Primeira família já chegou a Braga

Plataforma de Apoio aos Refugiados vai acolher 79 migrantes em Portugal

| 27 Ago 21

refugiados mediterraneo foto Anton Chalakov

São esperados em Portugal 14 agregados familiares, no total de 69 pessoas, e dez jovens provenientes de barcos humanitários. Foto © Anton Chalakov.

 

Eram 15h25 desta quinta-feira, 26 de agosto, quando aterrou no aeroporto de Lisboa o avião onde viajava uma família síria, a primeira de um total de 79 pessoas que serão acolhidas pela Plataforma de Apoio aos Refugiados (PAR) em território português ao longo dos próximos meses, beneficiando de proteção internacional.

Esta família, composta por sete elementos, foi encaminhada para uma instituição anfitriã em Braga, que irá promover a sua integração e autonomia, num programa de acolhimento que tem a duração de 18 meses.

De acordo com um comunicado enviado pela PAR ao 7MARGENS, são esperados mais 13 agregados familiares, no total de 69 pessoas, e ainda dez jovens provenientes de barcos humanitários. “Estes 79 cidadãos, que vão receber proteção internacional do Estado português e estatuto de refugiado nos termos da Lei de Asilo, serão encaminhados para dez localidades portuguesas diferentes”, refere o documento.

A PAR manifesta ainda a sua satisfação com o crescimento da rede de instituições anfitriãs no nosso país, “fruto da disponibilidade e sensibilidade que a sociedade civil portuguesa continua a demonstrar ter em questões relacionadas com o acolhimento e integração de refugiados”.

 

Comissão quer “dar voz ao silêncio” das vítimas dos “crimes hediondos” dos abusos do clero

Pedro Strecht apresentou membros

Comissão quer “dar voz ao silêncio” das vítimas dos “crimes hediondos” dos abusos do clero novidade

Daqui a um ano haverá relatório, que pode ser o fim do trabalho ou o início de mais. A comissão para estudar os abusos sexuais do clero português está formada e quer que as vítimas percam o medo, a vergonha e a culpa. Ou seja, que dêem voz ao seu silêncio. Pedro Strecht apresentou razões, o presidente dos bispos disse que não quer mais preconceitos nem encobrimentos, mas “autêntica libertação, autenticidade e dignidade para todos”.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Encontra um trabalho que não amas, não perderás um minuto da tua vida

Encontra um trabalho que não amas, não perderás um minuto da tua vida novidade

Ainda antes de acabar o curso fui à minha primeira entrevista de trabalho “a sério”, numa produtora de filmes num bairro trendy de Lisboa. Roubei um dia à escrita da tese de mestrado, apanhei o comboio e lá fui eu, tão nervosa quanto entusiasmada. O dono começou por me perguntar se fazer cinema era o meu sonho. Fiquei logo sem chão. Sofri, desde muito cedo, de um mal que me acompanha até hoje: sonhava demais e muitos sonhos diferentes.

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This