Intempérie já vitimou 31 pessoas

População do Rio Grande Sul “cansada” das cheias

| 5 Mai 2024

Foto de arquivo de cheias no Rio Grande do Sul. Foto © 2015 CC BY-NC-SA 3.0 BR Caroline Ferraz

Foto de arquivo de cheias no Rio Grande do Sul. Foto © 2015 CC BY-NC-SA 3.0 BR Caroline Ferraz

 

A presidência do regional Sul 3 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) emitiu uma nota de solidariedade para com as vítimas das cheias que o Rio Grande do Sul desde o fim de abril onde expressam que a população está “cansada” de sofrer com situações deste género. “A crise climática tem causado grande instabilidade e insegurança em todo nosso Estado. O momento é mais crítico do que no ano passado. Muitos estão cansados por suportarem pela terceira vez a força das águas. Precisamos reconstruir muito e, sobretudo, a esperança”.

Em setembro de 2023 o Rio Grande do Sul também sofreu com fortes chuvas. Mais de 50 pessoas morreram no Estado. Desta vez, a Defesa Civil do Rio Grande do Sul informou que, até ao momento, as fortes chuvas no Estado já afetaram 235 municípios, matando 31 pessoas, deixando 56 feridas, 74 desaparecidas e mais de 17 mil desalojados. Com as fortes chuvas, o governo do Rio Grande do Sul decretou, no dia 26 de abril, estado de calamidade pública e, por meio do Diário Oficial da União (DOU), o governo federal reconheceu que o Sul do Brasil passa por uma situação de emergência.

No comunicado, a presidência do regional Sul 3 destacou que os temporais “têm causado grande provação” para a população do Sul com “mortes, desalojados, pontes caídas, estradas bloqueadas, destruição de casas e de construções” e “parte da população está sem energia elétrica e com o abastecimento de água comprometido”, mas “nesta hora”, eles também percebem “sinais de fé e solidariedade” que os animam. “O empenho das instituições governamentais, militares e civis dedicadas à defesa da vida, o envolvimento de nossas comunidades eclesiais abrindo suas portas para acolher o que perderam tudo”, diz a nota. “É como orienta o papa Francisco: fizemos de nossas comunidades Hospitais de Campanha que socorrem imediatamente quem precisa. Há coletas de doações que estão sendo realizadas em todo Estado e especialmente o Regional Sul 3 organizou uma campanha para socorrer os diversos municípios. Nossa fé em Cristo impele-nos para continuarmos criando laços de amizade social, pois podemos estar ilhados, mas não isolados. Contamos com a oração de todos, precisamos!”, diz o comunciado, citado pela ACI Digital.

O Papa Francisco mostrou-se também ele solidário com a situação. “Asseguro a minha oração às populações do Estado do Rio Grande do Sul, no Brasil, atingidas por grandes inundações. Que o Senhor acolha os defuntos, conforte os familiares e os que tiveram de deixar as suas casas”, disse, desde a janela do apartamento pontifício, após a recitação da oração do ‘Regina Coeli’, citado pela Ecclesia.

 

Guerra e Paz: angústias e compromissos

Um ensaio

Guerra e Paz: angústias e compromissos novidade

Este é um escrito de um cristão angustiado e desorientado, e também com medo, porque acredita que uma guerra devastadora na Europa é de alta probabilidade. Quando se chega a este ponto, é porque a esperança é já pequena. Manda a consciência tentar fazer o possível por evitar a guerra e dar uma oportunidade à paz. — ensaio de Nuno Caiado

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This