Portugal: dois terços das famílias viram a situação económica piorar com a pandemia

| 25 Mar 21

Máscara, Pandemia, Voluntariado, Solidariedade, Braga, Catarina Soares Barbosa

Voluntários na associação Virar a Página, em Braga, a preparar refeições solidárias. Foto © Catarina Soares Barbosa.

 

Em ano de pandemia, Portugal viu crescer as desigualdades sociais, sendo que dois terços dizem sentir dificuldades em enfrentar os custos do dia-a-dia, segundo dados divulgados pela Deco, Associação de Defesa dos Consumidores, nesta quinta-feira, 25 de março.

As regiões Centro, do Algarve, da Madeira e dos Açores são aquelas em que mais crítica ficou a situação das famílias e foram mais sentidas as dificuldades, de acordo com dados do Barómetro Deco/Proteste.

Mais de um quarto dos 4000 agregados familiares inquiridos declararam ter tido perdas de rendimento igual ou superior a 25 por cento, em 2020.

Em termos nacionais, 63% afirmaram ter dificuldades financeiras para assegurar as despesas correntes e 6% estão mesmo numa situação crítica. Só 31% revelaram conseguir pagar as contas. As dificuldades fazem-se sentir mais nos distritos de Vila Real, Aveiro, Faro, Setúbal e Açores. Em situação mais desafogada mostravam-se os distritos de Bragança, Braga, Castelo Branco e Lisboa .

As situações ou factores que mais relação direta apresentam com as dificuldades são o emprego, a inactividade e a redução salarial. Por sua vez,as despesas mais difíceis de suportar foram, por ordem decrescente, as relacionadas com o carro, os tratamentos dentários, as férias de verão, a manutenção da habitação e os óculos e aparelhos auditivos.

 

Bispos pedem reconciliação e fim da violência depois de 200 mortes na Nigéria

Vários ataques no Nordeste do país

Bispos pedem reconciliação e fim da violência depois de 200 mortes na Nigéria novidade

O último episódio de violência na Nigéria, com contornos políticos, económicos e religiosos, descreve-se ainda com dados inconclusivos, mas calcula-se que, pelo menos, duas centenas de pessoas perderam a vida na primeira semana de Janeiro no estado de Zamfara, Nigéria, após vários ataques de grupos de homens armados a uma dezena de aldeias. Há bispos católicos a sugerir caminhos concretos para pôr fim à violência no país, um dos que registam violações graves da liberdade religiosa. 

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Papa doa 200 mil euros para ajudar migrantes e vítimas de tufão

Preocupado com Bielorrússia e Filipinas

Papa doa 200 mil euros para ajudar migrantes e vítimas de tufão novidade

O Papa Francisco enviou uma contribuição de 100 mil euros à Igreja das Filipinas, para ajudar o país asiático a minimizar as consequências do tufão Rai, que segundo dados das Nações Unidas provocou pelo menos 400 mortos, dezenas de desaparecidos, tendo afetado 8 milhões de pessoas em 11 regiões. Quantia equivalente foi destinada aos “grupos de migrantes bloqueados entre a Polónia e a Bielorrússia e em auxílio da Cáritas Polaca para enfrentar a emergência migratória na fronteira entre os dois países, devido à situação de conflito que já dura mais de 10 anos”, informou o Vaticano esta terça-feira, 18 de janeiro.

O Senhor a receber das mãos do servo

O Senhor a receber das mãos do servo novidade

Sendo hoje 6 de Janeiro (19 de Janeiro no calendário gregoriano), no calendário juliano (seguido por grande parte dos cristãos ortodoxos em todo o mundo), celebramos a Festa da Teofania de Nosso Senhor Deus e Salvador Jesus Cristo, isto é, a festa da manifestação ou revelação ao mundo da Sua divindade, no mistério do Seu Baptismo no rio Jordão, das mãos de São João Baptista.

Fale connosco

Pin It on Pinterest

Share This