Prece para que Deus entre na Guerra

| 26 Mar 2022

Mulher num centro de refugiados cristãos instalado num pavihão de desportos em Ankawa (Erbil, Iraque), cuja instalação foi apoiada pela Ajuda à Igreja que Sofre. Foto © ACN-Portugal.

 

Entra, Senhor, na Guerra,
nas mãos que cuidam, reparam, socorrem, limpam e reconstroem, pois elas são a própria esperança em carne viva.

Entra nos olhos de todos os que empunham armas, dirigem tanques, aviões ou drones e explica-lhes pelas tuas palavras e ações, sempre tão secretas e sábias, que do outro lado estão sempre outros olhos iguais aos seus, que sorriem e choram e que amam e são amados!
Entra, Senhor, na guerra, entra na cabeça de cada comandante que ordena a destruição de edifícios de habitação, escolas, hospitais, teatros e maternidades e traz-lhe ao pensamento as escolas dos seus filhos e netos e os hospitais onde estão os seus pais e irmãos.
Entra no coração carregado de medo de cada criança, para que este medo seja atenuado por mil pequenos gestos e olhares de socorro e cuidado, de modo que o rancor não encontre ramos onde poisar e crescer.

Não fiques de fora da Guerra, Senhor,
Tu que nos proteges na adversidade, tu que és o nosso refúgio e a nossa força. Não nos abandones, Deus de bondade.

Entra, Senhor, na Guerra, nas mentes dos decisores políticos que comandam a guerra e dos que os apoiam, e entra com mais força ainda na mente dos decisores políticos que os podem convencer a fazer a paz.
Trava a nossa língua no momento de escolha das palavras com que comunicamos a revolta e solta-a com graça quando elas semeiem a paz.
Deus da luz, perpassa e transfigura os nossos pensamentos, palavras e ações e dá-nos o alento para a construção da não-violência e da paz.
Traz, Senhor, consolo, fortaleza e coragem a todos os que perdem pais e mães, filhos e irmãos, avós, familiares e amigos, para que a ave da desesperança não faça ninho nas suas cabeças.
Aos que morrem, de um lado e do outro das batalhas, acolhe-os, Senhor com a misericórdia infinita que Te habita e que nós nunca conseguiremos imaginar ou compreender.

Que por mil se multipliquem as mãos que cuidam da sopa, das fraldas, das viagens, dos abrigos e que por dez mil se multiplique a alegria transbordante irradiada por estas mulheres e estes homens e que ela escorra sobre as famílias abatidas e desmembradas, as casas destruídas e a terra queimada.

Meu Deus, a lista já vai longa,
mas tem de ser mesmo assim, uma e outra vez, a todas as horas, pois só Tu conheces os mil e um caminhos para a paz.

Por isso, não posso cansar-me de te pedir que entres na Guerra!
Coloca o exército dos teus anjos a ajudar cada pequeno gesto de cada construtor da paz,
mobiliza a oração de todos os teus santos para fortalecer cada criança ferida,
doente, desorientada, órfã, abandonada, perdida, sem esperança,
chama os teus arcanjos Miguel, Daniel e Rafael para ensinarem os decisores políticos a negociarem a paz,
e faz com que a Tua orquestra de anjos, santos e arcanjos, cante com entusiasmo e alegria o coro da Paz.
E que não se calem, nem façam intervalos!
Que este canto interior seja mais forte que os bombardeamentos.
Que não se calem, pois todos os minutos são importantes para ganhar a paz!

Arcanjo Miguel, num selo dos Correios da Ucrânia de 2019. © ukrposhta, Public domain, via Wikimedia Commons

         Arcanjo Miguel, num selo dos Correios da Ucrânia de 2019. © ukrposhta

Senhor, eu sei que não queres ganhar a Guerra, mas podes vencê-la. Entra, Senhor, nesta guerra!

