Diálogo inter-religioso

“Parceria improvável” leva evangélicos e muçulmanos a escrever livro juntos

| 5 Nov 2021

Thomas Schirrmacher WEA e Yahya Cholil Staquf Photo © by Timothy Goropevsek, WEA

O bispo Thomas Schirrmacher, secretário-geral da WEA, e o xeique Yahya Cholil Staquf, secretário-geral do concelho supremo da NU. Foto © Timothy Goropevsek, WEA.

 

Deus não precisa de defesa – Reimaginar as relações entre muçulmanos e cristãos no século XXI é o sugestivo título livro recentemente publicado pela maior organização muçulmana a nível mundial, Nahdlatul Ulama (NU), e pela Aliança Evangélica Mundial (WEA), fruto do que muitos apelidaram de “parceria improvável” entre ambas.

As conversações entre a NU, que representa cerca de 90 milhões de muçulmanos no mundo inteiro, e a WEA, que representa mais de 600 milhões de evangélicos em 143 países, iniciaram-se há três anos, de acordo com o comunicado enviado ao 7MARGENS por esta última. Durante esse diálogo, perceberam que partilhavam o desejo de “combater as expressões radicais e violentas da religião e construir um mundo mais seguro e pacífico”, assegurando que os estados e as sociedades respeitem o direito de cada pessoa a escolher a sua religião.

As duas organizações decidiram então “trabalhar juntas pelo direito de nos convertermos uns aos outros”, explica o secretário-geral da WEA, bispo Thomas Schirrmacher. Porque, sublinha, “colaborações significativas podem acontecer entre grupos que sabem aquilo em que acreditam, pois conseguem identificar áreas de concordância e trabalhar juntos nessas áreas”.

Do trabalho conjunto ao longo dos últimos três anos, nasceu então esta publicação, que “desenvolve uma discussão teológica séria sobre como viver como bons vizinhos e como as nossas comunidades religiosas podem contribuir juntas para sociedades prósperas. A discussão séria dos princípios deve substituir o conflito violento”. O PDF do livro pode ser descarregado gratuitamente no website da WEA.

 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Irritações e sol na cara

Irritações e sol na cara novidade

“Todos os dias têm muito para correr mal, sim. Mas pode-se passar pela vida irritado? Apitos e palavras desagradáveis, respirações impacientes, sempre com o “não posso mais” na boca.” – A crónica de Inês Patrício, a partir de Berlim

A cor do racismo

A cor do racismo novidade

O que espero de todos é que nos tornemos cada vez mais gente de bem. O que espero dos que tolamente se afirmam como “portugueses de bem” é que se deem conta do ridículo e da pobreza de espírito que ostentam. E que não se armem em cristãos, porque o Cristianismo está nas antípodas das ideias perigosas que propõem.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This