Uma questão de "sobrevivência"

Patriarca Sako defende fusão entre as Igrejas Caldeia e Assíria do Oriente

| 20 Set 2022

patriarca caldeu sako com papa francisco foto vatican media

O patriarca da Igreja Caldeia com o Papa Francisco, durante a viagem apostólica ao Iraque, em março de 2021. Foto  © Vatican Media.

 

O patriarca caldeu Louis Raphael I Sako defende que não há nenhum elemento que possa “impedir” a “fusão” entre a Igreja Caldeia e a Igreja Assíria do Oriente sob a comum denominação comum de “Igreja do Oriente”. Numa mensagem intitulada “unidade e pluralidade da Igreja”, relançou o objetivo da unidade entre as diferentes denominações cristãs para proteger e “garantir a sua própria sobrevivência” no Médio Oriente, avançou esta terça-feira, 20 de setembro, a Asia News.

O mesmo, refere o cardeal no seu texto, é válido para a Igreja Siríaca Católica e Ortodoxa com o nome de Igreja Siríaca de Antioquia, e para todas as outras realidades que “partilham uma terra comum, liturgia, língua, património e história”.

A unidade entre as Igrejas tem sido um tema recorrente nas declarações públicas do patriarca caldeu, que considera que “é possível estudar este ‘projeto unitário’ através de um diálogo corajoso”. A sua unidade na fé é “real, não fictícia – sublinha o representante religioso – e é em primeiro lugar uma ‘unidade teológica’ baseada na Trindade e em Deus Pai.” “O ecumenismo – continua- reside na diversidade e no pluralismo. Começa dentro de uma paróquia, uma diocese, um patriarcado e depois entre as próprias Igrejas”.

Sako reconhece que, para concretizar esta unidade, é necessária “uma nova visão para as Igrejas”, uma “formação do clero” e uma maior “abertura” aos padres e fiéis. E ainda o reconhecimento dos “sinais” do amor de Deus para que este caminho seja feito em “unidade, amor, serviço e testemunho”. É preciso, também, não “temer os desafios” ou as críticas.

“Devemos fortalecer a presença cristã neste turbulento Médio Oriente – conclui – e acabar com o fanatismo e egoísmo eclesiástico, assim como nacional e étnico”.

 

Psiquiatra Margarida Neto é a nova presidente da Associação dos Médicos Católicos Portugueses

Sucedendo a José Diogo Ferreira Martins

Psiquiatra Margarida Neto é a nova presidente da Associação dos Médicos Católicos Portugueses novidade

A psiquiatra Margarida Neto é a nova presidente da direção nacional da Associação dos Médicos Católicos Portugueses (AMCP). A médica, que trabalha na Casa de Saúde do Telhal (Sintra) e é uma das responsáveis pelo Gabinete de Escuta do Patriarcado de Lisboa, foi eleita por unanimidade no passado sábado, 13 de abril, para o triénio 2024-2026.

A “afinidade” entre a música de intervenção e a mensagem de libertação cristã

Alfredo Teixeira em conferência dia 16

A “afinidade” entre a música de intervenção e a mensagem de libertação cristã novidade

Podem algumas canções de intervenção ligadas à Revolução de 25 de Abril de 1974 relacionar-se com o catolicismo? O compositor e antropólogo Alfredo Teixeira vai procurar mostrar que há uma “afinidade” que une linguagem bíblica e cristã à música de Zeca, José Mário Branco, Lopes-Graça, Adriano Correia de Oliveira, Sérgio Godinho e outros.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This