Pedofilia: Papa obriga a denúncias no Vaticano

| 1 Abr 19 | Igreja Católica, Papa Francisco, Últimas, Vaticano/Santa Sé

O Papa Francisco estabeleceu um regime apertado: passa a ser proibido “pedir segredo a crianças” ou “filmar menores “, dentro do Vaticano. As denúncias são obrigatórias. E haverá um responsável para zelar pelas novas regras.

O Papa quer que haja mais “consciência do dever de denunciar às autoridades e cooperar com elas na prevenção e combate” no domínio dos abusos sexuais, de acordo com três documentos com normas de prevenção e repressão relativamente aos mais vulneráveis, inclusive menores, a vigorar a partir de 1 de Junho, no Vaticano.

Segundo um Motu proprio (um decreto pessoal do Papa) Francisco estabelece que, “sem prejuízo do sigilo sacramental“, todos “são obrigados a apresentar, sem demora, denúncia junto ao promotor de justiça do Tribunal do Estado da Cidade do Vaticano sempre que, no exercício das suas funções, tenham conhecimento ou motivos fundados para considerar que um menor ou uma pessoa vulnerável é vítima” de abusos, “sempre que forem cometidos alternativamente: no território do Estado; em prejuízo de cidadãos ou de residentes no Estado; por ocasião do exercício das suas funções, pelos oficiais públicos do Estado”.

No mesmo documento pede-se ainda se reconheça aos que afirmam ter sido “vítimas de abusos ou de maus-tratos, assim como aos seus familiares, o direito de serem acolhidos, ouvidos e acompanhados não só a nível pastoral e espiritual, mas também médico, psicológico e legal, através do Serviço de Acompanhamento gerido pela Direção de Saúde e Higiene do Governo do Estado da Cidade do Vaticano”. E que seja garantido aos imputados o direito a um processo justo e imparcial, no respeito da presunção de inocência, assim como dos princípios de legalidade e de proporcionalidade entre o crime e a pena.

O Papa diz ainda que se deve promover a “reabilitação psicológica e espiritual, também para fins de reinserção social” de todos os condenados e que se faça tudo o que é possível para reabilitar a boa fama de quem tiver sido acusado injustamente.

Num segundo documento, estabelecem-se directrizes para a protecção de menores, um texto com valor de lei e que proíbe expressamente, dentro da Cidade do Vaticano (único lugar onde o Papa tem jurisdição penal), “infligir punições corporais de qualquer tipo, estabelecer uma relação preferencial com um menor individual, dirigir-se a um menor de modo ofensivo ou assumir comportamentos inapropriados ou sexualmente alusivos, pedir que um menor guarde um segredo, fotografar ou filmar um menor sem o consentimento por escrito dos pais”.

Por fim, o Papa cria uma figura nova no Estado do Vaticano: um curador responsável por fazer cumprir todas estas normas de protecção de menores, presentes no Vaticano (como sejam os acólitos do Papa e os seminaristas do pré-Seminário São Pio X), estando a sua nomeação a cargo do vigário geral do Vaticano, neste caso o cardeal Angelo Comastri.

O Papa cumpre, deste modo, uma das vontades que manifestara no final da cimeira sobre os abusos, que decorreu entre 21 e 24 de fevereiro: “O eco do grito silencioso dos menores que, em vez de encontrar neles paternidade e guias espirituais, encontraram algozes, fará tremer os corações anestesiados pela hipocrisia e o poder. Temos o dever de ouvir atentamente este sufocado grito silencioso.”

Artigos relacionados

Breves

Limpar uma praia porque o planeta está em jogo

Sensível ao ambiente, à poluição e ao seu impacto sobre o mundo animal e o planeta em geral, Sylvia Picon, francesa residente em Portugal, decidiu convocar um piquenique ecológico na Praia do Rei (Costa de Caparica, Almada), no próximo sábado, 20 de abril. A concentração será no parque de estacionamento da Praia do Rei e ao piquenique segue-se uma limpeza do areal desta praia da Costa de Caparica.

