © Vatican Media, via Agência Ecclesia.

 

O Papa Francisco pediu este domingo, no Vaticano, que se evite uma “espiral de violência” no Médio Oriente, reagindo aos ataques que o Irão lançou contra Israel, na última noite. E já a concluir a sua intervenção, desde a janela do apartamento pontifício, após a recitação da oração do ‘Regina Coeli’, deixou um forte apelo, sob as palmas dos presentes: “Quanto sofrimento, rezemos pela paz. Basta de guerra, basta de ataques, basta de violência! Que haja diálogo e que haja paz.”

“Faço um apelo sentido para que cesse qualquer ação que possa alimentar uma espiral de violência, com o risco de arrastar o Médio Oriente para um conflito bélico ainda maior”, declarou.

Francisco, que falava perante milhares de peregrinos reunidos na Praça de São Pedro, disse seguir “na oração, com preocupação, também com dor”, as notícias chegadas nas últimas horas sobre “o agravamento da situação em Israel, por causa da intervenção por parte do Irão”. “Ninguém deve ameaçar a existência do outro. Que todos as nações tomem o partido da paz”, apelou.

O Papa defendeu que israelitas e palestinianos devem viver “em dois Estados, lado a lado, em segurança”. “É um desejo seu, profundo e lícito. E é um direito seu: dois Estados, vizinhos”, indicou.

Francisco pediu que se chegue, em breve, a “um cessar-fogo em Gaza e se percorram as vias da negociação”. “Negociação, com determinação, para que se ajude a população que caiu numa catástrofe humanitária e se libertem imediatamente os reféns, sequestrados há meses”, insistiu.

Israel disse ter intercetado 99% dos engenhos iranianos lançados contra o pais, nomeadamente 25 dos cerca de 30 mísseis de cruzeiro e a quase totalidade dos “mais de 120” mísseis balísticos lançados pelo Irão, bem como os 70 drones, em ataques que deixaram uma pessoa gravemente ferida e outras oito com ferimentos leves em Israel.

Papa lembra menores que são vítimas da guerra

Também na ocasião, o Papa recordou todos os menores que são vítimas da guerra, na Ucrânia, Palestina, Israel, Myanmar (Birmânia) e “noutras partes do mundo”. “Rezemos por elas e pela paz”, pediu aos participantes no encontro dominical de oração, citado pela agência Ecclesia.

Francisco convidou à promoção da primeira Jornada Mundial das Crianças, que vai decorrer em Roma, entre 25 e 26 de maio, em ligação com as dioceses dos cinco continentes.

“Espero por vocês, por todos. Temos necessidade da vossa alegria, do vosso desejo de um mundo melhor, de um mundo em paz”, disse às crianças, deixando um convite a “acompanhar, com a oração, o caminho para este acontecimento”.

A reflexão do Papa, antes da recitação do ‘Regina Coeli’, foi dedicada à importância de partilhar a fé. “Há uma coisa de que muitas vezes temos dificuldade em falar. É, paradoxalmente, a coisa mais bela de que temos de falar: o nosso encontro com Jesus. Ver como o Senhor nos tocou… É importante partilhar isso na família, na comunidade, com os amigos”, recomendou.

Francisco destacou que as pessoas são “bombardeadas por milhares de mensagens”, diariamente. “Muitas são superficiais e inúteis, outras revelam uma curiosidade indiscreta ou, pior ainda, nascem de bisbilhotices e maldade. São notícias que não servem para nada, pelo contrário, fazem mal”, alertou.

O Papa convidou a valorizar as “notícias boas, positivas e construtivas”. “É bom falar das boas inspirações que nos orientaram na vida, dos pensamentos e sentimentos que surgiram quando nos colocamos diante de Deus, e também dos esforços e dificuldades que enfrentamos para entender e progredir no caminho da fé, talvez até para nos arrependermos e voltar atrás”, notou.

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

O aumento da intimidação católica

O aumento da intimidação católica novidade

A intimidação nos meios católicos está a espalhar-se por todos os Estados Unidos da América. No exemplo mais recente, a organização Word on Fire, do bispo de Minnesota, Robert Barron, ameaçou a revista Commonweal e o teólogo Massimo Faggioli por causa de um ensaio de Faggioli, “Será que o Trumpismo vai poupar o Catolicismo?”

“Desmasculinizar a Igreja?”

Pré-publicação

“Desmasculinizar a Igreja?” novidade

“Desmasculinizar a Igreja?” – Análise crítica dos “princípios” de Hans Urs von Balthasar” é o título do livro que será publicado pela Paulinas Editora e que será apresentado na Feira do Livro de Lisboa, no próximo domingo, dia 2 de junho, às 18 horas.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This