Um projeto inter-religioso

Programa “A Fé dos Homens” celebrou 25 anos de emissão na RTP2

| 15 Set 2022

gravacoes programa a fe dos homens foto ecclesia

Os 25 anos de A Fé dos Homens vão estar em destaque no Programa 70×7 do próximo domingo, na RTP2.

O programa A Fé dos Homens celebrou esta quinta-feira, 15 de setembro, o seu 25º aniversário. Transmitido na RTP2 de segunda a sexta-feira desde 1997, e marcando presença também na rádio Antena 1 a partir de 2009, o projeto consolidou-se “como um espaço para conhecer as diferentes comunidades e tradições religiosas, fomentando o diálogo inter-religioso” em Portugal, assinalou a Comissão do Tempo de Emissão das Confissões Religiosas em nota enviada ao 7MARGENS.

Os responsáveis por este organismo sublinham que a forma como este tempo de emissão tem sido gerido, através da colaboração entre as diferentes confissões religiosas, “ilustra bem a cultura de cooperação e de respeito mútuo que coloca Portugal como uma referência a nível mundial”. E acrescentam que esta experiência “contrasta com o padrão na generalidade das democracias ocidentais, marcadas por tensões e pela polarização entre diferentes comunidades religiosas”.

“A possibilidade que as confissões religiosas têm de partilhar a sua história e divulgar a sua participação na construção da sociedade através do programa (…)  é um relevante contributo para este quadro de entendimento entre as religiões”, pode ler-se no comunicado.

Para a Comissão, este aniversário “é uma ocasião para consolidar o diálogo entre confissões e comunidades religiosas, apostadas em contribuir para o conhecimento recíproco e para a valorização da dimensão religiosa como fundamental no tempo atual.”

Também o presidente da Comissão Episcopal responsável pelo setor dos media assinalou esta quinta-feira o aniversário do programa, destacando a sua importância para a promoção da “liberdade religiosa” em Portugal. “Dentro do contexto do nosso país, é provavelmente o programa que melhor pode oferecer à sociedade o que é um sentido ecuménico, de diálogo, um sentido interconfessional, valorizando o que deve ser a liberdade, a compreensão, a cidadania de todos”, referiu o bispo de Viana do Castelo, João Lavrador, em mensagem enviada à Agência Ecclesia.

O presidente da Comissão de Liberdade Religiosa (CLR), José Vera Jardim, referiu por seu lado que o programa é “importante” para os portugueses e que gostaria que o mesmo pudesse ser “alargado”, nomeadamente à RTP Internacional. “Podia ser uma boa prenda a RTP permitir o ingresso na RTP Internacional, em face da diáspora que temos em todo o mundo – naturalmente, muitos deles participam dessas comunhões religiosas. Seria uma boa prenda para todos aqueles que defendem a presença das religiões nas sociedades contemporâneas”, afirmou em entrevista à Ecclesia.

As emissões do programa começaram a 15 de setembro de 1997, após a assinatura, meses antes, de um acordo entre a RTP e 13 confissões religiosas – Aliança Evangélica Portuguesa, Comunidade Bahá’í de Portugal, Comunidade Hindu de Portugal, Comunidade Islâmica de Lisboa, Comunidade Israelita de Portugal, Igreja Apostólica Católica Ortodoxa, Igreja Católica Apostólica Romana, Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, União Portuguesa dos Adventistas do Sétimo Dia, Conselho Português de Igrejas Cristãs, Igreja Católica Ortodoxa, Igreja da Ciência Cristã e Igreja Veterocatólica.

Os 25 anos de A Fé dos Homens vão estar em destaque no Programa 70×7 do próximo domingo, na RTP2, pelas 17h30.

 

Felizes os meninos de mais de 100 países – incluindo Portugal – que participam na Jornada Mundial das Crianças

Este fim de semana, em Roma

Felizes os meninos de mais de 100 países – incluindo Portugal – que participam na Jornada Mundial das Crianças novidade

Foi há pouco mais de cinco meses que, para surpresa de todos, o Papa anunciou a realização da I Jornada Mundial das Crianças. E talvez nem ele imaginasse que, neste curto espaço de tempo, tantos grupos e famílias conseguissem mobilizar-se para participar na iniciativa, que decorre já este fim de semana de 25 e 26 de maio, em Roma. Entre eles, estão alguns portugueses.

Cada diocese em Portugal deveria ter “uma pessoa responsável pela ecologia integral”

Susana Réfega, do Movimento Laudato Si'

Cada diocese em Portugal deveria ter “uma pessoa responsável pela ecologia integral” novidade

A encíclica Laudato Si’ foi “determinante para o compromisso e envolvimento de muitas organizações”, católicas e não só, no cuidado da Casa Comum. Quem o garante é Susana Réfega, portuguesa que desde janeiro deste ano assumiu o cargo de diretora-executiva do Movimento Laudato Si’ a nível internacional. Mas, apesar de esta encíclica ter sido publicada pelo Papa Francisco há precisamente nove anos (a 24 de maio de 2015), “continua a haver muito trabalho por fazer” e até “algumas resistências à sua mensagem”, mesmo dentro da Igreja, alerta a responsável.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Bispo José Ornelas: “Estamos a mudar o paradigma da Igreja”

Terminou a visita “ad limina” dos bispos portugueses

Bispo José Ornelas: “Estamos a mudar o paradigma da Igreja” novidade

“Penso que estamos a mudar o paradigma da Igreja”, disse esta sexta-feira, 24 de maio, o bispo José Ornelas, presidente da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP), numa conversa com alguns jornalistas, em plena Praça de S. Pedro, no Vaticano, em comentário ao que tinha acabado de se passar no encontro com o Papa Francisco e às visitas que os bispos lusos fizeram a vários dicastérios da Cúria Romana, no final de uma semana de visita ad limina.

O mundo precisa

O mundo precisa novidade

O mundo precisa, digo eu, de pessoas felizes para que possam dar o melhor de si mesmas aos outros. O mundo precisa de gente grande que não se empoleira em deslumbrados holofotes, mas constrói o próprio mérito na forma como, concretamente, dá e se dá. O mundo precisa de humanos que queiram, com lealdade e algum altruísmo, o bem de cada outro. – A reflexão da psicóloga Margarida Cordo, para ler no 7MARGENS.

“Política americana sobre Gaza está a tornar Israel mais inseguro”

Testemunho de uma judia-americana que abandonou Biden

“Política americana sobre Gaza está a tornar Israel mais inseguro”

Esta é a história-testemunho da jovem Lily Greenberg Call, uma judia americana que exercia funções na Administração Biden que se tornou há escassos dias a primeira figura de nomeação política a demitir-se de funções, em aberta discordância com a política do governo norte-americano relativamente a Gaza. Em declarações à comunicação social, conta como foi o seu processo interior e sublinha como os valores do judaísmo, em que cresceu, foram vitais para a decisão que tomou.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This