“Re-samaritanização” na “Fratelli Tutti”

| 21 Jan 2021

” (…)este modelo tão antigo de caridade e de ação-intervenção social mantém plena atualidade”. Gravura: O Bom Samaritano, Georg Pencz – Bibioteca Nacional Digital, Brasil /Wikimedia Commons

 

1. O Papa Francisco entendeu por bem dedicar o segundo capítulo da encíclica Fratelli Tutti (FT) à parábola do Bom Samaritano (Lc 10, 25-37). E a maneira como aborda o tema permite-nos falar de “re-samaritanização”, por dois motivos: primeiro, porque vem recordar que este modelo tão antigo de caridade e de ação-intervenção social mantém plena atualidade; e, em segundo lugar, porque interpreta a parábola de maneira diferente da mais comum e tradicional.

Pode afirmar-se que a FT considera três patamares da ação social, em sentido amplo, bem como da caridade: o básico, o intermédio e o estatal (nºs. 77-78; cf. 165, 169, 181 e 186). No básico, incluem-se as relações interpessoais de família, amizade, vizinhança, companheirismo…; no intermédio, as instituições particulares, os movimentos sociais e as empresas privadas; e, no estatal, os diferentes, órgãos, organismos e empresas do Estado.

Como bem se compreende, a tradição cristã mais generalizada concentrou-se especialmente no primeiro patamar; o segundo concretizou-se nas inúmeras instituições sociais criadas pela Igreja e por outras entidades, ao longo dos séculos, e também nas empresas privadas ou do sector cooperativo-social comprometidas na responsabilidade social; o terceiro concretizou-se na assunção de responsabilidades sociais públicas, por inúmeros cristãos e não cristãos, em órgãos de soberania, bem como em organismos e empresas do Estado.

Ao longo da história, surgiram diferendos entre os três patamares de ação: o primeiro foi considerado “assistencialista” por defensores dos outros dois porque, supostamente, “alimenta” as situações de pobreza; o segundo foi criticado por, alegadamente, menosprezar o primeiro e limitar o seu âmbito de ação às capacidades de resposta; o terceiro foi contestado por misturar a ação social com a vida partidária e não garantir cobertura de todos os problemas.

 

2. Francisco, sem entrar em pormenores de classificação, deixa bem claro que os três patamares se completam e são indispensáveis: o primeiro não poderá ser descurado, sob pena de a pessoa humana, enquanto tal, ficar excluída; o segundo complementa o primeiro, na medida em que traz respostas de que ele necessita; o terceiro é também claramente indispensável não só porque vem completar, tendencialmente, o quadro de respostas mas também porque implica o compromisso de toda a comunidade política nos objetivos sociais, consagrando os direitos e responsabilidades correspondentes (cf. as citações supra; para o caso português, são bastante elucidativos os artigos 2º., 9º., 12º., 13º., 53º. e 58º. a 79º. da Constituição).

O capítulo V da Fratelli Tutti, especialmente nos nºs. 176-197, concentra-se no terceiro patamar da ação social, elege como orientação fundamental a caridade social e política, exercida pelos políticos no sentido corrente e pelos cidadãos em geral na sua dimensão política. No nº. 183, identifica uma linha de rumo estruturante, transcrevendo o nº. 207 do Compêndio da Doutrina Social da Igreja: “O amor social é uma ‘força capaz de suscitar novas vias para enfrentar os problemas do mundo de  hoje e renovar profundamente, a partir do interior, as estruturas, organizações sociais, ordenamentos jurídicos”. A ação básica, a intermédia e a estatal, acima referidas, acham-se bem sintetizadas no nº. 182: “(…) não há um verdadeiro povo sem a referência ao rosto de cada pessoa. Povo e pessoa são termos correlativos. (…) A boa política procura caminhos de construção de comunidade nos diferentes níveis da vida social, a fim de reequilibrar e reordenar a globalização para evitar os seus efeitos desagregadores.”

