Papa sentirá “muita tristeza” pela manipulação feita de Bento XVI

| 19 Jan 20

O jornalista inglês Austen Ivereigh, autor da biografia Francisco, o Grande Reformador (ed. Vogais) considera que o Papa Francisco sentirá “uma grande tristeza” pela forma como o cardeal Robert Sarah terá manipulado Bento XVI na situação que levou à publicação do livro Do Fundo dos Nossos Corações.

Embora considere que Ratzinger tinha consciência de vários pormenores, o cardeal terá aproveita o facto de ele ter mais de 90 anos para “pressionar” o Papa, no que se refere à possibilidade da abertura à ordenação de homens casados. Apesar disso, o Papa Francisco “está conseguindo” incrementar as mudanças que tem procurado fazer, considera o jornalista, em entrevista à Rádio W, da Colômbia.

Um dos exemplos que mostram isso mesmo é o exemplo colhido pelo jornalista para o seu novo livro Pastor Ferido, que em breve será publicado também em Portugal: falando com muitos bispos, estes contaram-lhe que antes, quando iam ao Vaticano, eram tratados como “inferiores e súbditos”. Agora, perguntam-lhes: “Em que podemos ajudar? O Papa quer que os escutemos…”

Ainda na mesma entrevista, Austen Ivereigh acrescenta: “Há muita oposição e resistência [ao Papa]. Isso é parte de um movimento que ele provocou como Papa. A resistência é cada vez maior, sobretudo dos sectores mais conservadores estadunidenses, por incluir temas como as migrações e racismo.” São gente “ameaçada” por ele, diz. Mas “o povo está com ele, enquanto que a oposição vem de sectores de elite”.

Francisco, entretanto, está “muito feliz”, acrescenta Ivereigh, que há meses passou uma hora com o Papa e o sentiu “muito em paz, consolado”. “É um homem que se cansa facilmente, pela sua idade, mas recupera rapidamente e mantém o contacto com as pessoas”.

Artigos relacionados

Pin It on Pinterest

Share This