Peregrinações em tempo de pandemia: Caminho de Santiago com novas regras, Lourdes só através do ecrã

| 1 Jul 20

Cópia de caminho santiago compostela, Foto Clara Raimundo

Voltou a ser possível fazer o Caminho de Santiago, mas muitos albergues permanecem encerrados e há novas regras para prevenir a disseminação da pandemia. Foto © Clara Raimundo.

 

Reabriu esta quarta-feira, 1 de julho, a catedral de Santiago de Compostela e, com ela, o centro de acolhimento ao peregrino, bem como alguns dos albergues do Caminho. Mas a pandemia obrigou a pôr em prática regras especiais para aqueles que queiram percorrer os itinerários até Santiago. Em Lourdes, continuam suspensas todas as peregrinações, mas o Santuário, que reabriu parcialmente, está a preparar para o dia 16 de julho uma “e-peregrinação” global que prevê a participação de “milhões de pessoas de todos os continentes”.

No Caminho de Santiago, a principal alteração pós-covid19 diz respeito à abolição daquele que era até agora um verbo muito comum para os peregrinos: “partilhar”. Segundo as novas recomendações divulgadas pelo Conselho Jacobeu, os peregrinos deverão a partir de agora levar na mochila alguns objetos pessoais e intransmissíveis que não faziam parte da lista de material essencial: termos para água e alimentos, talheres que possam ser esterilizados e reutilizados, máscaras, desinfetante em gel e para pulverizar e uma caneta.

Os peregrinos são aconselhados a higienizar o mobiliário das zonas de descanso antes de o usarem, desinfetar as mãos antes e depois de abrir a água nos bebedouros, beber sempre a partir do seu próprio termo, manter a distância de segurança e utilizar máscara nos miradouros e espaços fechados. Caso se desloquem em bicicleta, deverão estacioná-la sem que esta entre em contacto com as restantes e desinfetá-la antes de a utilizar novamente.

Numa altura em que já se prepara a celebração do Ano Santo Jacobeu 2021 (declarado acontecimento de excecional interesse público), os albergues irão reabrir gradualmente até setembro, estando neste momento limitados a 50% ou 75% da sua capacidade, consoante sejam públicos ou privados, pelo que se recomenda que as estadias sejam reservadas com antecedência na aplicação criada para o efeito.

As novas regras supõem que os albergues procedam à higienização dos espaços comuns pelo menos seis vezes ao dia e que as camaratas sejam atribuídas a famílias ou grupos de pessoas a peregrinar juntas. Na maioria dos casos, as cozinhas e refeitórios permanecerão fechados, pelo que os peregrinos deverão planear as suas refeições antecipadamente.

Quanto aos donativos aos albergues, bem como outros pagamentos, deverão ser feitos, sempre que possível, através de meios eletrónicos. Recomenda-se ainda que os peregrinos instalem a aplicação Alertcops para assinalar o seu itinerário e assim fazer a peregrinação com maior segurança.

De acordo com o jornal El País, não há ainda uma estimativa quanto ao número de peregrinos que farão o Caminho de Santiago este ano. O recorde foi batido em 2019, com cerca de 350 mil peregrinos a chegar a Santiago de Compostela através dos diferentes percursos.

Basílica de Nossa Senhora do Rosário, em Lourdes. Foto © António Marujo/7Margens

 

No Santuário de Lourdes, que anualmente recebe em média 3 milhões de visitantes, as peregrinações continuam suspensas, mas são esperadas para a e-peregrinação global “milhões de pessoas de todos os continentes, através da televisão, rádio e redes sociais, sob o signo da esperança e da solidariedade”, anuncia a organização.

Intitulada Lourdes United, a iniciativa irá decorrer no dia 16 de julho, “aniversário da 18ª e última aparição da Virgem Maria”, e incluirá 15 horas de transmissão em direto de “celebrações, procissões, rosários, orações” e ainda testemunhos de inúmeras “personalidades religiosas e civis” que falarão do “papel que Lourdes desempenha nas suas vidas”.

Os conteúdos poderão ser seguidos através da página da iniciativa e serão disponibilizados em dez línguas diferentes, incluindo o português.

 

[related_posts_by_tax format=”thumbnails” image_size=”medium” posts_per_page=”3″ title=”Artigos relacionados” exclude_terms=”49,193,194″]

Gracia Nasi, judia e “marrana”

Documentário na RTP2

Gracia Nasi, judia e “marrana”

Nascida em Portugal em 1510, com o nome cristão de Beatriz de Luna, Gracia Nasi pertencia a uma uma família de cristãos-novos expulsa de Castela. Viúva aos 25 anos, herdeira de um império cobiçado, Gracia revelar-se-ia exímia gestora de negócios. A sua personalidade e o destino de outros 100 mil judeus sefarditas, expulsos de Portugal, são o foco do documentário Sefarad: Gracia Nasi (RTP2, 30/11, 23h20).

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

"Nada cristãs"

Ministro russo repudia declarações do Papa novidade

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia, Serguei Lavrov, descreveu como “nada cristãs” as afirmações do Papa Francisco nas quais denunciou a “crueldade russa”, especialmente a dos chechenos, em relação aos ucranianos. Lavrov falava durante uma conferência de imprensa, esta quinta-feira, 1 de dezembro, e referia-se à entrevista que Francisco deu recentemente à revista America – The Jesuit Review.

