Reclusos integram quadros do Presépio Vivo de Priscos

| 15 Dez 19

Construção do presépio Vivo de Priscos. Foto agência Ecclesia/CB

O envolvimento de reclusos detidos no Estabelecimento Prisional de Braga é uma das marcas que, à semelhança das edições anteriores, está de novo presente na 14ª edição do “Presépio Vivo”, de Priscos (concelho e diocese de Braga), inaugurada neste domingo, 14 de Dezembro.

Pároco de Priscos e coordenador da pastoral penitenciária da arquidiocese de Braga, o padre João Torres explicou à agência Ecclesia que a iniciativa tem uma dimensão solidária e de inclusão de vários reclusos através do projeto “Mais Natal Priscos”, que começou há cinco anos: “Não faria sentido” falar de Natal na comunidade se esta não ajudasse “alguém a nascer”.

“Este projeto visa a reinserção social de reclusos, pessoas que cometeram um crime mas continuam a ser pessoas, não são o crime que cometeram. Estão detidas, estão a cumprir uma pena e achamos que podíamos dar um contributo para ajudar a voltar à sociedade”, afirmou.

Os reclusos, nota ainda a mesma fonte, ajudam a construir e reconstruir os cenários e fazem trabalhos de carpinteiro, pedreiro e electricista. “Fico feliz quando ando pelas alas da prisão e alguém me diz: ‘Estou ansioso para que o senhor juiz me autorize a ir trabalhar para Priscos’. Trabalho, liberdade, sonho”, são palavras muito associadas ao projeto ‘Mais Natal Priscos’”, diz, na entrevista que pode ser vista no vídeo abaixo.

A iniciativa apresentará quadros vivos relacionados com o nascimento de Jesus e a vida na Palestina de há dois mil anos, numa centena de cenários e com mais de 600 figurantes. O Presépio Vivo estará aberto nos dias 19, 21, 22, 25, 28 e 29 de Dezembro, e 1, 4, 5, 11 e 12 de Janeiro, em horários que podem ser consultados na página oficial da iniciativa.

Artigos relacionados