Caso com 30 anos

Patriarcado reconhece denúncia de abuso sexual

| 27 Jul 2022

evangelho, d. manuel clemente, missa na se de lisboa, foto patriarcado de lisboa

Manuel Clemente encontrou-se em 2019 com a vítima, mas esta terá pedido para não divulgar caso. Foto © Patriarcado de Lisboa.

 

O Patriarcado de Lisboa reconheceu esta quarta-feira, dia 27, que recebeu uma queixa contra um padre por alegados abusos sexuais e que o patriarca Manuel Clemente se encontrou com a vítima desses abusos sexuais, duas décadas depois dos eventos, mas sem consequências.  

Segundo uma nota da diocese, as decisões que foram tomadas “na altura” da primeira denúncia tiveram “em conta as recomendações civis e canónicas vigentes” — e que entretanto foram alteradas.

De acordo com o jornal Observador, que revelou o caso (notícia para assinantes), a família de uma criança denunciou há mais de 30 anos um padre junto do patriarca de Lisboa, à época José Policarpo, por abusos sexuais.

Em 2019, a vítima — agora com 40 anos — pediu para ser recebida por Manuel Clemente e contou de novo o caso. Segundo o comunicado do Patriarcado, a vítima não quis divulgar o caso e pedia apenas que o seu caso servisse como exemplo para que situações idênticas não se repetissem. O caso terá entretanto prescrito. E mesmo há três anos, o patriarca manteve o padre em funções e nada foi comunicado às autoridades, segundo conta o jornal.

Na nota de esclarecimento, enviada à Agência Ecclesia, sublinhava-se que, “até este momento, o Patriarcado de Lisboa desconhece qualquer outra queixa ou observação de desapreço sobre o sacerdote. O sacerdote está atualmente hospitalizado e cessou funções no centro hospitalar onde trabalhava”.

Também a Comissão Diocesana de Proteção de Menores “não recebeu qualquer denúncia ou comunicação sobre o caso”, esclarece o comunicado.

“O Patriarcado de Lisboa está totalmente disponível para colaborar com as autoridades competentes, tendo sempre como prioridade o apuramento da verdade e o acompanhamento das vítimas”, conclui o texto.

Por sua vez, o coordenador da Comissão Independente para o Estudo de Abusos Sexuais de Crianças na Igreja Católica Portuguesa, Pedro Strecht, esclareceu — também num comunicado enviado ao 7MARGENS — que “a Comissão Independente (CI) não revela nomes de alegados abusadores, de vítimas que pedem o anonimato e/ou possíveis locais de ocorrência de tais actos, sendo que apenas o fará em adenda específica, no final do trabalho, para o Ministério Público e Conferência Episcopal Portuguesa”.

Na nota, o responsável da CI refere que sobre depoimentos recebidos no âmbito do seu trabalho “e que configurem possíveis situações não prescritas pela Lei Portuguesa, as mesmas serão sempre enviadas directamente para o Ministério Público (MP) e Polícia Judiciária, quando exista já nesta instância queixa anteriormente reportada”. E revelou que, “neste momento”, quatro dessas queixas já foram consideradas “arquivadas” pelo MP.

 

Luigino Bruni: “Se organizarmos a JMJ Lisboa como há dez anos, será um falhanço total”

Diretor d'A Economia de Francisco, em Assis, ao 7M

Luigino Bruni: “Se organizarmos a JMJ Lisboa como há dez anos, será um falhanço total” novidade

Professor de Economia Política da Universidade Lumsa de Roma, e consultor do Dicastério para os Leigos, Luigino Bruni é um apaixonado pela Bíblia e pelo cruzamento entre disciplinas como a Ética e a Economia. No final do encontro global d’A Economia de Francisco, que decorreu entre os passados dias 22 e 24 de setembro em Assis, falou ao 7MARGENS sobre o balanço que faz desta iniciativa, e deixou alguns conselhos aos organizadores da Jornada Mundial da Juventude 2023, que irá realizar-se em Lisboa.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

Índia

Carnataca é o décimo Estado a aprovar lei anticonversão

O Estado de Carnataca, no sudoeste da Índia, tornou-se, no passado dia 15 de setembro, o décimo estado daquele país a adotar leis anticonversão no âmbito das quais cristãos e muçulmanos e outras minorias têm sido alvo de duras perseguições, noticiou nesta sexta-feira, 23, o Vatican News, portal de notícias do Vaticano.

Neste sábado, em Lisboa

“Famílias naturais” em convívio contra a ideologia de género

Prometem uma “tarde de convívio e proximidade”, um concerto, diversão e “múltiplas actividades para crianças e adultos: o “Encontro da Família no Parque” decorre esta tarde de sábado, 24 de Setembro, no Parque Eduardo VII (Lisboa), a partir das 15h45, e “pretende demonstrar um apoio incondicional à família natural e pela defesa das crianças”.

Gratuito e universal

Documentário sobre a Laudato Si’ é lançado a 4 de outubro

O filme A Carta (The Letter) será lançado no YouTube Originals no dia 4 de outubro, anunciou, hoje, 21 de setembro, o Movimento Laudato Si’. O documentário relata a história da encíclica Laudato Si’, recolhe depoimentos de vários ativistas do clima e defensores da sustentabilidade do planeta e tem como estrela principal o próprio Papa Francisco.

Prémio D. António Francisco homenageou pediatria e Serviço Nacional de Saúde

Ala pediátrica do São João e Centro Materno Infantil

Prémio D. António Francisco homenageou pediatria e Serviço Nacional de Saúde novidade

A ala pediátrica do Centro Hospitalar Universitário de São João e o Centro Materno Infantil do Norte (CMIN) receberam, ao início da tarde desta segunda-feira, o Prémio D. António Francisco correspondente à edição deste galardão para o ano de 2020. Em virtude da pandemia, o prémio só agora foi entregue, em cerimónia que decorreu no Palácio da Bolsa, no Porto. Ambas as entidades foram consideradas pelo júri como cumprindo “de forma exemplar os valores do Prémio”, que com esta atribuição fqaz também um “reconhecimento público ao Serviço Nacional de Saúde, pelo esforço desenvolvido na resposta à pandemia”.

Agenda

Fale connosco

Autores