Primeiro-ministro e patriarca falam sobre abrandamento da suspensão de celebrações comunitárias

| 19 Abr 20

Patriarca de Lisboa, D. Manuel Clemente, na Vigília Pascal 2020.

O patriarca de Lisboa, D. Manuel Clemente, na Vigília Pascal deste ano. Foto © Diana Quintela, cedida pela autora.

 

O primeiro-ministro, António Costa, e o presidente da Conferência Episcopal Portuguesa, D. Manuel Clemente, reúnem-se na manhã desta segunda-feira, 20 de Abril, para debater o levantamento das restrições às celebrações religiosas comunitárias no quadro da pandemia de covid-19 e do eventual levantamento do estado de emergência.

Eucaristias, baptizados, casamentos e funerais tiveram de passar a ser realizados sem a participação de fiéis. Agora, no quadro do eventual levantamento de algumas das medidas de contenção social, algumas das disposições em vigor poderão ser alteradas. O Santuário de Fátima já anunciou, entretanto, que o 13 de Maio será assinalado sem peregrinos.

Em entrevista ao programa Ecclesia, emitida neste domingo na RTP2, o patriarca considera, entretanto, que a dinâmica pastoral da Igreja voltará “com muita força” após o retomar dos contactos sociais, agora com a possibilidade da complementaridade dos recursos digitais.

Estes “estão ao nosso dispor” e são para utilizar, diz, acrescentado que esta experiência “aprofundou o porquê da Igreja no seu sentido mais íntimo e encontrou novas maneiras de manter esta convivência”.

Artigos relacionados