 

Acácio Catarino é consultor social

 

Vitrais e escultura celebram videntes de Fátima na Igreja da Golpilheira

Inaugurados dia 25

Vitrais e escultura celebram videntes de Fátima na Igreja da Golpilheira novidade

A comunidade cristã da Golpilheira – inserida na paróquia da Batalha – vai estar em festa no próximo domingo, 25 de fevereiro, data em que serão inaugurados e benzidos os novos vitrais e esculturas dos três videntes de Fátima que passarão a ornamentar a sua igreja principal – a Igreja de Nossa Senhora de Fátima. As peças artísticas foram criadas por autores nacionais, sob a coordenação do diretor do Departamento do Património Cultural da Diocese de Leiria-Fátima, Marco Daniel Duarte.

Era uma vez na Alemanha

Era uma vez na Alemanha novidade

No sábado 3 de fevereiro, no centro de Berlim, um estudante judeu foi atacado por outro estudante da sua universidade, que o reconheceu num bar, o seguiu na rua, e o agrediu violentamente – mesmo quando já estava caído no chão. A vítima teve de ser operada para evitar uma hemorragia cerebral, e está no hospital com fracturas em vários ossos do rosto. Chama-se Lahav Shapira. [Texto de Helena Araújo]

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

Sessões gratuitas

Sol sem Fronteiras vai às escolas para ensinar literacia financeira

Estão de regresso as sessões de literacia financeira para crianças e jovens, promovidas pela Sol sem Fronteiras, ONGD ligada aos Missionários Espiritanos, em parceria com o Oney Bank. Destinadas a turmas a partir do 3º ano até ao secundário, as sessões podem ser presencias (em escolas na região da grande Lisboa e Vale do Tejo) e em modo online no resto do país.

“As estatísticas oficiais subestimam a magnitude da pobreza e exclusão em Portugal”, denuncia Cáritas

Estudo apresentado dia 27

“As estatísticas oficiais subestimam a magnitude da pobreza e exclusão em Portugal”, denuncia Cáritas novidade

Ao basear-se em inquéritos junto das famílias, as estatísticas oficiais em Portugal não captam as situações daqueles que não vivem em residências habituais, como as pessoas em situação de sem-abrigo, por exemplo. E é por isso que “subestimam a magnitude da pobreza e exclusão em Portugal”, denuncia a Cáritas Portuguesa na introdução ao seu mais recente estudo, que será apresentado na próxima terça-feira, 27 de fevereiro, na Universidade Católica Portuguesa do Porto.

Ver teatro que “humaniza” e aprender a “salvar a natureza”? É no Seminário de Coimbra

Atividades abertas a todos

Ver teatro que “humaniza” e aprender a “salvar a natureza”? É no Seminário de Coimbra novidade

Empenhado em ser “um lugar onde a Cultura e a Espiritualidade dialogam com a cidade”, o Seminário de Coimbra acolhe, na próxima segunda-feira, 26, a atividade “Humanizar através do teatro – A Importância da Compaixão” (que inclui a representação de uma peça, mas vai muito além disso). Na terça-feira, dia 27, as portas do Seminário voltam a abrir-se para receber o biólogo e premiado fotógrafo de natureza Manuel Malva, que dará uma palestra sobre “Salvar a natureza”. 

O princípio de Betânia

O princípio de Betânia novidade

Numa sexta-feira, seis dias antes da Páscoa, no regresso de Jericó para Jerusalém, Jesus faz uma pausa em Betânia, uma pequena aldeia a três quilómetros de Jerusalém que visitava regularmente, sendo amigo da família de Lázaro, Marta e Maria. É que no sábado a lei judaica não permitia viajar. Entretanto, um tal Simão denominado “o leproso” (talvez um dos que Jesus tinha curado) convida-o para um jantar no sábado à noite na sua casa, também em Betânia. [Texto de José Brissos-Lino]

Ortodoxos denunciam imoralidade do conluio de Cirilo com Putin e a sua guerra

Carta nos dois anos da guerra na Ucrânia

Ortodoxos denunciam imoralidade do conluio de Cirilo com Putin e a sua guerra novidade

No momento em que passam dois anos sobre a invasão russa e o início da guerra na Ucrânia, quatro académicos do Centro de Estudos Cristãos Ortodoxos da Universidade de Fordham, nos Estados Unidos da América, dirigiram esta semana uma contundente carta aberta aos líderes das igrejas cristãs mundiais, sobre o papel que as confissões religiosas têm tido no conflito.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This