América Latina

Povos indígenas participam no processo sinodal e apresentam reivindicações

| 27 Fev 2023

Indígenas, América Latina, Sínodo

Assembleia dos povos indígenas do Sínodo sobre a sinodalidade, parte da etapa continental. Foto © Celam

 

Perto de meia centena de representantes dos povos e comunidades originárias da América Latina juntaram-se na última semana para dar o seu contributo específico ao processo sinodal que toda a Igreja Católica está a viver.

O encontro de cinco dias sobre “Participação Sinodal e Articulação Pastoral” realizou-se na localidade equatoriana de Latacunga, nas encostas do vulcão Cotopaxi, e foi organizado pela comissão de povos indígenas do Conselho Episcopal da América Latina e Caraíbas (Celam).

A presença de responsáveis pastorais da região, entre bispos, presbíteros, religiosas e leigos, não impediu os participantes dos povos originários de apresentarem reivindicações que apontam no sentido de superar as distâncias e esquecimentos a que se sentem votados.

Como os organizadores quiseram vincar, não se tratou de uma iniciativa paralela, mas, antes, “complementar às quatro assembleias regionais da fase continental do Sínodo na América Latina e nas Caraíbas”, buscando garantir a participação ativa dos povos originários no processo sinodal.

“Estamos preocupados com o abandono da pastoral dos povos indígenas que não contam com o apoio das suas estruturas eclesiais”, afirma a comissão de povos indígenas do Celam, em nome dos participantes. “Lamentamos as incoerências entre as palavras escritas e as ações quotidianas, que se vivenciam em alguns lugares”, acrescentam os agentes de pastoral oriundos de oito países do subcontinente.

Na avaliação feita sobre o modo como a Igreja está a enfrentar esta realidade, utilizando o método da conversação espiritual, foi possível fazer o levantamento das tensões e divergências existentes. A participação no processo sinodal foi valorizada, mas, ao mesmo tempo, considerou-se serem ainda “insuficientes as possibilidades de integração ativa no processo”, dada a falta de “espaços de participação, tanto na etapa das igrejas particulares como na etapa continental”.

Os resultados do trabalho deste Encontro Sinodal de Participação dos Povos Originários serão refletidos nas contribuições para o processo sinodal que constarão da etapa continental.

O encontro contou com a presença de representantes dos povos Nahuatl do México; Guaraní e Mbya Guaraní do Paraguai; Guna e Ngäbe do Panamá; Puruborá do Brasil; Chiquitano e Andina da Bolívia; Achuar e Huitoto-Muruy do Peru; Nasa, Inga, Tucano, Emberá Katío, Zenú e Pastos da Colômbia; e Kichwa e Shuar da Amazónia equatoriana.

 

Amnistia pede a líderes africanos na COP28 que se unam em defesa dos direitos humanos

Alertando para "erros" do passado

Amnistia pede a líderes africanos na COP28 que se unam em defesa dos direitos humanos novidade

Os líderes africanos que vão participar na cimeira sobre o clima das Nações Unidas, COP28, “devem evitar os erros cometidos durante a Cimeira Africana do Clima”, que decorreu no passado mês de setembro, e na qual adotaram a Declaração de Nairobi sobre as Alterações Climáticas e Apelo à Ação. Porque esta, “em muitos aspetos, não deu prioridade efetiva aos direitos humanos e à justiça climática para o continente”, alertou a Amnistia Internacional.

Plataforma PAJE e associação ProChild distinguidas com o Prémio Direitos Humanos 2023

Iniciativa da Assembleia da República

Plataforma PAJE e associação ProChild distinguidas com o Prémio Direitos Humanos 2023 novidade

Duas organizações que têm trabalhado na área da proteção das crianças foram as escolhidas pela Assembleia da República para receber o Prémio Direitos Humanos 2023: a P.A.J.E. – Plataforma de Apoio a Jovens ex-Acolhidos e o ProChild – Laboratório Colaborativo. Será ainda atribuída a Medalha de Ouro Comemorativa do 50.º Aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos aos membros da extinta Comissão Independente para o Estudo dos Abusos Sexuais contra as Crianças na Igreja Católica Portuguesa, adianta um comunicado divulgado pelo Parlamento.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

“Em cada oportunidade, estás tu”

Ajuda em Ação lança campanha para promover projetos de educação e emprego

“Em cada oportunidade, estás tu” é o mote da nova campanha de Natal da fundação Ajuda em Ação, que apela a que todos os portugueses ofereçam “de presente” uma oportunidade a quem, devido ao seu contexto de vulnerabilidade social, nunca a alcançou. Os donativos recebidos revertem para apoiar os programas de educação, empregabilidade jovem e empreendedorismo feminino da organização.

A freira que quer mobilizar 100 mil religiosas na luta contra o tráfico humano

Irmã Seli Thomas

A freira que quer mobilizar 100 mil religiosas na luta contra o tráfico humano novidade

“Mais de 100 mil religiosas estão na Índia. (…) Se todas trabalhássemos juntas no combate ao tráfico através do nosso próprio ministério, poderíamos salvar muitas vidas”. O apelo foi lançado pela irmã Seli Thomas (religiosa indiana das Irmãs Catequistas de Maria Imaculada Auxiliadora), durante o encontro da AMRAT – Talitha Kum, aliança internacional de religiosas contra o tráfico, que decorreu no passado fim de semana na Índia.

Igreja: não nos serve uma simples administração

Igreja: não nos serve uma simples administração novidade

Falemos claro, sem personalizar ou localizar, mas pelo que acontece, quase sempre e em toda a parte, nos mesmos cargos, e nas mesmas circunstâncias. Intervenhamos numa atitude conventual, numa expressão que hoje praticamente não se usa e nem sei se se pratica, a chamada “correcção fraterna”. Quero referir-me aos últimos acontecimentos, particularmente, na Igreja; novos Bispos sagrados e novos cardeais purpurados ou investidos e também novas colocações de Párocos. (Serafim Falcão)

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This