União Europeia acusada de financiar trabalho forçado em África

A Fundação Eritreia para os Direitos Humanos (FHRE) e a Agência Habeshia alertaram para o facto de o financiamento da União Europeia (UE) poder estar a ajudar na promoção de situações de semi-escravatura de militares jovens, através dos fundos para a construção de estradas na Eritreia, até à fronteira com a Etiópia, e que supostamente se destinam a combater a “migração irregular”.

Bispos do México fazem frente a Trump e ajudam migrantes nas fronteiras

Os bispos católicos do nordeste do México uniram-se para receber comboios de imigrantes que tentam entrar nos Estados Unidos da América e ficam retidos na fronteira com o seu país. Para tal estão a ser tomadas várias medidas de apoio como a criação de novos centros de acolhimento de migrantes em dioceses transfronteiriças, à semelhança do que já acontece na diocese de Saltillo.

Boas notícias

República Centro Africana: jovens promovem acordo de não-agressão entre bairros

República Centro Africana: jovens promovem acordo de não-agressão entre bairros

Dois jovens centro-africanos – Fabrice Dekoua, cristão, e Ibrahim Abdouraman, muçulmano – decidiram promover um pacto de não-agressão entre as populações dos bairros de Castores (de predominância cristã) e Yakite (maioria mulçumana), na capital da República Centro-Africana, Bangui, para tentar mostrar que é possível pôr fim à violência que assola o país.

É notícia 

Entre margens

A Páscoa como escândalo

A falta de compreensão do sentido da Páscoa tornou-se generalizada no mundo ocidental, apesar de a celebrar, por força da tradição e da cultura. A maior parte dos que se afirmam cristãos revela enorme dificuldade em entender o facto de a época pascal ser a mais significativa no calendário da fé cristã.

Jesus Cristo, o estrangeiro aceite pelos povos bantus

Jesus Cristo é uma entidade exterior aos bantu. É estrangeiro, praticamente um desconhecido, mas aceite pelos bantu. Embora se saiba de antemão que Jesus é originário do Médio Oriente e não português, povo que levou o Evangelho para África. Parece um contrassenso?

Papa Francisco: “Alegrai-vos e exultai”. Santidade e ética

No quinto aniversário do início solene do seu pontificado, a 19 de março de 2018 (há pouco mais de um ano), o Papa Francisco publicou a Exortação Apostólica Gaudete et Exsultate, “sobre a santidade no mundo atual”. Parte do capítulo V da Constituição do Vaticano II, Lumen Gentium. Aí se propõe a santidade para todos os cristãos, entendida em dois níveis: a santidade como atributo de Deus comunicada aos fiéis, a que se pode chamar “santidade ontológica”, e a resposta destes à ação de Deus neles, a “santidade ética”.

Cultura e artes

As Sete Últimas Palavras

Talvez muitas pessoas não saibam que a obra de Joseph Haydn As Sete Últimas Palavras de Cristo na Cruz foi estreada em Cádis, na Andaluzia, depois de encomendada pelo cónego José Sáenz de Santamaria, responsável da Irmandade da Santa Cova.

Laranjeiras em Atenas

Há Laranjeiras em Atenas, de Leonor Xavier (Temas e Debates/Círculo de Leitores, 2019) reúne um conjunto diversificado de textos, a um tempo divertidos e sérios, livro de memórias e de viagens, de anotações e comentários… O gosto e a surpresa têm a ver com pequenos pormenores, mas absolutamente marcantes.

Sete Partidas

Uma gotinha do Tamisa contra o “Brexit”

Mas o meu objectivo número um para a visita neste sábado era o de participar na grande e anunciada manifestação contra o Brexit. Quando cheguei junto ao Parlamento já lá estava tudo preparado para as intervenções políticas.

Visto e Ouvido

Uma criação musical para Quinta-Feira santa: O Senhor mostrou o poder do seu amor, de Rui Miguel Fernandes, SJ

Agenda

Fale connosco