Violência contra as mulheres também lembrada

Papa pelo fim da violência em Israel

| 27 Nov 2022

O Angelus na Praça de São Pedro. Foto de arquivo © Tony Neves

 

O Papa Francisco saudou hoje, após o Angelus, os participantes da marcha realizada, na manhã deste domingo em Roma, para denunciar a violência sexual contra a mulher: “Infelizmente uma realidade geral e difundida em todos os lugares e usada também como arma de guerra”, lamentou o Papa.

Durante o Angelus, o Papa apelou ainda ao fim da violência que atinge Israel e a Palestina, recordando os dois jovens mortos na última semana. “Sigo com preocupação o aumento da violência e dos confrontos que, há meses, acontecem no Estado da Palestina e no de Israel”, disse, após a recitação da oração do Angelus, perante os peregrinos reunidos na Praça de São Pedro.

Francisco recordou que, “na última quarta-feira, dois atentados vis em Jerusalém que feriram muitas pessoas e mataram um rapaz israelita” e que, no mesmo dia, durante confrontos armados, “morreu um rapaz palestino”.

“A violência mata o futuro, despedaçando a vida dos mais jovens e enfraquecendo as esperanças de paz”, advertiu, pedindo oração por estes jovens que morreram, “as suas famílias e em particular pelas suas mães”.

“Desejo que as autoridades palestinas e israelitas levem mais a peito a busca do diálogo, construindo a confiança recíproca, sem a qual não haverá nunca uma solução de paz na Terra Santa”, concluiu.

Na sequência de ataques mortais em Israel, a partir de março, o exército israelita realizou mais de dois mil ataques na Cisjordânia, que causaram a morte a 125 palestinos, de acordo com a ONU.

 

“As estatísticas oficiais subestimam a magnitude da pobreza e exclusão em Portugal”, denuncia Cáritas

Estudo apresentado dia 27

“As estatísticas oficiais subestimam a magnitude da pobreza e exclusão em Portugal”, denuncia Cáritas novidade

Ao basear-se em inquéritos junto das famílias, as estatísticas oficiais em Portugal não captam as situações daqueles que não vivem em residências habituais, como as pessoas em situação de sem-abrigo, por exemplo. E é por isso que “subestimam a magnitude da pobreza e exclusão em Portugal”, denuncia a Cáritas Portuguesa na introdução ao seu mais recente estudo, que será apresentado na próxima terça-feira, 27 de fevereiro, na Universidade Católica Portuguesa do Porto.

Ver teatro que “humaniza” e aprender a “salvar a natureza”? É no Seminário de Coimbra

Atividades abertas a todos

Ver teatro que “humaniza” e aprender a “salvar a natureza”? É no Seminário de Coimbra novidade

Empenhado em ser “um lugar onde a Cultura e a Espiritualidade dialogam com a cidade”, o Seminário de Coimbra acolhe, na próxima segunda-feira, 26, a atividade “Humanizar através do teatro – A Importância da Compaixão” (que inclui a representação de uma peça, mas vai muito além disso). Na terça-feira, dia 27, as portas do Seminário voltam a abrir-se para receber o biólogo e premiado fotógrafo de natureza Manuel Malva, que dará uma palestra sobre “Salvar a natureza”. 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

Sessões gratuitas

Sol sem Fronteiras vai às escolas para ensinar literacia financeira

Estão de regresso as sessões de literacia financeira para crianças e jovens, promovidas pela Sol sem Fronteiras, ONGD ligada aos Missionários Espiritanos, em parceria com o Oney Bank. Destinadas a turmas a partir do 3º ano até ao secundário, as sessões podem ser presencias (em escolas na região da grande Lisboa e Vale do Tejo) e em modo online no resto do país.

O princípio de Betânia

O princípio de Betânia novidade

Numa sexta-feira, seis dias antes da Páscoa, no regresso de Jericó para Jerusalém, Jesus faz uma pausa em Betânia, uma pequena aldeia a três quilómetros de Jerusalém que visitava regularmente, sendo amigo da família de Lázaro, Marta e Maria. É que no sábado a lei judaica não permitia viajar. Entretanto, um tal Simão denominado “o leproso” (talvez um dos que Jesus tinha curado) convida-o para um jantar no sábado à noite na sua casa, também em Betânia. [Texto de José Brissos-Lino]

Ortodoxos denunciam imoralidade do conluio de Cirilo com Putin e a sua guerra

Carta nos dois anos da guerra na Ucrânia

Ortodoxos denunciam imoralidade do conluio de Cirilo com Putin e a sua guerra novidade

No momento em que passam dois anos sobre a invasão russa e o início da guerra na Ucrânia, quatro académicos do Centro de Estudos Cristãos Ortodoxos da Universidade de Fordham, nos Estados Unidos da América, dirigiram esta semana uma contundente carta aberta aos líderes das igrejas cristãs mundiais, sobre o papel que as confissões religiosas têm tido no conflito.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This