Dia Mundial pelo Trabalho Digno

Por uma “rede de proteção social mínima” para todos

| 5 Out 21

Futebol, Qatar, FIFA, Trabalho

Trabalho digno e salários justos: parece fácil, mas não será assim tão simples. Foto: Amnistia Internacional

 

O Movimento Mundial de Trabalhadores Cristãos (MMTC) assinala o Dia Mundial pelo Trabalho Digno que se celebra a 7 de outubro, com uma mensagem dirigida a todos os que são impactados pela realidade do trabalho, sejam eles patrões, governos ou trabalhadores.

Na mensagem, que foi escrita pelo grupo do MMTC na Índia, refere-se a importância de garantir uma “rede de proteção social mínima para todos os trabalhadores independentemente do salário, tamanho da empresa e lugar de origem”.

O documento enviado às redações expressa ainda alguns receios sobre o estado do mundo laboral pós-pandemia, principalmente no que diz respeito às mulheres, que “tiveram de assumir grande parte da carga adicional do cuidado dos filhos enquanto as escolas fecharam”. “Em alguns países, a participação das mulheres na população activa caiu para o seu nível mais baixo desde os meados dos anos 80”, refere o MMTC, que acrescenta que “o vírus aumentou as diferenças dos salários ou de riqueza em função da classe, raça e género”.

Esta perspetiva do trabalho digno, transversal ao documento, está também relacionada com o proporcionar “oportunidades de trabalho produtivo” com o seu respetivo “salário justo”, mas não só. Segurança no trabalho, liberdade para as pessoas expressarem os seus pontos de vista e se organizarem são outros dos aspetos importantes que o documento salienta.

Este movimento considera que a segurança social, nos diferentes países, “ajuda a mitigar o impacto económico e social das recessões económicas, a gerar resiliência e a acelerar a recuperação do crescimento geral”. “Uma segurança social adequada fomenta o investimento em capital humano tanto para os empregadores como para os trabalhadores”, defendem os autores da mensagem.

 

Abusos na Igreja e o Vaticano: Falta “fazer o que ainda não foi feito”

Análise

Abusos na Igreja e o Vaticano: Falta “fazer o que ainda não foi feito” novidade

Sobre as leituras e as consequências do estudo divulgado há precisamente uma semana relativamente aos abusos na Arquidiocese de Munique, umas das principais da Alemanha, o mundo católico encontra-se em suspenso. Já esta sexta-feira, 28, espera-se o pronunciamento da diocese visada e tanto o Vaticano como Bento XVI anunciaram ir estudar atentamente o documento, tendo o Papa Emérito prometido responder.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Centro de Formação Cristã inaugura disciplina sobre ecologia integral

Diocese de Leiria-Fátima

Centro de Formação Cristã inaugura disciplina sobre ecologia integral novidade

A partir do próximo dia 8 de fevereiro, a Escola Diocesana Razões da Esperança (EDRE), do Centro de Cultura e Formação Cristã da Diocese de Leiria-Fátima, contará com uma novidade na sua oferta formativa: pela primeira vez e de forma mais sistematizada, será dada atenção às questões ambientais e ecológicas, na linha do que o Papa Francisco propõe na Encíclica Laudato Si’. A disciplina terá a designação de “Cuidar da Terra, cuidar do outros” e será lecionada por elementos da Rede Cuidar da Casa Comum, noticia a diocese no seu site.

Thich Nhat Hanh: Buda e Jesus são irmãos

Thich Nhat Hanh: Buda e Jesus são irmãos novidade

Regressei ao cristianismo. Mas fui budista zen cerca de quinze anos, integrada na orientação budista zen do mestre japonês Taisen Deshimaru (Associação Zen Internacional); tendo como mestre um dos seus discípulos, Raphael Doko Triet. Gostaria de lhe prestar aqui a minha homenagem pois aprendi muito com ele, ligando-nos ainda – embora à distância – uma profunda amizade.

Fale connosco

Abusos na Igreja
Dar voz ao silêncio

Contactos da Comissão Independente

https://darvozaosilencio.org/

E-mail: geral@darvozaosilencio.org

Telefone: (+351) 91 711 00 00

You have Successfully Subscribed!

Pin It on Pinterest

Share This