Bahrein

Descoberto mosteiro cristão sob as ruínas de uma mesquita

Há quem diga que este é o “primeiro fruto milagroso” da viagem apostólica que o Papa Francisco fez ao Bahrein, no início de novembro. Na verdade, resulta de três anos de trabalho de uma equipa de arqueólogos locais e britânicos, que acaba de descobrir, sob as ruínas de uma antiga mesquita, partes de um ainda mais antigo mosteiro cristão.

Inscreva-se aqui
e receba as nossas notícias

Boas notícias

De presépios a vagens de baunilha, ONG propõem presentes de Natal solidários

Apoio ao desenvolvimento

De presépios a vagens de baunilha, ONG propõem presentes de Natal solidários novidade

Há opções para todos os gostos, e para todas as carteiras também. Várias Organizações Não Governamentais (ONG) portuguesas de apoio ao desenvolvimento aproveitam a época natalícia para propor presentes solidários e, com a sua venda, angariar fundos para a sustentabilidade das suas missões. E nem precisa de sair casa para adquiri-los.

É notícia

Entre margens

Desarmar-se

Desarmar-se novidade

Sinto-me um pouco embaraçada. Perguntam-me: como correu o encontro com os meus amigos no Porto e, afinal de contas: o que é isto de “Juntos pela Europa”? O que é que 166 pessoas de 19 países diferentes, de 45 movimentos e comunidades de oito igrejas, podem fazer em conjunto, quando “os semelhantes atraem os semelhantes” e a diversidade é raramente – ou talvez nunca – uma força de coesão? E sem falar das diferentes visões geopolíticas, culturais, históricas, confessionais e, além disso: o que farão agora os russos e os ucranianos, que também estiveram presentes?

A vida por inteiro, uma ode ao amor de Deus

A vida por inteiro, uma ode ao amor de Deus

É difícil descortinar Deus na vida toda: a que nos agrada e a que não nos agrada, a que nos edifica e a que nos abate, a que entendemos e a que nos lança na escuridão. Todos os dias vivemos muitos momentos que nos atiram para tudo isso, e só não percebemos estas nuances se não as quisermos ver. É fácil encontrarmos Deus quando a vida corre bem: tudo encaixa, os nossos talentos estão à vista e vão crescendo, somos reconhecidos, acordamos com vontade para novos dias, que vão ser cheios de coisas boas, previsíveis nas suas causas e nos seus efeitos.

Cultura e artes

Mais do que A Voz da Fátima

Pré-publicação

Mais do que A Voz da Fátima

Que fosse pedido a um incréu um texto de prefácio para um livro sobre A Voz da Fátima, criou-me alguma perplexidade e, ao mesmo tempo, uma vontade imediata de aceitar. Ainda bem, porque o livro tem imenso mérito do ponto de vista histórico, com o conjunto de estudos que contém sobre o jornal centenário, mas também sobre o impacto na sociedade portuguesa e na Igreja, das aparições e da constituição de Fátima e do seu Santuário como o centro religioso mais importante de Portugal. Dizer isto basta para se perceber que não é possível entender, no sentido weberiano, Portugal sem Fátima e, consequentemente, sem o seu jornal.

“Cheguei a pensar ser padre… não é muito diferente de ser comediante”

António Raminhos em entrevista

“Cheguei a pensar ser padre… não é muito diferente de ser comediante”

Andou na catequese, foi escuteiro, e, em plena adolescência, quis ser padre – talvez porque também nesse papel teria de falar às pessoas e cativá-las. A obrigatoriedade do celibato assustou-o. Mais tarde, o sentir que havia falta de coerência dentro da Igreja Católica também. É apaixonado pelas religiões (até gostava de fazer um programa de televisão sobre elas), mas é a figura de Jesus Cristo que verdadeiramente o inspira. Hoje, apesar de ter decidido batizar as três filhas ou de ter ido recentemente a Fátima a pé, não se revê na falta de abertura da Igreja Católica e diz-se mais cristão do que católico. Em plena digressão do seu mais recente espetáculo “Não sou eu, é a minha cabeça”, o comediante António Raminhos falou ao 7MARGENS sobre a sua relação com a fé e a forma como esta pode ajudar pessoas que, como ele, sofrem com distúrbios de ansiedade. E também de como a religião é um terreno fértil para o seu trabalho…

A “Castro” e outros clássicos do teatro para descobrir em Lisboa (e no YouTube)

Clássicos em Cena em 7ª edição

A “Castro” e outros clássicos do teatro para descobrir em Lisboa (e no YouTube)

A Castro, de António Ferreira, e outras duas peças clássicas, serão objecto de duas leituras encenadas nas próximas sexta-feira e domingo. As sessões incluem-se no programa da 7ª edição dos Clássicos em Cena, que decorre na Livraria/Galeria Sá da Costa (R. Serpa Pinto, 19, ao Chiado, em Lisboa), com entrada livre, e também no canal do Teatro Maizum no YouTube.

Sete Partidas

Desobediência

Desobediência

Recentemente fui desafiada a algo que não esperava. Provavelmente deveria começar a ensinar a minha filha a prevaricar, disse-me o meu pai. Foi a palavra escolhida. O sentido era o de rebeldia, de desobediência. Eu fiquei a pensar.

Aquele que habita os céus sorri

pode o desejo

pode o desejo

Breve comentário do p. António Pedro Monteiro aos textos bíblicos lidos em comunidade, no Domingo I do Advento A. Hospital de Santa Marta, Lisboa, 26 de Novembro de 2022.

Agenda

[ai1ec view=”agenda” events_limit=”3″]

Ver todas as datas

Parceiros

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This