Primeira reunião da nova Conferência Eclesial da Amazónia afirma opção pelos indígenas

| 30 Out 2020

Manifestacao em defesa da Amazónia. Foto © Forum Social Pan-amazónico

 

Uma Igreja Católica alinhada com os povos indígenas da Amazónia e com o cuidado da casa comum é uma das notas principais que sai da primeira assembleia da recém-criada Conferência Eclesial da Amazónia (Ceama), que decorreu de forma virtual e que contou com a participação de líderes indígenas e responsáveis de comunidades católicas, além de bispos dos nove países da região.

“A Conferência é uma experiência muito interessante, porque colocou a Igreja ao lado dos mais necessitados. A Igreja optou pelos mais pobres da Amazónia, pelos povos indígenas, pelos cuidados da casa comum”, afirmou Patricia Gualinga, líder do povo kichwa, de Sarayaku, na Amazónia equatoriana, citada no Religión Digital.

É esta a perspectiva que te sido trabalhada nestes meses que levaram à criação da Conferência Eclesial da Amazônia, diz o comunicado final da assembleia. A Igreja Católica, com os missionários que estão na região, decidiu estar do lado dos indígenas e já não “dos poderosos” ou “das grandes potências”, mas antes “cuidando da criação, cuidando deste ecossistema único, cuidando do respeito pelos direitos”.

O processo deve, agora, continuar, diz comunicado final, “articulado com o CELAM [Conselho Episcopal Latino-Americano, que reúne todos os bispos católicos da América Latina] e as diferentes redes eclesiais amazónicas”, em aliança “com os povos amazónicos e em defesa da Casa Comum”.

 

Mais de 1.000 jovens cristãos caminharam pela paz nas ruas de Jerusalém

Via Sacra ecuménica

Mais de 1.000 jovens cristãos caminharam pela paz nas ruas de Jerusalém novidade

A guerra em Israel prossegue e o sentimento de insegurança em Jerusalém cresce. Ainda assim, ou talvez por isso mesmo, a tradicional Via Sacra que ali se realiza anualmente por ocasião da segunda semana da Quaresma não foi cancelada. Na passada sexta-feira, 23 de fevereiro, mais de mil crianças e jovens que frequentam as escolas cristãs da cidade, acompanhados de inúmeros familiares e professores, percorreram as ruas de lenços brancos na mão, pedindo a paz para todo o mundo, e em particular para a Terra Santa.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

A propósito das eleições…

A propósito das eleições… novidade

Uma das coisas boas que a revolução de 1974 nos trouxe foi a possibilidade de escolhermos os nossos representantes políticos. Para a geração dos meus pais, a revolução foi um momento intenso. Finalmente chegara a liberdade. Começaram a participar activamente na vida política, viram o fim da guerra colonial e uma descolonização tumultuosa, assistiam com interesse a debates políticos na TV, debatiam ideologias e as propostas de diferentes partidos políticos. [Texto de Marco Oliveira]

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This