Paquistão: Jovem cristã sequestrada será ouvida por juiz

| 5 Nov 2020

Manifestação de cristãos no Paquistão contra o sequestro de adolescentes destinadas a casamentos forçados. Foto © ACN-Portugal

 

Arzoo Raja, a jovem cristã de 13 anos sequestrada junto à sua casa em Karachi, a 13 de Outubro, será ouvida por um juiz nesta quinta-feira, 5 de Novembro, depois de um tribunal ter decretado que ela tinha de ser protegida pela polícia até lá.

O magistrado judicial ordenou ainda uma perícia médica para se determinar a idade da jovem: segundo a família, Arzoo tem 13 anos, muito menos do que os 18 anos que são o limite imposto na lei para poder casar. O sequestro de Arzoo por um muçulmano de 44 anos teria tido como objectivo obrigá-la a casar, e forçando a sua “conversão” ao islão.

Joel Amir Sohatra, antigo membro do Parlamento provincial do Punjab, disse entretanto à Fundação Ajuda à Igreja que Sofre (AIS), numa mensagem enviada para Lisboa, que a família da criança está também a receber várias ameaças.

Sohatra, que encabeçou manifestações de protesto em Faisalabad em que a comunidade cristã pedia a libertação não só de Arzoo mas de todas as jovens sequestradas, assegurou à Fundação AIS que “há fortes rumores de que os fanáticos estão a ameaçar” a família de Arzoo, para abandonar o processo, assegurando que a rapariga “abraçou o islão” de livre vontade.

A decisão que o juiz tomar é considerada como podendo ser relevante não só para Arzoo, mas para todos os casos de jovens oriundas de minorias religiosas sequestradas e forçadas a casar no Paquistão.

“Vamos esperar até 5 de Novembro, para ver como o tribunal vai proceder com este assunto”, escreve Joel Amir Sohatra. “As minorias religiosas estão realmente ameaçadas e enfrentam [tempos de] incerteza no Paquistão…”

 

Catarina Pazes: “Sem cuidados paliativos, não há futuro para o SNS”

Entrevista à presidente da Associação Portuguesa

Catarina Pazes: “Sem cuidados paliativos, não há futuro para o SNS” novidade

“Se não prepararmos melhor o nosso Serviço Nacional de Saúde do ponto de vista de cuidados paliativos, não há maneira de ter futuro no SNS”, pois estaremos a gastar “muitos recursos” sem “tratar bem os doentes”. Quem é o diz é Catarina Pazes, presidente da Associação Portuguesa de Cuidados Paliativos (APCP) que alerta ainda para a necessidade de formação de todos os profissionais de saúde nesta área e para a importância de haver mais cuidados de saúde pediátricos.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Bahá’ís plantam árvores em Lisboa, para que a liberdade religiosa floresça em todo o mundo

Em memória das "dez mulheres de Shiraz"

Bahá’ís plantam árvores em Lisboa, para que a liberdade religiosa floresça em todo o mundo

Quem passar pela pequena zona ajardinada junto ao Centro Nacional Bahá’í, na freguesia lisboeta dos Olivais, vai encontrar dez árvores novas. São jacarandás e ciprestes, mas cada um deles tem nome de mulher e uma missão concreta: mostrar – tal como fizeram as mulheres que lhes deram nome – que a liberdade religiosa é um direito fundamental. Trata-se de uma iniciativa da Junta de Freguesia local, em parceria com a Comunidade Bahá’í, para homenagear as “dez mulheres de Shiraz”, executadas há 40 anos “por se recusarem a renunciar a uma fé que promove os princípios da igualdade de género, unidade, justiça e veracidade”.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This