Campanha da FEC

Receitas de presentes solidários vão “impactar milhares de vidas”

| 19 Jan 2024

Projeto da FEC na area da educação. Foto FEC

Nas 18 edições da campanha, foram angariados 622.224 euros, que apoiaram comunidades vulneráveis nas áreas da saúde, educação, habitação, alimentação, entre outras. Foto © FEC

 

A campanha “Presentes Solidários”, da Fundação Fé e Cooperação (FEC), angariou 25.421 euros na sua última edição, com a venda de um total de 2005 presentes. O valor destina-se agora a “apoiar a saúde e a educação nos oito países lusófonos” e irá “impactar milhares de vidas”, assegura o diretor da ONG, Manuel Martins.

No âmbito da saúde, os presentes solidários adquiridos no último Natal irão converter-se em 662 papas nutritivas para Moçambique, 550 almoços escolares para São Tomé e Príncipe, e ainda 210 refeições diárias e 47 kits de medicamentos e nutrição para a Guiné-Bissau.

Já a educação será reforçada com a angariação de 90 sapatilhas e mochilas para jovens de Timor-Leste, 75 livros para uma biblioteca no sul de Angola, 35 maletas de aprendizagem destinadas a crianças no
Brasil, 55 kits de material escolar para Cabo Verde e ainda cinco presentes que apoiam a realização de peças de teatro comunitário em Moçambique.

Para Portugal, foram 276 os presentes angariados, que vão contribuir para a instalação de um sistema integrado de gestão de água numa associação nacional, informa a organização em comunicado enviado ao 7MARGENS.

Citado no comunicado, Manuel Martins, diretor executivo da FEC, manifesta a sua satisfação por “uma vez mais, a campanha alcançar marcos significativos que impactam milhares de vidas” e realça que “a FEC está comprometida em continuar a fazer a diferença”, agradecendo “a confiança depositada” na instituição.

Os Presentes Solidários são uma campanha que tem permitido, ao longo dos anos, apoiar as comunidades dos países lusófonos com bens concretos. Nas 18 edições da campanha, foram angariados mais de 45 mil presentes, num total de 622.224 euros, que apoiaram comunidades vulneráveis nas áreas da saúde, educação, habitação, alimentação, entre outras.

No site e redes sociais da FEC, será possível acompanhar, durante todo o ano, a entrega dos presentes às comunidades no terreno.

 

Nada se perde: um antigo colégio dos Salesianos é o novo centro de acolhimento do Serviço Jesuíta aos Refugiados

Inaugurado em Vendas Novas

Nada se perde: um antigo colégio dos Salesianos é o novo centro de acolhimento do Serviço Jesuíta aos Refugiados novidade

O apelo foi feito pelo Papa Francisco: utilizar os espaços da Igreja Católica devolutos ou sem uso para respostas humanitárias. Os Salesianos e os Jesuítas em Portugal aceitaram o desafio e, do antigo colégio de uns, nasceu o novo centro de acolhimento de emergência para refugiados de outros. Fica em Vendas Novas, tem capacidade para 120 pessoas, e promete ser amigo das famílias, do ambiente, e da comunidade em que se insere.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Bispos católicos de França apelam à fraternidade e justiça, mas não se demarcam da extrema-direita

Com as eleições no horizonte

Bispos católicos de França apelam à fraternidade e justiça, mas não se demarcam da extrema-direita novidade

O conselho permanente dos bispos da Igreja Católica de França considera, num comunicado divulgado esta quinta-feira, 20 de junho, que o resultado das recentes eleições europeias, que deram a vitória à extrema-direita, “é mais um sintoma de uma sociedade ansiosa, dividida e em sofrimento”. Neste contexto, e em vésperas dos atos eleitorais para a Assembleia Nacional, apresentaram uma oração que deverá ser rezada por todas as comunidades nestes próximos dias.

“Precisamos de trabalhar num projeto de sociedade que privilegie a ativação da esperança”

Tolentino recebeu Prémio Pessoa

“Precisamos de trabalhar num projeto de sociedade que privilegie a ativação da esperança” novidade

Na cerimónia em que recebeu o Prémio Pessoa 2023 – que decorreu esta quarta-feira, 19 de junho, na Culturgest, em Lisboa – o cardeal Tolentino Mendonça falou daquela que considera ser “talvez a construção mais extraordinária do nosso tempo”: a “ampliação da esperança de vida”. Mas deixou um alerta: “não basta alongar a esperança de vida, precisamos de trabalhar num projeto de sociedade que privilegie a ativação da esperança e a deseje fraternamente repartida, acessível a todos, protagonizada por todos”.

“O 7 de outubro, a guerra em Gaza e as sombras da Shoah e da Nakba”

“O 7 de outubro, a guerra em Gaza e as sombras da Shoah e da Nakba” novidade

O último dia de “Reflexos e Reflexões” prometia uma tarde bem preenchida: o debate sobre “o 7 de outubro, a guerra em Gaza e as sombras da Shoah e da Nakba”, e a peça de teatro “House”, de Amos Gitai, pelo teatro La Colline. Aqui deixo uma síntese do debate, que tentei fazer com a maior fidedignidade possível, a partir dos apontamentos que fui tomando (era proibido tirar fotografias ou fazer gravações, para garantir que todos se sentiam mais livres para falar). [Texto de Helena Araújo]

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This