Que se faça a Tua vontade, pai de misericórdia, bondade e fidelidade, e não a nossa.
Que se faça a justiça pelos horrendos crimes cometidos em cada hora desta guerra!
Que o perdão possa começar a ser sentido nos corações dos que lutam, depois balbuciado e que finalmente possa ser ouvido, em todos os lugares.
Sem perdão, nunca mais a paz poderá regressar a estas terras tão belas e agora tão escurecidas pelo ódio e pela miséria.

Eu sei, Senhor, a Guerra não é obra tua, mas sem fazeres a tua obra não haverá Paz.

Somos livres, eu sei, e queremos permanecer livres, assim nos criaste. Podemos fazer a guerra e fazer a paz, mas essa liberdade está sedenta da tua luz. Precisamos de aprender contigo, ó Pai bondoso, ensina-nos os mil caminhos da Tua Paz.
Faz germinar em cada um de nós as pequenas sementes da paz.

Obrigado, ó Pai, por estares connosco e nunca nos abandonares!

Atende-nos, ó Pai bondoso, ouve-nos, ó Filho muito amado, inspira-nos a todos, ó Espírito da Alegria Santa, e implora a toda a hora pela paz, ó Senhora Nossa Mãe.

Entra na Guerra, Senhor nosso Deus e nosso Pai, e não nos deixes assitir, acomodados no sofá, aos jogos dos “Senhores da Guerra” e fortalece-nos como senhoras e senhores da paz.
— Eis-me aqui, Senhor!


Joaquim Azevedo é professor da Universidade Católica Portuguesa (Porto) e membro do Conselho Nacional de Educação.

 

Judeus da Europa “mais angustiados que nunca” face ao aumento do antissemitismo

Estudo revela

Judeus da Europa “mais angustiados que nunca” face ao aumento do antissemitismo novidade

O mais recente relatório da Agência da União Europeia para os Direitos Fundamentais (FRA) não deixa margem para dúvidas: o antissemitismo cresceu nos últimos cinco anos e disparou para níveis sem precedentes desde o passado mês de outubro, o que faz com que os judeus a residir na Europa temam pela sua segurança e se sintam muitas vezes obrigados a esconder a sua identidade judaica.

Fundadora da Comunidade Loyola castigada pelo Vaticano é ministra da comunhão em Braga

Decreto de extinção a marcar passo?

Fundadora da Comunidade Loyola castigada pelo Vaticano é ministra da comunhão em Braga novidade

A pouco mais de três meses de se completar um ano, prazo dado pelo Vaticano para extinguir a Comunidade Loyola, um instituto de religiosas fundado por Ivanka Hosta e pelo padre Marko Rupnik, aparentemente tudo continua como no início, com as casas a funcionar normalmente. No caso da comunidade de Braga, para onde Ivanka foi ‘desterrada’ em meados de 2023, por abusos de poder e espirituais, a “irmã” tem mesmo estado a desenvolver trabalho numa paróquia urbana, incluindo como ministra extraordinária da comunhão, com a aparente cobertura da diocese.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Sobreviventes de abusos acusam bispos de os “revitimizar” no processo de compensações financeiras

Contra a obrigação de repetir denúncias

Sobreviventes de abusos acusam bispos de os “revitimizar” no processo de compensações financeiras novidade

Vários sobreviventes de abusos sexuais no seio da Igreja Católica expressaram, junto da presidência da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP), o seu descontentamento quanto ao “método a utilizar para realizar as compensações financeiras”, dado que este obriga todas as vítimas que pretendam obtê-las a repetirem a denúncia que já haviam feito anteriormente.

Cuidar do outro com humanidade

Cuidar do outro com humanidade novidade

A geração nascida em meados do século passado foi ensinada a respeitar os mais velhos, a escutá-los e seguir os seus ensinamentos, dada a sua condição de anciãos e, por tal, sabedores daquilo que é melhor para a família, para cada comunidade e para a sociedade em geral. Era assim que se preparavam as novas gerações para aprenderem a respeitar o outro, os seus pais, irmãos e avós, cuidando deles e uns dos outros, desde a nascença até à morte. [Texto de Caseiro Marques]

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This