Sri Lanka

Presidente vai apresentar a demissão

| 10 Jul 2022

Manifestações contra o presidente do Sri Lanka. Foto © Antano | Wikimedia Commons

Manifestações contra o presidente do Sri Lanka levaram à sua demissão. Foto © Antano | Wikimedia Commons

 

O Presidente do Sri Lanka, Gotabaya Rajapaksa, anunciou que se demitiria no próximo dia 13 de julho depois da sua residência oficial ter sido invadida a 9 de julho por uma multidão protestando contra a crise económica e social e a corrupção galopante. O arcebispo de Colombo, cardeal Malcolm Ranjit, exigira na semana passada a renúncia imediata do Presidente Gotabaya Rajapaksa e a constituição de um governo provisório de unidade nacional [ver 7MARGENS].

Os protestos atingiram o seu pico quando os protestantes invadiram a residência oficial do presidente, os seus escritórios à beira-mar e a residência do primeiro-ministro, afirmando que só sairiam depois do anúncio oficial das suas demissões, em gestos que foram acompanhados pelos militares, que nada fizeram para as impedir, segundo conta o The Guardian.

O Papa Francisco manifestou hoje a sua preocupação com a crise no Sri Lanka, alertando para os efeitos da instabilidade política e económica sobre as populações. “Uno-me à dor do povo do Sri Lanka, que continua a sofrer os efeitos da instabilidade política e económica. Com os bispos do país, renovo o meu apelo à paz e imploro aos que têm autoridade, para que não ignorem o grito dos pobres e as necessidades da população”, declarou, desde a janela do apartamento pontifício, após a recitação do Ângelus, citado pela Ecclesia.

Anthony Blinken, Secretário de Estado dos EUA, referiu hoje que uma das causas para estes protestos pode ser a escassez de alimentos provocada pela guerra na Uvrânia, e culpa a Rússia por isso. “Vemos o impacto da invasão russa em pouco por todo o lado”, afirmou Blinken aos jornalistas, acrescentando que “estamos a ver no mundo uma crescente sensação e segurança em prol de alimentação que foi exacerbada “.

 

Sida: 60% das crianças entre os 5 e os 14 anos sem acesso a tratamentos

Relatório da ONU alerta

Sida: 60% das crianças entre os 5 e os 14 anos sem acesso a tratamentos novidade

O mais recente relatório da ONUSIDA, divulgado esta terça-feira, 29 de novembro,  é perentório: “o mundo continua a falhar à infância” na resposta contra a doença. No final de 2021, 800 mil crianças com VIH não recebiam qualquer tratamento. Entre os cinco e os 14 anos, apenas 40% tiveram acesso a medicamentos para a supressão viral. A boa notícia é que as mortes por sida caíram 5,79% face a 2020, mas a taxa de mortalidade observada entre as crianças é particularmente alarmante.

Gracia Nasi, judia e “marrana”

Documentário na RTP2

Gracia Nasi, judia e “marrana” novidade

Nascida em Portugal em 1510, com o nome cristão de Beatriz de Luna, Gracia Nasi pertencia a uma uma família de cristãos-novos expulsa de Castela. Viúva aos 25 anos, herdeira de um império cobiçado, Gracia revelar-se-ia exímia gestora de negócios. A sua personalidade e o destino de outros 100 mil judeus sefarditas, expulsos de Portugal, são o foco do documentário Sefarad: Gracia Nasi (RTP2, 30/11, 23h20).

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

Bahrein

Descoberto mosteiro cristão sob as ruínas de uma mesquita

Há quem diga que este é o “primeiro fruto milagroso” da viagem apostólica que o Papa Francisco fez ao Bahrein, no início de novembro. Na verdade, resulta de três anos de trabalho de uma equipa de arqueólogos locais e britânicos, que acaba de descobrir, sob as ruínas de uma antiga mesquita, partes de um ainda mais antigo mosteiro cristão.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This