Diário de viagem II: Pelo deserto, até à Guiné-Bissau, um jipe salva-vidas para sarar a dor alheira

| 5 Fev 19

O grupo no jantar de segunda-feira, em Arssilah (Marrocos), depois de atravessar três países e dois continentes diferentes, num só dia. (foto: direitos reservados)

Foi no extremo de Portugal que acordámos para o segundo dia.

De ponta a ponta, não é grande o território pátrio. Somos bem maiores nós, os portugueses, que demos novo mundo ao mundo. Rumar à Guiné parece que nos dá essa dimensão desmedida e estica-nos no sonho e na ousadia. Gratos pelo extraordinário acolhimento recebido pelo reitor do Seminário de Faro e agradecidos ao bispo D. Manuel Quintas, que quis oferecer a pernoita, aquecemos os motores e rumamos, apressados, a Tarifa, tendo embora tempo para pregar os olhos na beleza da Ria Formosa que o sol, ainda menino, beijava, como quem acaricia uma irmã.

Rezamos Laudes para cumprirmos o dever que nos incumbe e, já nas imediações de Sevilha, um grave acidente obrigou ao corte da auto-estrada em que seguíamos. As autoridades desviaram-nos para estradas secundárias com um preço: cerca de duas horas de atraso. Consequência: só conseguimos embarcar no ferry das 16h, já nos limites, quando deveríamos ter apanhado o da uma da tarde.

Mas nem este atraso de três horas nos roubou a alegria e a boa disposição. Passamos, aliás, muito do tempo da viagem a contar anedotas com transmissão de um carro para o outro. O padre Teixeira resolveu presentear o grupo com uns extraordinários walky-talkies que permitem falar do jipe para a pick-up, e vice versa, com toda a qualidade e grande vantagem. No início, estes simpáticos aparelhos pareciam um nada mas revelaram-se um muito, pela vantagem que proporcionam de comunicação entre as duas viaturas.

O embarque no ferry é realmente mais fácil e mais sossegado em Tarifa, pelo que depressa aquele barco, com boca de tubarão, engoliu, sem dó nem piedade, o nosso pobre jipe e a desvalida pick-up e vomitou-nos inteirinhos, no porto de Tanger. Temíamos as formalidades das fronteiras, em África sempre demoradas e até desesperantes, mas Marrocos é uma excepção e há simpatia pelos portugueses, pelo que em 15 minutos estávamos no reino de sua Majestade com todo o conforto e muita amabilidade dos polícias fronteiriços. Fantástico!

Continuamos animados e jubilosos, reparando nos rostos dos marroquinos, mais queimados do que os nossos, na arquitectura, que se nos afigurava mais frágil do que a portuguesa, e nas paisagens que, por serem diferentes das nossas, regalavam os nossos olhos já fatigados pelas longas horas de estrada.

Não demorou a chegarmos a Arssilah, onde o nosso colega e mestre de cozinha padre André nos preparou um arroz de feijão com moiras e chouriças. Até os nossos amigos leigos comeram como abades!

Enfim, no mesmo dia, estivemos em três países: Portugal, Espanha e Marrocos; e em dois continentes: Europa e África. Somos do tamanho do mundo! Pelos menos o nosso sonho de chegar à Guiné não é mais pequeno do que essa medida. Mas tão grande quanto isto, ou ainda mais, é a amizade, empatia e comunhão que se vai consolidando entre todos estes peregrinos. 

 

Padre Almiro Mendes

(O 7MARGENS acompanhará durante os próximos dias, através de um diário de viagem, a expedição do padre Almiro Mendes e dos seus companheiros rumo à Guiné-Bissau)

 

Breves

Cardeal Tagle propõe eliminar a dívida dos países pobres novidade

O cardeal filipino Luis Antonio Tagle, prefeito da Congregação para a Evangelização dos Povos, propôs a criação de um Jubileu especial em que os países ricos perdoem a dívida dos países pobres aos quais concederam empréstimos, de forma a que estes tenham condições para combater a pandemia de covid-19.

