Pelo seu aniversário natalício

Patriarcado publica testamento espiritual do bispo Daniel Henriques

| 30 Mar 2023

Daniel Henriques, bispo auxiliar de Lisboa, Foto C Agência Ecclesia

Daniel Henriques, bispo auxiliar de Lisboa, Foto © Agência Ecclesia.

 

O Patriarcado de Lisboa publicou esta quinta-feira, 30 de março, o testamento espiritual do bispo auxiliar de Lisboa, Daniel Henriques, que morreu no passado mês de novembro. O texto, divulgado no dia em que completaria 57 anos sobre o seu nascimento, revela que o bispo encarou o cancro que o vitimou como “uma nova missão”.

“Esta doença é uma nova missão que me convidas a abraçar, uma missão específica dentro do chamamento ao episcopado. Também isso me trouxe grande paz, Senhor: não encarar esta doença como uma limitação no ministério episcopal, mas antes uma forma de exercer o episcopado a que, Vós, nos Vossos insondáveis desígnios, agora me chamais”, escreveu Daniel Henriques no seu testamento espiritual.

“Muitos me falam em pedir um milagre, o milagre da minha cura. Mas para mim, Senhor, este milagre já se realizou. Melhor, é um milagre em progresso, que se renova com o passar dos dias e dos meses”, acrescentou.

No texto, que o Patriarcado divulga na íntegra, o bispo mostra-se grato pela família e amigos que o foram acompanhando ao longo das diferentes fases da sua vida e recorda o processo desde a descoberta da doença, dez meses depois da sua nomeação episcopal em novembro de 2018.

Daniel Henriques explica, em particular, a importância que São João Paulo II teve na sua vida, a quem deve as “mais fortes interpelações vocacionais”, bem como a compreensão de que “a nossa verdadeira grandeza é servir e dar a vida, como Jesus, apagando-nos depois como uma vela que não deixa de iluminar até à última gota de cera”. Foi também este Papa, cujo pontificado iniciou quando Daniel Henriques tinha apenas 12 anos e terminou quando ele tinha 39, que o inspirou a escrever o seu testamento espiritual.

 

Visite o andar-modelo. Há muitos e bons livros para lembrar Abril

Três obras para ler

Visite o andar-modelo. Há muitos e bons livros para lembrar Abril novidade

Abril, livros mil é o cliché óbvio, e até preguiçoso, para o manancial de edições no mercado livreiro português sobre os 50 anos do 25 de Abril ou que, aproveitando a efeméride redonda da Revolução dos Cravos, se inscrevem na história da ditadura do Estado Novo e da democracia nascida em 1974. O 7MARGENS traz três (breves) propostas. Abril é sinónimo de diversidade e as férias podem ser ocasião para descobrir mais como se fez a democracia que vivemos há cinco décadas.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Jovens bahá’ís dedicam férias de verão ao serviço comunitário

De norte a sul do país

Jovens bahá’ís dedicam férias de verão ao serviço comunitário novidade

O período do verão é muitas vezes utilizado pelos jovens bahá’ís como uma oportunidade para dedicar tempo ao serviço, e este ano não está a ser diferente. A Caravana de Serviço, um projeto que reúne jovens de diversas localidades para atividades de serviço comunitário de norte a sul do país, começou com grande entusiasmo no final de junho com o evento Reconecta, realizado em Monchique, e já em julho com um  acampamento nacional, em Palmela.

Palavras violentas, consequências violentas

Palavras violentas, consequências violentas novidade

Com uma percentagem significativa do país armada, e pelo menos uma percentagem violentamente zangada, temos de concordar que a única esperança para a paz é, como se diz, “reduzir a retórica”. – A reflexão de Phyllis Zagano sobre o panorama atual nos EUA

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This