Moçambique

Religiosa italiana assassinada em ataque a missão comboniana

| 7 Set 2022

missao comboniana em chipene moçambique

A irmã Maria De Coppi (a segunda a contar da esquerda) tinha 84 anos e estava em Moçambique desde 1963. Foto: Direitos reservados.

 

A missão comboniana de Chipene, na fronteira com a província de Cabo Delgado, em Moçambique, foi alvo de um ataque na noite desta terça-feira, 6. Um grupo armado não identificado pegou fogo às instalações onde dormiam e trabalhavam os religiosos, e assassinou a tiro uma irmã italiana. Outras duas missionárias combonianas e dois padres fidei donum terão conseguido fugir e estão até ao momento incontactáveis.

“Ainda estamos a aguardar informações oficiais, mas pensa-se que tenha sido um ataque terrorista”, refere ao 7MARGENS a irmã Rosário Marinho, superiora provincial das Irmãs Missionárias Combonianas em Portugal. “Segundo se sabe, este ataque já estaria a ser ameaçado há algum tempo e por esse motivo as crianças que frequentavam a escola da missão foram convidadas a irem para as suas casas nas aldeias para estarem mais seguras.”

O grupo armado ter-se-ia aproximado da missão 24 horas antes, mas sem conseguir cruzar o rio Lurio, a fronteira natural com a província de Cabo Delgado, que tem sido o principal paco de violência por parte de grupos terroristas ao longo dos últimos meses. O ataque aconteceu na noite seguinte, tendo as instalações da missão sido incendiadas, incluindo o dormitório e a sala de informática recém-inaugurada, avançou o Vatican News.

A irmã assassinada, Maria De Coppi, tinha 83 anos e estava em Moçambique desde 1963, quando este era ainda uma colónia portuguesa. Natural de Treviso (próximo de Veneza), serviu em diversas missões na província de Nampula. “Dedicou toda a sua vida à missão em Moçambique. Não pretendia regressar a Itália e pedia a graça de falecer em solo moçambicano para poder ficar com o povo que tanto amava”, recorda a irmã Vera Rocha, também missionária comboniana.

O cardeal Matteo Zuppi, presidente da Conferência Episcopal Italiana e arcebispo de Bolonha, expressou a sua profunda dor e convidou todos a rezar pela irmã ” que durante sessenta anos serviu em Moçambique, que se havia convertido na sua casa”, para que a sua morte possa ser “uma semente de paz e reconciliação numa terra que, depois de anos de estabilidade, volta a ser assolada pela violência, causada por grupos islâmicos que há alguns anos semeiam terror e morte nas áreas do norte do país”.

Tal como noticiado pelo 7MARGENS esta terça-feira, uma série de ataques terroristas atingiu a província de Cabo Delgado, em Moçambique, nas últimas semanas, e o Denis Hurley Peace Institute, órgão associado da Conferência dos Bispos Católicos da África Austral, alertou para o facto de estes ataques estarem a espalhar-se para sul e oeste, em áreas já consideradas estabilizadas.

Neste momento, “acionam-se todos os canais possíveis de comunicação – governo, militares moçambicanos, Santa Sé…- para obter informações sobre o paradeiro dos irmãos que ainda estão desaparecidos”, partilha a irmã Rosário Marinho, na esperança de que muito em breve haja melhores notícias. “Mas vamos continuar o nosso trabalho em Moçambique… não fugimos perante as ameaças. O povo está a sofrer e nós estamos com o povo”, assegura.

 

ONG israelita já salvou a vida a 3.000 crianças palestinianas

Uma forma de "construir pontes"

ONG israelita já salvou a vida a 3.000 crianças palestinianas novidade

Amir tem cinco anos e, até agora, não podia correr nem brincar como a maioria das crianças da sua idade. Quando tinha apenas 24 meses, apanhou um vírus que resultou no bloqueio de uma das suas artérias coronárias, pelo que qualquer esforço físico passou a ser potencialmente fatal. Mas, muito em breve, este menino palestiniano poderá recuperar o tempo perdido. Com o apoio da organização humanitária israelita Save a Child’s Heart, Amir acaba de ser operado num hospital em Tel Aviv e está fora de perigo.

Apoie o 7MARGENS e desconte o seu donativo no IRS ou no IRC

Breves

 

Bahrein

Descoberto mosteiro cristão sob as ruínas de uma mesquita

Há quem diga que este é o “primeiro fruto milagroso” da viagem apostólica que o Papa Francisco fez ao Bahrein, no início de novembro. Na verdade, resulta de três anos de trabalho de uma equipa de arqueólogos locais e britânicos, que acaba de descobrir, sob as ruínas de uma antiga mesquita, partes de um ainda mais antigo mosteiro cristão.

Manhã desta quinta-feira, 24

“As piores formas de trabalho infantil” em conferência

Uma conferência sobre “As piores formas de trabalho infantil” decorre na manhã desta quinta-feira, 24 de Novembro (entre as 9h30-13h), no auditório da Polícia Judiciária (Rua Gomes Freire 174, na zona das Picoas, em Lisboa), podendo assistir-se também por videoconferência. Iniciativa da Confederação Nacional de Ação Sobre o Trabalho Infantil (CNASTI), em parceria com o Instituto de Apoio à Criança (IAC), a conferência pretende “ter uma noção do que acontece não só em Portugal, mas também no mundo acerca deste tipo de exploração de crianças”.

Francisco contra o divisionismo e a ordenação de mulheres

Entrevista à revista America

Francisco contra o divisionismo e a ordenação de mulheres novidade

“O divisionismo não é católico. Um católico não pode pensar ‘ou, ou’ e reduzir tudo a posições irreconciliáveis. A essência do católico é “e, e”. O católico une o bem e o não tão bom. O povo de Deus é um” – afirmou o Papa Francisco, a propósito das divisões na Igreja americana, na entrevista concedida no dia 22 de novembro a um conjunto de editores jesuítas e publicada na edição da revista America – The Jesuit Review desta segunda-feira, 28 de novembro.

Terra de pobreza e de milagres

[Crónicas da Guiné – 1]

Terra de pobreza e de milagres novidade

A Guiné-Bissau, como país, é um bom exportador de más notícias. E quando se chega ao território, o que imediato se faz notar é a pobreza e o lixo. Mas quando nos dizem “Tenho orgulho em Bissau ser uma cidade limpa… em comparação com outras capitais desta região de África”, percebemos que tudo é relativo – relativo aos padrões que adoptamos. Ou às notícias que procuramos. Porque há notícias que vêm ter connosco, pois sabem que serão bem acolhidas, e outras que se deixam ficar no seu cantinho, silenciosas, porque se reconhecem sem interesse.

Nasce uma nova rede eclesial para o cuidado da casa comum

América Latina

Nasce uma nova rede eclesial para o cuidado da casa comum novidade

Depois da Rede Eclesial Pan-Amazónica (REPAM) e da Rede Eclesial Ecológica Mesoamericana (REGCHAG), nasce agora a Rede Eclesial Gran Chaco e Aquífero Guarani (REGCHAG), com o objetivo de proteger os territórios que lhe dão nome e as respetivas comunidades, face a ameaças como o desmatamento, a contaminação e o desrespeito pelos modos de vida.

Agenda

Fale connosco

Autores

 

Pin It on Pinterest

Share This