Oxfam pede “um Plano Marshall de Saúde” para o mundo novidade

A Oxfam, ONG de luta contra a pobreza sediada no Quénia e presente em mais de 90 países, pediu esta segunda-feira, 30, “um plano de emergência para a saúde pública” com a mobilização de 160 biliões de dólares. Este valor permitiria duplicar os gastos com a saúde nos 85 países mais pobres, onde vive quase metade da população mundial.

Peter Stilwell deixa reitoria da única universidade católica da R.P. China

O padre português Peter Stilwell será substituído pelo diácono Stephen Morgan, do País de Gales, no cargo de reitor da Universidade de São José, em Macau.  A mudança, que já estava a ser equacionada há algum tempo, está prevista para julho, depois de um mandato de oito anos naquela que é a única universidade católica em toda a República Popular da China.

Governo português decreta que imigrantes passam a estar em situação regular

O Governo português decretou que, a partir de 18 de Março (dia da declaração do Estado de Emergência Nacional), todos os imigrantes e requerentes de asilo que tivessem pedidos de autorização de residência pendentes no Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) passam a estar em situação regular, com os mesmos direitos que todos os outros cidadãos, incluindo nos apoios sociais.

Boas notícias

É notícia

Cultura e artes

Nick Cave e o espanto de Maria Madalena defronte do túmulo

É um assombro que espanta Nick Cave, aquele em que Maria Madalena e Maria permanecem junto à sepultura. Para o músico australiano, este é provavelmente o seu momento preferido da Bíblia. Jesus tinha sido retirado da cruz, o seu corpo depositado num túmulo novo, mandado talhar na rocha, e uma pesada pedra rolou para fazer a porta da sepultura. Os doze discípulos fugiram, só Maria Madalena e “a outra Maria” ali ficaram diante do túmulo.

Nick Cave e o espanto de Maria Madalena defronte do túmulo

É um assombro que espanta Nick Cave, aquele em que Maria Madalena e Maria permanecem junto à sepultura. Para o músico australiano, este é provavelmente o seu momento preferido da Bíblia. Jesus tinha sido retirado da cruz, o seu corpo depositado num túmulo novo, mandado talhar na rocha, e uma pesada pedra rolou para fazer a porta da sepultura. Os doze discípulos fugiram, só Maria Madalena e “a outra Maria” ali ficaram diante do túmulo.

Uma tragédia americana

No dia 27 de Julho de 1996, quando decorriam os Jogos Olímpicos, em Atlanta, durante um concerto musical, um segurança de serviço – Richard Jewel – tem a intuição de que uma mochila abandonada debaixo de um banco é uma bomba. Não é fácil convencer os polícias da sua intuição, mas ele é tão insistente que acaba por conseguir.

Pessoas

Abiy Ahmed Ali, o Nobel da Paz para um cristão pentecostal

Abiy Ahmed Ali, o Nobel da Paz para um cristão pentecostal

O primeiro-ministro da Etiópia, Abiy Ahmed Ali, receberá nesta terça-feira o Nobel da Paz de 2019, numa cerimónia em Oslo. O Comité Nobel não o disse, mas várias das atitudes e propostas do mais jovem líder da África, com 43 anos, radicam na sua fé cristã de matriz pentecostal.

Sete Partidas

Um refúgio na partida

De um lado vem aquela voz que nos fala da partida como descoberta. Um convite ao enamoramento pelo que não conhecemos. Pelo diferente. Um apelo aos sentidos. Alerta constante. Um banquete abundante em novidade. O nervoso miudinho por detrás do sorriso feliz. Genuinamente feliz. O prazer simples de não saber, de não conhecer…

Visto e Ouvido

Agenda

Entre margens

As circunstâncias fazem os grandes líderes. Cá estão elas.

Faço parte de uma geração que reclama grandes líderes. Não tenho muitas dúvidas que esta reclamação é de quem vive num certo conforto. Não tive um Churchill porque não passei por uma grande guerra. Não tive um Schuman porque não era vivo quando a Europa esteve em cacos. Não tive um Sá Carneiro, Freitas do Amaral ou Mário Soares porque não era vivo quando Portugal ainda só sonhava com uma Democracia plena e funcional.

Fale connosco